José Marrocos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de José Joaquim Teles Marrocos)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

José Joaquim Teles Marrocos (Crato, 26 de novembro de 1842Juazeiro do Norte, 14 de agosto de 1910) foi um professor e jornalista brasileiro. Era primo de Padre Cícero.

José Marrocos queria ser padre e chegou a estudar no Seminário da Prainha, no entanto, foi expulso em 1868 por ser filho de um padre. Voltou para sua cidade natal onde assumiu a direção do colégio Internato do Coração de Maria.

Foi ferrenho defensor de Padre Cícero e Maria de Araújo quando se envolveram no suposto milagre da hóstia. José Marrocos acreditava na sobrenaturalidade do acontecimento, tendo defendido até sua morte a reabilitação do Padre e da beata perante a Igreja Católica, bem como o reconhecimento desta do milagre. Por acreditar que os panos ensanguentados, provas do milagre, seriam destruídos pelo Tribunal do Santo Ofício, chegou a furtá-los do sacrário que estava sob a responsabilidade do Padre Alexandrino. No leito de morte, confessou a Cícero estar de posse dos artefatos.

Em 1908 se mudou para Juazeiro do Norte, onde fundou o jornal O Rebate e passou a defender a emancipação de Juazeiro. Porém, morreu em 1910 sem que visse Juazeiro independente do Crato, a emancipação só ocorreu em 1911.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • NOBRE, Edianne S., O Teatro de Deus: as beatas do Padre Cícero e o espaço sagrado de Juazeiro (1889-1898). Fortaleza: Edições IMEPH/UFC, 2011.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.