José Maranhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Zé Maranhão
Zé Maranhão
Senador pela Paraíba Paraíba
Período 1º de fevereiro de 2015
à atualidade
Período 1º de fevereiro de 2003
a 17 de fevereiro de 2009
49º Governador da Paraíba Paraíba
Período 18 de fevereiro de 2009
a 1º de janeiro de 2011
Vice-governador(a) Luciano Cartaxo
Antecessor(a) Cássio Cunha Lima
Sucessor(a) Ricardo Coutinho
45º Governador da Paraíba Paraíba
Período 16 de setembro de 1995
a 6 de abril de 2002
Vice-governador(a) Nenhum (1995–1999)
Roberto Paulino (1999–2002)
Antecessor(a) Antônio Mariz
Sucessor(a) Roberto Paulino
Vice-governador da Paraíba Paraíba
Período 1º de janeiro de 1995
a 15 de setembro de 1995
Antecessor(a) Cícero Lucena
Sucessor(a) Roberto Paulino
Deputado federal pela Paraíba Paraíba
Período 1º de fevereiro de 1983
a 16 de dezembro de 1994
(3 mandatos consecutivos)
Deputado estadual da Paraíba Paraíba
Período 1º de fevereiro de 1955
a 16 de janeiro de 1969
(4 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nome completo José Targino Maranhão
Nascimento 6 de setembro de 1933 (84 anos)
Araruna, PB
Nacionalidade Brasil brasileiro
Progenitores Mãe: Benedita Targino Maranhão
Pai: Benjamim Gomes Maranhão
Alma mater Universidade Federal da Paraíba
Cônjuge Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti
Partido PMDB
Profissão Advogado e empresário

José Targino Maranhão, mais conhecido como Zé Maranhão, (Araruna, 6 de setembro de 1933) é um empresário e político brasileiro, atualmente senador[1] pela Paraíba, filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Foi deputado estadual, deputado federal, vice-governador e governador do estado da Paraíba em três ocasiões. Presidiu a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Biografia[editar | editar código-fonte]

É filho de Benjamim Gomes Maranhão, ex-prefeito de Araruna, e de Dona Benedita Targino Maranhão (Dona YaYá).[2][3]

Começou a sua carreira política, eleito deputado estadual em 1955 pelo PTB, partido pelo qual volta a ser eleito deputado estadual por mais dois mandatos consecutivos. Em 1967, se filiou ao MDB, pelo qual voltou a ser eleito deputado estadual, ficando no cargo até 1969.

Em 1982, elegeu-se deputado federal constituinte, voltando a se eleger ao cargo em 1986, na legislatura 1987 - 1991. Em 1990, voltou a concorrer a uma vaga de deputado federal, sendo eleito para o período 1991 - 1994.

Em 1994, foi eleito vice-governador na chapa de Antônio Mariz, aonde acaba assumindo o mandato em virtude da morte do titular, cerca de dez meses depois de ter assumido o mandato de governador. Em 1998 disputa a candidatura à reeleição ao governo do estado pelo PMDB, onde o grupo liderado pelo então senador Ronaldo Cunha Lima e por seu filho, o então prefeito de Campina Grande, Cássio Cunha Lima, queriam indicar o nome de Ronaldo para a disputa do governo. Com uma vantagem apertada, Maranhão vence Ronaldo na convenção do PMDB e é indicado candidato. Na eleição para governador, é eleito com cerca de 80% dos votos válidos, sendo o governador mais votado do país naquele ano em termos percentuais, reelegendo-se assim governador da Paraíba.

Em 2001, rompeu politicamente com a família Cunha Lima, que migrou para o PSDB. No ano seguinte Maranhão renunciou ao governo do estado para candidatar-se ao senado obtendo 831.083 votos, sendo o senador mais votado da Paraíba naquela eleição. No governo do estado entra em seu lugar o então vice-governador Roberto Paulino, que com seu apoio se torna o candidato do PMDB ao governo, mas acaba sendo derrotado por Cássio Cunha Lima que venceu Paulino no segundo turno.

Em 2006, Maranhão disputou novamente o governo da Paraíba, desta vez contra o então governador, Cássio Cunha Lima, que foi eleito em segundo turno à reeleição, com cerca de 51% dos votos. Após a confirmação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da cassação de Cunha Lima em 2008 pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) da Paraíba por uso indevido de programa social em ano eleitoral, José Maranhão foi reconduzido em 17 de fevereiro de 2009 ao Palácio da Redenção, como governador do Estado, por ser o segundo colocado nas eleições de 2006.

Governador da Paraíba pela terceira vez, Maranhão concorre novamente ao cargo de governador do estado nas eleições de 2010, buscando o seu quarto mandato, mas acaba sendo novamente derrotado no segundo turno, dessa vez pelo ex-prefeito da capital Ricardo Coutinho do PSB que obteve 53,70% dos votos válidos contra seus 46,30%.

Nas eleições de 2012, foi o candidato a prefeito de João Pessoa pelo PMDB sendo derrotado nas urnas, obtendo apenas o quarto lugar e ficando de fora do segundo turno com uma votação de 69.978 votos, representando 18,87% dos votos válidos.

Em 2014, foi indicado pelo seu partido como candidato a senador da república, cargo pelo qual se elege pela segunda vez com 647.271 votos (37,12% dos votos válidos).[4]

Em março de 2015 assumiu a presidência da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ),[5] e permaneceu no cargo até dezembro de 2016.[6]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

  • 1954: É eleito deputado estadual pelo PTB, com 3.153 votos.
  • 1958: É reeleito deputado estadual pelo PSP, obtendo 2.947 votos.
  • 1960: Nomeado secretário de Agricultura do estado da Paraíba, pelo governador José Fernandes de Lima.[7][8]
  • 1962: Reeleito deputado estadual pelo PTB, com a marca de 3.510 votos.
  • 1966: Mais uma vez é eleito deputado estadual, nessa ocasião pelo MDB, atingindo a marca de 4.830 sufrágios.
  • 1969: É perseguido pela ditadura militar e tem seus direitos políticos suspensos.
  • 1982: Volta à cena política, sendo eleito deputado federal pelo PMDB, com 41.819 votos.
  • 1986: Reeleito deputado federal constituinte pelo PMDB, com 47.873 votos.
  • 1990: Reeleito deputado federal pelo PMDB, com 25.860 votos.[9]
  • 1994: É escolhido candidato a vice-governador na chapa liderada pelo então senador Antônio Mariz. Enfrentaram a deputada federal Lúcia Braga pelo PDT. Obtiveram, em primeiro turno, 525.396 votos (46,59%) contra 489.066 votos da candidata do PDT. No segundo turno saíram vitoriosos, atingindo 781.349 votos (58,3%) contra 558.987 votos (41,7%) de Lúcia Braga.
  • 1995: Assume efetivamente o governo da Paraíba, devido o falecimento do titular, Antônio Mariz.
  • 1998: Reeleito governador pelo PMDB. Eleito em primeiro turno, com 877.852 votos (80,72%) contra os 175.234 votos (16,11%) do deputado federal Gilvan Freire do PSB. Nesta eleição foi o governador, proporcionalmente, mais votado do país.
  • 2002: Renuncia ao cargo de governador em abril para disputar a eleição como candidato a senador. Assume o governo Roberto Paulino, seu vice.
  • 2002: Eleito senador pelo PMDB, obtendo 831.083 votos (28,72%).
  • 2006: É candidato a governador da Paraíba pelo PMDB, tendo o vereador Luciano Cartaxo como seu candidato a vice-governador. No primeiro turno atinge 926.272 votos (48,74%). Cássio Cunha Lima, candidato a reeleição pelo PSDB, obtém 943.922 votos (49,67%). No segundo turno perde a eleição, alcançando 950.269 votos (48,65%) contra 1.003.102 votos (51,35%) do candidato do PSDB.
  • 2008: Devido a cassação do mandato de Cássio Cunha Lima, assume o governo da Paraíba pela terceira vez.[10]
  • 2010: É candidato a reeleição pelo PMDB, desta vez contra o ex-prefeito de João Pessoa Ricardo Coutinho do PSB. No primeiro turno obtém 933.754 votos (49,3%) contra 942.121 (49,74%) do candidato do PSB. No segundo turno, perde a eleição com 930.331 votos (46,3%) contra 1.079.165 votos (53,7%) de Ricardo Coutinho.
  • 2012: É candidato a prefeito de João Pessoa pelo PMDB. Perde no primeiro turno, sendo o quarto colocado. Obteve 69.978 votos (18,87%).[11]
  • 2014: É eleito senador da Paraíba pelo PMDB. Atingindo 647.271 votos (37,12%), contra Lucélio Cartaxo do PT e Wilson Santiago do PTB. [12]

Processos[editar | editar código-fonte]

Zé Maranhão enfrenta oito processos na Justiça Eleitoral: de abuso de poder político e econômico, compra de votos, conduta vedada e uso indevido de meios de comunicação.[13]

Referências

  1. «Página do Sen. José Maranhão no site do Senado Federal». Senado. Consultado em 16 de abril de 2016 
  2. Câmara dos Deputados do Brasil. «Biografia». José Maranhão - PMDB. Consultado em 17 de Abril de 2013 
  3. Senado Federal do Brasil. «Biografia». Consultado em 17 de Abril de 2013 
  4. Globo.com. «José Maranhão, do PMDB, se elege senador pela Paraíba». G1. Consultado em 16 de Novembro de 2014 
  5. Gabriela Guerreiro. «José Maranhão assume presidência da CCJ do Senado após disputa no PMDB». Folha de S.Paulo. Uol. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  6. «Maranhão despede-se da Presidência da CCJ e agradece apoio recebido». PB Agora. 14 de dezembro de 2016. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  7. Câmara dos Deputados do Brasil. «Biografia». José Maranhão - PMDB. Consultado em 1 de Fevereiro de 2016 
  8. Senado Federal do Brasil. «Biografia». Consultado em 17 de Abril de 2013 
  9. Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB). «Resultado das Eleições na Paraíba». Sistema de Histórico de Eleições. Consultado em 1 de Fevereiro de 2016 
  10. G1. «TSE cassa mandato do governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima». Consultado em 1 de Fevereiro de 2016 
  11. Terra Networks. «Apuração das Eleições 2012». Consultado em 1 de Fevereiro de 2016 
  12. G1. «José Maranhão, do PMDB, se elege senador pela Paraíba». Consultado em 1 de Fevereiro de 2016 
  13. Reinaldo Azevedo (22 de novembro de 2008). «Paraíba 2 – José Maranhão responde a oito processos na Justiça Eleitoral». Veja. Consultado em 27 de agosto de 2017 
Precedido por
Antônio Mariz
Governador da Paraíba
1995 — 2002
Sucedido por
Roberto Paulino
Precedido por
Cássio Cunha Lima
Governador da Paraíba
2009 — 2010
Sucedido por
Ricardo Coutinho