José Néri da Silveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Néri da Silveira
Néri da Silveira
Ministro do Supremo Tribunal Federal do Brasil
Mandato: 1 de setembro de 1981
até 24 de abril de 2002
Nomeação por: João Figueiredo
Antecessor(a): Leitão de Abreu
Sucessor(a): Gilmar Mendes
38º Presidente do Tribunal Superior Eleitoral do Brasil
Mandato: 2 de março de 1999
6 de março de 2001
Antecessor(a): Ilmar Galvão
Sucessor(a): Maurício Corrêa
31º Presidente do Supremo Tribunal Federal do Brasil
Mandato: 14 de março de 1989
14 de março de 1991
Antecessor(a): Rafael Mayer
Sucessor(a): Aldir Passarinho
26º Presidente do Tribunal Superior Eleitoral do Brasil
Mandato: 1 de outubro de 1985
até 6 de março de 1987
Antecessor(a): Luís Rafael Mayer
Sucessor(a): Oscar Dias Correia
Dados pessoais
Nascimento: 24 de abril de 1932 (86 anos)
Lavras do Sul, RS
Alma mater: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

José Néri da Silveira (Lavras do Sul, 24 de abril de 1932) é um magistrado brasileiro. Foi ministro do Tribunal Federal de Recursos e do Supremo Tribunal Federal, do qual também foi presidente.[1][2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Néri da Silveira formou-se na Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em 1955. Com o curso concluído, exerceu a advocacia por dez anos e atuou como consultor jurídico do estado a partir de 1963. Em 1965, com a criação da então Consultoria-Geral do Estado do Rio Grande do Sul (hoje Procuradoria Geral), foi nomeado consultor-geral do Estado. Em 1967 foi nomeado juiz federal.

Desde 1969, passou doze anos como ministro do Tribunal Federal de Recursos. Em 1º de setembro de 1981, assumiu o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. Em sessão plenária de 14 de dezembro de 1988, foi eleito Presidente do Supremo Tribunal Federal (biênio 1989-1991), a começar de 14 de março de 1989. Implantou a informatização dos serviços da Corte e criado o Banco Nacional de Dados do Poder Judiciário.

Como ministro do Supremo Tribunal Federal desde 1981, foi nomeado presidente desta Suprema Corte em 1988.

Por dezesseis anos (de 1960 a 1976) exerceu o magistério: até 1969, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e na Universidade Federal do Rio Grande do Sul; e, de 1970 a 1976, na Associação do Ensino Unificado do Distrito Federal (antiga AEUDF, hoje UDF), em Brasília.

Em 7 de dezembro de 2009, foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Ipiranga pelo Governo do Estado de São Paulo, na pessoa do então governador José Serra.[3]

Referências


Precedido por
Luís Rafael Mayer
Presidente do Supremo Tribunal Federal
1989 — 1991
Sucedido por
Aldir Guimarães Passarinho


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.