José Pedro Galvão de Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

José Pedro Galvão de Sousa (São Paulo, 6 de janeiro de 191231 de maio de 1992) foi um filósofo do direito e professor universitário brasileiro. Fundou a Faculdade Paulista de Direito, tendo sido seu vice-diretor, a qual, mais tarde, incorporou-se à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), da qual foi vice-reitor.

Foi também professor de Teoria Geral do Estado e de História do Direito Nacional. Lecionou ainda na Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC Campinas), na Faculdade de Filosofia e Letras de São Bento, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, na Faculdade de Comunicação Social "Casper Líbero" da qual foi diretor, na Faculdade de Direito da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP) e na Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo.

Foi professor visitante de Filosofia Política da Faculté Libre de Philosophie Comparée, em Paris. Fundou o Centro de Estudos de Direito Natural, que hoje leva seu nome.

Foi fundador e co-director da revista Reconquista (São Paulo), editada em português e espanhol, entre 1950 e 1952, sendo os outros co-directores, Francisco Elías de Tejada na Espanha e Fernando de Aguiar em Portugal. Essa revista defendia o núcleo de um pensamento tradicionalista hispano-americanista - uma "concepção orgânica da sociedade e do poder e a convicção monárquica fundada na história e na sociologia" - na linha do pensamento da Tradição Hispânica de António Sardinha e de Ramiro de Maeztu.

Foi também co-diretor da revista portuguesa Scientia Iuridica e mantenedor do grupo "Clube do Livro Cívico", que, por sua vez, editou uma coleção de livros de tradução inédita no Brasil.

Integrou, como membro, a Academia Paulista de Direito, o Instituto dos Advogados, o Instituto de Direito Social, o Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP), a Sociedade de Língua Portuguesa, a Academia Brasileira de Ciências Morais e Políticas e a Real Academia de Jurisprudência y Legislación de Madrid, como acadêmico honorário.

Escreveu a Apresentação da versão brasileira da obra "A nova ciência da política", de Eric Voegelin.[1]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • O positivismo jurídico e o direito natural
  • Conceito e natureza da sociedade política
  • Política e Teoria do Estado
  • Perspectivas históricas e sociológicas do direito brasileiro
  • Introdução à história do direito político brasileiro
  • Socialismo e corporativismo em face da Encíclica "Mater et Magistra"
  • Raízes históricas da crise política brasileira
  • Capitalismo, socialismo e comunismo
  • A historicidade do direito e a elaboração legislativa
  • Da representação política ("Sulla rappresentanza politica" (em italiano))
  • A constituição e os valores da nacionalidade
  • O totalitarismo nas orígens da moderna Teoria do Estado (um estudo sobre o "Defensor Pacis" de Marsílio de Pádua)
  • O Estado tecnocrático
  • Iniciação à Teoria do Estado
  • Verfassungsrechtsentwicklung in Brasilien
  • Remarques su l'idée de constitution et la sigfication sociologique du droit constitutionnel
  • Direito Natural, Direito Positivo e Estado de Direito.
  • Dicionário de Política (José Pedro Galvão de Sousa, Clóvis Lema Garcia e José Fraga Teixeira de Carvalho)
  • Para Conhecer e Viver as Verdades da Fé

Referências

  1. SOUSA, José Pedro Galvão de. Apresentação. Brasília: Editora UnB, 1982. Página visitada em 7 de janeiro de 2017.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.