José Vicente Barbosa du Bocage

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Vicente Barbosa du Bocage
Nome nativo José Vicente Barbosa du Bocage
Nascimento 2 de maio de 1823
Funchal
Morte 3 de novembro de 1907 (84 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal
Alma mater Universidade de Coimbra
Ocupação zoólogo, político, escritor

José Vicente Barbosa du Bocage (Funchal, 2 de Maio de 1823Lisboa, 3 de novembro de 1907) foi um zoólogo e político português.

Foi curador de zoologia do Museu de História Natural de Lisboa. Publicou extensa obra sobre mamíferos, aves e peixes. Na década de 1880 foi Ministro da Marinha e mais tarde Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal. Por decreto governamental de 10 de Abril de 1905 a secção de zoologia do Museu Nacional de Lisboa foi nomeada como "Museu José Vicente Barbosa du Bocage" em sua honra.

Bocage estudou na Universidade de Coimbra de 1839 a 1846. Tornou-se professor de Zoologia na Universidade de Lisboa em 1851, onde ensinou por mais de 30 anos. Em 1858, tornou-se director científico e curador de Zoologia do Museu de História Natural da Escola Politécnica.

O seu trabalho no Museu consistia em adquirir, descrever e coordenar colecções, muitas das quais provinham das colónias portuguesas em África, como Angola e Moçambique, enviadas por naturalistas como José Alberto de Oliveira Anchieta (1832-1897). Com este propósito, Bocage criou procedimentos padrões para a colecção, preparação e envio de espécimenes para o Museu no seu livro "Instrucções Practicas sobre o Modo de Colligir, Preparar e Remetter Productos Zoológicos para o Museu de Lisboa" (1862). Em 1860 conseguiu a devolução de algumas colecções que tinham sido removidas do Museu durante as invasões napoleónicas de Portugal, que incluíram espécimenes preciosos recolhidos pelo naturalista francês Étienne Geoffroy Saint-Hilaire (1772-1844) no Brasil.

Em 1875 foi eleito Vice-Presidente da Academia Real das Ciências de Lisboa. Reformou-se das actividades educacionais e científicas em 1880, tendo permanecido director do Museu até decidir dedicar o resto da sua vida à política, primeiro como Ministro da Marinha e Possessões Ultramarinas e mais tarde como Ministro dos Negócios Estrangeiros, de 1883 a 1886.

Bocage publicou mais de 200 artigos taxonómicos sobre mamíferos, aves, répteis, anfíbios, peixes e muitos outros. Foi responsável pela identificação de muitas novas espécies, que nomeeou de acordo com o naturalista que os descobriu (por exemplo, muitas novas espécies receberam a designação de anchietae em homenagem a José Alberto de Oliveira Anchieta).

José Vicente era primo em segundo grau do poeta Manuel Maria Barbosa du Bocage (1765-1805).

Obras seleccionadas[editar | editar código-fonte]

  • "A ornitologia dos Açores", Jorn. Scien. Math. Phys. Natur 1: 89-92, 1866.
  • "Natural history of the Azores by F. Du Cane Godman, London 1870", Jorn. Scien. Math. Phys. Natur 4: 279-280, 1873.
  • Aves das possessões portuguesas d'África occidental que existem no Museu de Lisboa, da 1ª à 24ª lista, 1868 a 1882
  • Lista dos répteis das possessões portuguesas d'África occidental que existem no Museu de Lisboa, 1866
  • Notice sur un batracien nouveau du Portugal, 1864
  • Diagnose de algumas espécies inéditas da família Squalidae que frequentam os nossos mares, 1864
  • Peixes plagiostomos, 1866
  • Ornithologie d'Angola, 1881 and 1877
  • Herpethologie d'Angola et du Congo, 1895.

Referências gerais[editar | editar código-fonte]

  • Almaça, C.,1987. A Zoologia e a Antropologia na Escola Politécnica e na Faculdade de Ciências (até 1983). In: Fac.Ciências da Univ.Lisboa. Passado/Presente e Perspectivas Futuras, 150º aniversário da Escola Politécnica, 75º aniv.Fac. Ciências, 293-312.
  • Burnay E., 1903. Comemorações Sociaes – O conselheiro Barboza du Bocage. Boletim da Sociedade de Geographia de Lisboa, 21ª. Série, nº7:245-253.
  • Osório, B., 1915. Elogio Histórico do Illustre Naturalista e Professor J.V.Barboza du Bocage. Memórias do Museu Bocage: 1-42

Ligações externas[editar | editar código-fonte]