José Mourinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Mourinho
{{{nome}}}
José Mourinho em 2017
Informações pessoais
Nome completo José Mário dos Santos Mourinho Félix
Data de nasc. 26 de janeiro de 1963 (56 anos)
Local de nasc. Setúbal, Portugal
Nacionalidade português
Altura 1,74 m
destro
Apelido Mou, The Special One
Informações profissionais
Equipa atual Tottenham
Posição Ex-meia
Função Técnico
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1980–1982
1982–1983
1983–1985
1985–1987
Rio Ave
Vitória de Guimarães
GD Sesimbra
Comércio e Indústria
0016 0000(2)
0016 0000(2)
0035 0000(1)
0027 0000(8)
Times/Equipas que treinou
2000
2001–2002
2002–2004
2004–2007
2008–2010
2010–2013
2013–2015
2016–2018
2019–
Benfica
União de Leiria
Porto
Chelsea
Internazionale
Real Madrid
Chelsea
Manchester United
Tottenham
0011
0029
0124
0185
0108
0178
0136
0144
0007
Última atualização: 15 de dezembro de 2019

José Mário dos Santos Mourinho Félix GOIH, mais conhecido como José Mourinho (Setúbal, 26 de Janeiro de 1963) é um técnico e ex-futebolista português que atuava como meio-campista. Atualmente comanda o time do Tottenham.

No Reino Unido, popularizou-se o apelido de The Special One depois de se autointitular desse modo na sua primeira entrevista como treinador do Chelsea. Na Itália ficou conhecido como Lo Speciale; na Espanha, como El Especial. Mourinho ganhou 25 títulos, fazendo dele um dos técnicos mais bem sucedidos de todos os tempos. Foi nomeado Treinador Português do Século pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) em 2015, e detém a distinção de ser o primeiro treinador a ter gasto mais de £ 1 bilhão em transferências. Devido ao seu conhecimento tático e a sua personalidade controversa, ele tem atraído comparações, por ambos os admiradores e críticos, com o falecido técnico argentino Helenio Herrera. Ele também é amplamente considerado por muitos no esporte como um dos maiores técnicos de todos os tempos.

Após a magnífica temporada de 2010 com a Internazionale, em janeiro de 2011 foi eleito o melhor treinador do mundo pela FIFA.[1]

Carreira

Na década de 90, Mourinho estava no Estrela da Amadora (como preparador físico e depois, como auxiliar técnico) e no Vitória de Setúbal. Em meados da década, é contratado para trabalhar com o técnico inglês Bobby Robson, no Sporting. Mourinho ganha a alcunha de Tradutor, passando rapidamente de tradutor a auxiliar técnico adjunto de Bobby Robson. Mantém-se como braço direito do treinador inglês até quando ele se muda para o Porto e, mais tarde, para o Barcelona.

Torna-se um conhecedor do futebol espanhol e, quando Robson saiu para o PSV, Mourinho permaneceu na Catalunha com o neerlandês Louis van Gaal. A confiança e o profissionalismo de Mourinho alargam-lhe o leque de funções. Passou a ter um papel bastante ativo como auxiliar-técnico de Van Gaal nos treinos e na preparação dos jogos.

Benfica e União de Leiria

Em 2000 surge a oportunidade de treinar um time português. Foi escolhido pelo Benfica para substituir Jupp Heynckes após a 4ª rodada da Liga Sagres. O primeiro jogo foi no dia 23 de setembro de 2000, no Estádio do Bessa, contra o Boavista, tendo o Benfica perdido por 1 a 0.[2]

Quando começa a conquistar os adeptos benfiquistas (especialmente depois da vitória contra o rival Sporting por 3 a 0), há eleições no Benfica. Muda a presidência de João Vale e Azevedo para o Manuel Vilarinho. Mourinho sai do Benfica após 11 jogos, uma vez que o novo presidente tinha um treinador, o também português Toni, e Mourinho sabia que estava a "prazo" no Benfica.

Ainda durante essa temporada, foi contratado para o União de Leiria, no qual viria a assumir funções na temporada 2001/02 e onde se manteve até janeiro de 2002.

Porto

Em janeiro de 2002 foi escolhido para substituir Octávio Machado no comando técnico do Porto. Terminou a temporada em terceiro lugar, conseguindo um total de 11 vitórias, 2 empates e 2 derrotas, tendo sido contratado com ele, da União de Leiria, o atacante Derlei.

Mourinho promete com invulgar certeza o título na temporada seguinte pelo Porto: "na próxima temporada seremos campeões".

Mourinho rapidamente identifica os jogadores-chave: Vítor Baía, Ricardo Carvalho, Jorge Costa, Costinha, Deco, Dmitri Alenichev e Postiga. A esta espinha dorsal juntam-se, entre outros, Maniche e Edgaras Jankauskas (Benfica), Paulo Ferreira (Vitória de Setúbal), Nuno Valente e Derlei (ambos da União de Leiria). Com o rigor tático e a determinação sui generis de Mourinho, o Porto cresce em Portugal assim como na Europa. Em dois anos venceram duas competições europeias e as duas Superligas.

Em 2003, Mourinho ganhou o primeiro campeonato português com 27 vitórias, 5 empates e 2 derrotas, venceu a Taça de Portugal (contra o seu anterior clube, União Leiria) e conquistou a Taça UEFA contra o Celtic.

No ano seguinte, o Porto consegue ganhar mais uma vez a Superliga, agora com 8 pontos de vantagem. Em 16 de maio perde na final da Taça de Portugal contra o rival Benfica, 10 dias antes de triunfar na mais alta prova da UEFA, a Liga dos Campeões da Europa, derrotando o Monaco (3 a 0). Em toda a competição, o Porto de Mourinho só perdeu para o Real Madrid na fase de grupos e depois eliminou Manchester United, Lyon e o Deportivo La Coruña. Na entrevista rápida da final da Liga dos Campeões, José Mourinho afirma que o seu desejo é de almejar novos ares e que vai procurar o melhor para ele e para o clube. Pouco tempo depois, é confirmada a sua transferência para o Chelsea.

Chelsea

José Mourinho no Chelsea.

Com tal percurso não foi surpresa a cobiça de diversos clubes, entre eles o Chelsea de Roman Abramovich. Em Portugal, alguns duvidaram que o sucesso de Mourinho se mantivesse além-fronteiras. Em Junho de 2004, torna-se um dos treinadores mais bem pagos do Mundo ganhando cerca de 5 milhões de Libras por ano.

Tal como fez no Porto, Mourinho não vai só. Leva consigo os seus auxiliares Baltemar Brito e André Villas-Boas, o preparador físico Rui Faria e o treinador de goleiros Silvino. A fortuna do russo Roman Abramovich ajuda Mourinho na contratação de grandes jogadores: Tiago (Benfica), Didier Drogba (Olympique de Marselha), Arjen Robben e Mateja Kežman (PSV), Ricardo Carvalho e Paulo Ferreira (Porto).

Em dezembro de 2004, já era líder do Campeonato Inglês. No dia 27 de fevereiro de 2005, venceu o Liverpool por 3 a 2 na Copa da Liga Inglesa e conquistou o seu primeiro troféu como treinador fora de Portugal. Dois meses mais tarde, no dia 30 de abril de 2005, Mourinho sagrou-se campeão inglês após ter vencido o Bolton por 2 a 0. O Chelsea não ganhava o campeonato havia 50 anos.

Ficou uma pedra no sapato de Mourinho: no dia 3 de maio de 2005, foi eliminado da Liga dos Campeões pelo Liverpool, na semi-final, depois de eliminar nas quartas de final o Barcelona. Entretanto, renovou seu contrato com os Blues.

No dia 9 de junho de 2005, foi lhe atribuído o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.[3]

Na temporada seguinte, 2005–06, Mourinho e o Chelsea voltam a conquistar a Premier League.

No dia 20 de setembro de 2007, José Mourinho e o Chelsea chegam a mútuo acordo para rescisão de contrato.[4] Porém, no dia 18 de setembro, a confirmação da demissão já havia sido efetivada. O russo Roman Abramovich trocou Mourinho pelo diretor de futebol Avram Grant.

Internazionale

José Mourinho no Inter de Milão.

Após algumas semanas em que circularam rumores de que seria treinador da Internazionale, a sua contratação foi oficializada no dia 2 de junho de 2008.[5] Confirmou-se igualmente que o Barcelona teria demonstrado interesse na sua contratação, não tendo as negociações tido sucesso.[6]

Como é habitual, José Mourinho trouxe a sua equipa técnica de sempre, os portugueses Rui Faria, Silvino e André Vilas-Boas. Além destes, Giuseppe Baresi foi o eleito para desempenhar as funções de auxiliar-técnico de José Mourinho na Inter. De salientar um aspecto curioso relacionado com a apresentação do Special One no clube Nerazzurri: Mourinho não quis dizer que era especial. Antes quis realçar que quem era verdadeiramente especial era a próprio Inter, lembrando para isso o grande relevo histórico que o clube detém na história do futebol, ao contrário do seu clube anterior. Tal fora entendido, por muitos, como uma achega ao Chelsea de Roman Abramovich, podendo levar a entender que o clube londrino desvalorizou de forma injusta os dois títulos de campeão que Mourinho conquistou, quando esses títulos fugiam ao clube havia cerca de 50 anos.

Entretanto, Massimo Moratti considera que Mourinho é extremamente parecido com Helenio Herrera, mítico treinador da Inter que venceu as únicas duas Liga dos Campeões da UEFA que o clube detém e principal mestre da famosa tática italiana do Catenaccio. No dia 28 de abril de 2010, José Mourinho classificou-se pela segunda vez, após seis anos, para uma final da Liga dos Campeões. Derrotou o Barcelona na semifinal (vitória por 3 a 1 em Milão e derrota por 1 a 0 em Barcelona). No dia 16 de maio de 2010, venceu a equipa do Siena por 1 a 0, na última ronda do Campeonato Italiano, e conseguiu o seu segundo título Italiano em 2 anos pela Internazionale. No dia 22 de maio de 2010, tornou-se campeão da Liga dos Campeões com a Internazionale, ganhando a final contra a equipe alemã do Bayern Munique (comandada pelo seu antigo mentor Van Gaal) por 2 a 0.

José Mourinho tornou-se o primeiro treinador do mundo a conquistar um triplete (ganhar o Campeonato Nacional, a Taça e uma Competição Europeia) duas vezes: ele já havia realizado esse feito na temporada 2002–03 com o Porto (ganhando a Taça da UEFA) e voltou a realizar na temporada 2009–10 com a Inter de Milão (ganhando a Liga dos Campeões).

Real Madrid

Mourinho em agosto de 2010.

No dia 26 de maio de 2010, o presidente Florentino Pérez anunciou José Mourinho como novo técnico do Real Madrid.[7]

Mais de um ano depois, no dia 20 de abril de 2011, Mourinho conquistou seu primeiro título ao comando do clube merengue. O Real venceu o rival Barcelona pela Copa do Rei, com um gol de Cristiano Ronaldo no primeiro tempo da prorrogação, e voltou a conquistar a competição após 17 anos.[8] No dia 22 de julho de 2011, Mourinho foi nomeado diretor desportivo do Real Madrid, aumentando assim o seu poder no clube.

Em 2012 ganhou pela primeira vez o Campeonato Espanhol, título que já escapava ao Real há três anos para o Barcelona.[9] Já na Liga dos Campeões, a equipe madrilenha foi eliminada nas semi-finais para o Bayern de Munique. Após perder o primeiro jogo por 2 a 1, na Alemanha, os merengues devolveram o placar no Santiago Bernabéu. Com o resultado ficando em 3 a 3 no agregado, o Bayern venceu por 3 a 1 nos pênaltis. Ao final da temporada, o título da La Liga serviria de consolo. A equipe de Mourinho terminou o Campeonato Espanhol com 121 gols marcados e 100 pontos, 9 a mais que o Barcelona.

O Real Madrid de José Mourinho ainda finalizou a temporada com a conquista da Supercopa da Espanha.[10] No jogo de ida, no Camp Nou, derrota por 3 a 2 para o Barça. No jogo de volta, a partida foi marcada pela vitória do Real por 2 a 1, num jogo em que brilhou a estrela do português Cristiano Ronaldo, autor do segundo gol.

Com a conquista do Campeonato, da Taça e da Supercopa de Espanha, Mourinho passou a ser o primeiro treinador a vencer estas três competições em quatro países diferentes.[11]

Na temporada 2012–13 não teve um bom desempenho com a equipe, mas foi vice-campeão duas vezes: do Campeonato Espanhol e da Copa do Rei. Também foi eliminado da Liga dos Campeões pelo Borussia Dortmund. No final da temporada, Mourinho disse que deixaria a equipe após 3 anos no comando.[12] No dia 20 de maio de 2013, o Real Madrid anunciou em uma coletiva oficial que o técnico deixaria o seu cargo ao final da temporada.

No dia 20 de maio de 2013, através de seu presidente Florentino Pérez, a direção merengue confirmou a saída do treinador do clube. Apesar do contrato de Mourinho terminar apenas em 2016, ambas as partes chegaram a um acordo para rescisão amigável do vínculo, sem ônus para nenhum dos envolvidos.[13]

Retorno ao Chelsea

No dia 10 de junho de 2013, José Mourinho foi oficialmente anunciado como novo técnico do Chelsea por quatro temporadas.[14]

No dia 17 de dezembro de 2015 foi demitido pelo clube londrino.[15][16] Ele vinha de uma sucessão de maus resultados, como o afastamento da Copa da Liga Inglesa, se desentendeu com jogadores como Hazard, Diego Costa, Matić e Azpilicueta e ocupava um modesto 16º lugar na Premier League, apenas com 15 pontos em 16 jogos (4 vitórias, 3 empates e 9 derrotas).[17]

Manchester United

No dia 26 de maio de 2016, foi contratado pelo Manchester United por três temporadas, com opção de permanência até 2020.[18] Em sua primeira temporada a frente dos Diabos Vermelhos, conquistou três títulos: a Supercopa da Inglaterra, a Copa da Liga Inglesa e a Liga Europa da UEFA, além de classificar o United para a próxima edição da Liga dos Campeões da UEFA.[19] Mourinho também se tornou o primeiro técnico da história a ganhar por duas vezes a Liga dos Campeões e a Liga Europa.[20]

José Mourinho foi demitido do Manchester United no dia 18 de dezembro de 2018, devido aos maus resultados com o time.[21] Quando saiu, deixou o United na sexta colocação do Campeonato Inglês, foi eliminado na Copa da Liga Inglesa pelo Derby County nos pênaltis[22] e classificou o time para as oitavas de final da Liga dos Campeões em segundo lugar das fases de grupos. Foi demitido dois dias após a derrota contra o Liverpool pelo Campeonato Inglês.[23]

Tottenham Hotspur

Após a demissão do argentino Mauricio Pochettino, no dia 20 de novembro de 2019 Mourinho foi anunciado como novo técnico do Tottenham até a temporada 2022–23.[24]

Estilo de jogo

Segundo André Rocha, comentarista da ESPN, a inovação de Mourinho para o futebol foi dar inteligência à retranca. Não mais um amontoado de jogadores defendendo a própria área, mas duas linhas "chapadas", quase coladas como no handebol. Os quatro defensores muito próximos na compactação horizontal - distância lateral entre um jogador e seu companheiro - e os dois meias pelos flancos na segunda linha recuados impedindo a profundidade. Tornou este estilo de jogo ainda mais vertical, através de passes rápidos e práticos, com pouca gente na frente para não desorganizar atrás. Jogando por uma bola, fosse no contragolpe ou nas jogadas aéreas, oportunidade para chegar no ataque com mais atletas.[25]

Porém, seu estilo de jogo "pelo resultado", mesmo contendo vários craques em seu time, é motivo de muitas críticas. O treinador chileno Manuel Pellegrini, por exemplo, deu a seguinte declaração[26]:

Vida pessoal

É filho do antigo jogador e treinador Félix Mourinho. Antes de iniciar a sua carreira de treinador, foi professor de Educação Física e deu aulas na Escola Básica 2/3 José Afonso em Alhos Vedros.

Em 1989, José Mourinho casou com Matilde Faria, nascida em Angola, de quem tem uma filha, Matilde Faria Mourinho Félix (1996), e um filho, José Mário Faria Mourinho Félix (2000).

É primo-irmão de Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto, do Tesouro e das Finanças.[27] Em novembro de 2015 afirmou: "somos primos, mas isso não significa que compartilhemos ideais políticos.[28]

Estatísticas

Ano Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
2000 Benfica 11 6 3 2 54,5%
2001–2002 União de Leiria 20 9 7 4 56,7%
2002–2004 Porto 127 91 21 15 71,7%
2004–2007 Chelsea 185 124 40 21 67,0%
2008–2010 Internazionale 108 67 26 15 62,0%
2010–2013 Real Madrid 178 128 28 22 71,9%
2013–2015 Chelsea 136 80 29 27 58,8%
2016–2018 Manchester United 144 84 32 28 58,3%
2019– Tottenham 7 5 0 2 71,4%

Títulos

Porto
Chelsea
Internazionale
Real Madrid
Manchester United

Prêmios Individuais

Estudos científicos

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre José Mourinho
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: José Mourinho
  • O Prof. Armindo Freitas-Magalhães, Director do Laboratório de Expressão Facial da Emoção (FEELab), é o autor do estudo científico pioneiro mundial "A Neuropsicofisiologia da face: Os movimentos e linguagens em figuras públicas. Estudo de caso com José Mourinho" (2000-2010)[29].

Referências

  1. «Mourinho eleito melhor treinador pela FIFA - oficial». Diário Digital. 10 de Janeiro de 2011 
  2. «O homem que não se cansa de ganhar» 
  3. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "José Mário Santos Mourinho Félix". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 26 de março de 2013 
  4. «Anúncio oficial da rescisão de acordo» (em inglês) 
  5. «Josè Mourinho joins Inter» (em inglês). INTER.it. 2 de junho de 2008 
  6. Redação Terra (19 de junho de 2008). «Mourinho admite que foi procurado pelo Barcelona». terra.com.br. Consultado em 26 de março de 2012 
  7. «Florentino Pérez: 'Decidimos que Mourinho será o novo técnico'». GloboEsporte.com. 26 de maio de 2010. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  8. «Real Madrid vence Barcelona e conquista a Copa do Rei após 17 anos». iG. 20 de abril de 2011. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  9. «Título espanhol marca volta por cima do Real Madrid sobre o Barcelona». iG. 3 de maio de 2012. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  10. «Real Madrid vence o Barcelona e conquista a Supercopa da Espanha». Bom Dia Brasil. 30 de agosto de 2012. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  11. «Mourinho: primeiro a vencer Liga, Taça e Supertaça em quatro países». Mais Futebol. 30 de agosto de 2012. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  12. «Miranda marca, Atlético bate Real, quebra jejum e leva a Copa do Rei». Consultado em 17 de Maio de 2013 
  13. Presidente confirma saída de Mourinho do Real; técnico deve voltar ao Chelsea
  14. «Mourinho appointed». chelseafc.com. Consultado em 3 de junho de 2013 
  15. Statement do Chelsea, chelseafc.com, 17 de dezembro 2015
  16. «Perto da zona de rebaixamento, Chelsea demite José Mourinho». GloboEsporte.com. 17 de dezembro de 2015. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  17. José Mourinho já não é treinador do Chelsea, publico.pt, recuperado 17 de dezembro 2015
  18. «Mourinho appointed United manager» (em inglês). Sítio oficial Manchester United. 27 de maio de 2016 
  19. «Mourinho festeja temporada mais difícil da carreira: "Melhor que um quarto lugar"». Globoesporte.com. 24 de maio de 2017 
  20. «Mourinho único no Mundo: duas Champions e duas Ligas Europa no currículo». record.pt. 24 de maio de 2017 
  21. «José Mourinho é demitido do Manchester United após duas temporadas e meia». GloboEsporte.com. 18 de dezembro de 2018. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  22. «Nos pênaltis, United é eliminado para o Derby County na Copa da Liga». Gazeta Esportiva. 25 de setembro de 2018. Consultado em 18 de dezembro de 2018 
  23. «Liverpool vence Manchester United e volta à liderança do Campeonato Inglês». VEJA.com. Consultado em 18 de dezembro de 2018 
  24. «Jose Mourinho appointed new Head Coach» (em inglês). Site oficial do Tottenham. 20 de novembro de 2019. Consultado em 12 de dezembro de 2019 
  25. espn.uol.com.br/ Brasil ainda não entendeu a revolução Guardiola x Mourinho e precisa reaprender a jogar - nosso maior atraso é no campo
  26. lancenet.com.br/ Manuel Pellegrini critica estilo pragmático de José Mourinho
  27. «Um Governo em família». Jornal SOL. 25 de novembro de 2015. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  28. «Mourinho: 'Somos primos, mas isso não significa que compartilhemos ideais políticos'». Jornal SOL. 27 de novembro de 2015. Consultado em 3 de setembro de 2019 
  29. Sérgio Pereira (27 de maio de 2010). «Investigadores concluem que Mourinho é... verdadeiro». www.tvi24.iol.pt. Consultado em 26 de março de 2010 

Ligações externas

Precedido por
Jupp Heynckes
Treinador do Benfica
2000–2001
Sucedido por
Toni
Precedido por
Octávio Machado
Treinador do Porto
2002–2004
Sucedido por
Luigi Del Neri
Precedido por
Claudio Ranieri
Rafael Benítez
Treinador do Chelsea
2004–2007
2013–2015
Sucedido por
Avram Grant
Guus Hiddink
Precedido por
Roberto Mancini
Treinador da Internazionale
2008–2010
Sucedido por
Rafael Benítez
Precedido por
Manuel Pellegrini
Treinador do Real Madrid
2010–2013
Sucedido por
Carlo Ancelotti
Precedido por
Louis van Gaal
Treinador do Manchester United
2016–2018
Sucedido por
Ole Gunnar Solskjær
Precedido por
Mauricio Pochettino
Treinador do Tottenham
2019–
Sucedido por