José Malhoa (cantor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
José Malhoa
Informação geral
Nome completo José Malhoa
Também conhecido(a) como
Nascimento 28 de setembro de 1948[1][2]
Origem Santa Maria de Belém, Lisboa
País  Portugal
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Cônjuge Rosa Malhoa (1970s-2012)
Instrumento(s)
Período em atividade 1969-presente
Gravadora(s) Orfeu (1979–1983)
Espacial (1983-presente)
Afiliação(ões) Ana Malhoa
Influência(s)
Página oficial

José Malhoa (Lisboa, 28 de setembro de 1948)[2] é um cantor português de música popular.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu na freguesia de Santa Maria de Belém, Lisboa no ano 1948 e foi nos bailes da colectividade Alves Rente que começou a cantar.[3]

Começou por cantar fado, depois música espanhola. O seu artista preferido era Tony de Matos, porque cantava canções românticas.[3]

Andou no Centro de Preparação de Artistas da Rádio, na Emissora Nacional. Trabalhou em decoração mas continuava a cantar.

Depois de sair da tropa faz uma versão de "Cara de Cigana" , original de Daniel Magal, que se torna um grande sucesso. Edita outros discos na Orfeu e Rádio Triunfo.

Cantava nas chamadas mini-revistas que andavam pelo país. Ficou a viver no Porto depois de uma actuação no Teatro Sá da Bandeira. no Porto.

Lança os singles "Amor de Verão", "Obrigado Amor Obrigado" e "Cristina". Assina contrato com a CBS (mais tarde Sony Music).

Com a filha Ana Malhoa gravou o disco "Pai Amigo". Canta canções em dupla com a filha até aos 20 e poucos de idade da cantora.

Na Discossete lança o single "24 Rosas", de Juan Sebastian, que se torna outro grande sucesso.

É um dos fundadores da editora Espacial.

Colabora em muitos temas com o compositor Ricardo Landum. Obtém grande adesão com canções como "Baile de Verão" que teve uma nova versão com o Facebook.

Em 2011, é editado o álbum "Morena Kuduro", o que lhe dá também um grande sucesso. Isso porque neste álbum já surge pelo menos um tema com o estilo musical kuduro.

A 15 de Abril de 2012 chora a morte da sua companheira de longa data, Rosa Malhoa, que faleceu vítima de doença súbita aos 73 anos.

Em 11 de Julho de 2012, foi condenado a uma pena de 150 dias de multa por ter agredido, em 2009, um diretor de uma agência de viagens, após uma discussão em Gaia. Além dos 150 dias de multa o cantor foi condenado a pagar uma indemnização de 1150 euros ao diretor da agência de viagens[4].

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de José Malhoa

Referências

  1. «PARABÉNS PAI! I LOVE MY DAD!!!». Ana Malhoa. Consultado em 28 de fevereiro de 2016 
  2. a b «Idade de José Malhoa». Portal WS. Consultado em 28 de fevereiro de 2016 
  3. a b Vanda Marques (3 de agosto de 2011). «Muita gente pagava para aparecer, o José Malhoa era pobre e não podia dar dinheiro». ionline.pt. Consultado em 17 de maio de 2013 
  4. Reis Pinto (11 de julho de 2012). «José Malhoa condenado por agressão». JN.pt. Consultado em 17 de maio de 2013 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.