José Peixoto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Peixoto
Informação geral
Nome completo José Afonso dos Reis Peixoto
Nascimento 17 de janeiro de 1960 (58 anos)
País Portugal
Nacionalidade português
Género(s) Jazz, Erudito, World Music, Popular
Instrumento(s) instrumentista_sem_vocal
Editora(s) Zona Música, JACC Records
Afiliação(ões) SISH
EL FAD
CAL VIVA
TAIFA
Madredeus
Fernando Júdice
SAL
Maria João
Filipa Pais
ADUF
Quinteto de Lisboa
Página oficial myspace.com/josepeixoto

José Afonso dos Reis Peixoto, mais conhecido por José Peixoto[1] é um guitarrista e compositor português que já gravou mais de duas dezenas de discos em nome próprio, a solo ou ao serviço de projetos partilhados. Guitarrista de formação clássica e músico profissional desde o início dos anos 80, depois de uma passagem fugaz pelo curso de arquitetura, foi sempre saltitando entre a música erudita, o jazz, e a música popular. Foi ainda durante 13 anos, um dos membros dos Madredeus.

Biografia[editar | editar código-fonte]

José Peixoto nasceu em 1960. Tirou o curso geral de guitarra clássica na Academia de Amadores de Música de Lisboa, onde foi colega de Pedro Ayres Magalhães. Prosseguiu estudos com o professor Piñeiro Nagy e mais tarde seria professor nessa escola durante dez anos.

Frequentou o Curso de Guitarra de Alberto Ponce e também o de Música de câmara com Alberto Lisy

Como tocador de alaúde, fez parte do grupo de música antiga La Batalla dirigido por Pedro Caldeira Cabral, com quem gravou o álbum "Cantigas de Amigo"

Trabalhou como músico, arranjador e compositor com Maria João, Janita Salomé, José Mário Branco, Rui Veloso, Mafalda Veiga, entre outros.

Em 1989 foi fundador dos grupos Cal Viva (com Carlos Bica) e Trio Guitarras de Lisboa (com José Mesquita Lopes e António Ferreirinho).

Faz digressões europeias com Maria João, Mário Laginha, Carlos Bica e José Salgueiro, e grava para a editora ENJA.

Em 1989 é o diretor musical do disco "Feiabonita" de Anamar.

Em 1993 é convidado para os Madredeus.

Gravou o seu primeiro trabalho a solo, "As Vozes do Passo", em 1996.

É lançado depois o disco "A Vida de Um Dia".

É editada a compilação "Tempo-Antologia" com temas da sua carreia a solo e em grupo.

Em 2000, Teresa Salgueiro e José Peixoto participam num disco de Angelo Branduardi.

Com Fernando Júdice, seu colega nos Madredeus, forma o projeto Carinhoso que lança em 2002 um disco dedicado ao brasileiro Pixinguinha.

Grava um disco com Maria João.

Com Fernando Júdice e Ana Sofia Varela formou os SAL que lançaram o disco de estreia em 2007. Ainda nesse ano é anunciado o abandono dos Madredeus.

Em 2008, foi convidado por José Salgueiro para integrar o projeto ADUF, do qual resultou um disco em estúdio e um CD+DVD ao vivo.

Em 2013 além de promover o seu mais recente disco "Volta" (2012) com António Quintino e José Salgueiro, também integra o Quinteto de Lisboa um projeto à volta do Fado, autointitulado de "Nova Música Urbana Portuguesa" com João Gil, Fernando Júdice, e as vozes de de Hélder Moutinho e Maria Berasarte, tendo ainda a participação na composição de João Monge (letrista).

Em 2015-16 integra o Lisboa String Trio, com Bernardo Couto (guitarra portuguesa) e Carlos Barretto (contrabaixo).

Discografia[editar | editar código-fonte]

Com SISH:

  • «Espaços» (1987)

Com EL FAD:

  • «El Fad» (1988)
  • «VIVO» (Grão Editora, 2008)
  • «Lunar» (JACC Records, 2010)

Com grupo CAL VIVA:

  • «Cal Viva» (1989)
  • «Sol» c/Maria João (Enja, 1991)

Com TAIFA:

  • «Taifa» (1993)

Com MADREDEUS:

  • «Espírito da Paz» (Metro Blue, 1994)
  • «Ainda» banda sonora do filme Lisbon Story de Wim Wenders (Blue Note, 1995)
  • «O Paraíso» (Metro Blue, 1997)
  • «O Porto» Ao vivo Coliseu do Porto (1998)
  • «Movimento» (Blue Note, 2001)
  • «Amor infinito» (EMI, 2004)
  • «Faluas do Tejo» (EMI, 2005)

A Solo:

  • «As Vozes dos Passos» (União Lisboa, 1996)
  • «A Vida de Um Dia» (União Lisboa, 1998)
  • «O Que Me Diz O Espelho da Água» (2000)
  • «Aceno» (Zona Música, (2003)

Com Fernando Júdice:

  • «Carinhoso» (2002)

Com Filipa Pais:

  • «Estrela» (Zona Música, 2004)

Com Maria João:

  • «Pele» (Zona Música, 2006)

Com SAL:

  • «Sal» (E3C Music, 2007)

Com Maria Berasarte:

  • «Todas las horas son viejas» (Universal Music, 2008)

Com ADUF:

  • «Aduf» (Aduf edições, 2010)

Com António Quintino & José Salgueiro:

  • «Volta» (JACC Records, 2012)

Com Lisboa String Trio:

  • «LST Lisboa» (Primetime Records / Antena 1, 2015)

Prémios[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]