José Vitorino Damásio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
José Vitorino Damásio

José Vitorino Damásio CvTE (Vila da Feira, 2 de Novembro de 1806 - Lisboa, 19 de Outubro de 1875) foi engenheiro, professor da Academia Politécnica do Porto, director do Instituto Industrial de Lisboa e fundador da Associação Industrial Portuense, hoje Associação Empresarial de Portugal, em Portugal.

Nascido na então chamada Vila da Feira (hoje Santa Maria da Feira), José Vitorino Damásio formou-se como bacharel na Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra em Filosofia e Matemática.

Alistou-se em 1828 no Batalhão dos Voluntários Académicos, tendo combatido contra as forças absolutistas de D. Miguel durante as Guerras Liberais. Após o fracasso da Belfastada, esteve exilado na Galiza e em Plymouth. Participou nas operações de ocupação das ilhas do Pico, São Jorge e São Miguel tendo, em 1832, desembarcado no Mindelo como 2.º tenente de Artilharia no Exército de D. Pedro IV. Foi condecorado com o grau de Cavaleiro da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, por actos de valentia em combate durante o Cerco do Porto, onde foi ferido várias vezes.

Após completar o bacharelato em Coimbra em 1837, foi nomeado lente da Academia Politécnica do Porto, onde ministrou, de 1838 a 1851, várias cadeiras da área de Engenharia, Estabilidade, Construção de Máquinas a Vapor e Hidráulica. Foi engenheiro-director das Obras Públicas do distrito, onde, entre outras obras, se encarregou da construção da estrada do Alto da Bandeira aos Carvalhos, empregando ali o sistema de cilindragem concebido pelo engenheiro francês Antoine-Rémy Polonceau, que era desconhecido em Portugal.

Em 1852, José Vitorino Damásio foi nomeado para a Comissão Central de Pesos e Medidas, destinada a implementar o sistema métrico decimal em Portugal, e para a comissão encarregada de fiscalizar a construção de máquinas a vapor. Em 1855, foi encarregado pelo governo do Duque de Saldanha de se deslocar à Exposição Universal de Paris, a fim de estudar os desenvolvimentos feitos no estrangeiro, na área dos caminhos-de-ferro.

Vitorino Damásio fundou, com Faria Guimarães, a Fundição do Bolhão, introduzindo a indústria do fabrico da louça de ferro fundido esmaltada e estanhada a banho. Em Lisboa foi reitor do Instituto Industrial, antepassado do actual Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, director da Companhia das Águas, empresa que veio dar origem à EPAL, e director-geral dos Telégrafos, actual CTT.

Em 1849, Vitorino Damásio encabeçou um movimento que levou à criação da Associação Industrial Portuense, hoje Associação Empresarial de Portugal, da qual foi, mais tarde, o seu terceiro presidente.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • LIMA, António Luís Pedroso de. Bicentenário do Corpo Telegráfico, 1810-2010. Lisboa: Comissão Portuguesa de História Militar, 2010. ISBN 978-989-95946-3-0.
Ícone de esboço Este artigo sobre Personalidades, integrado no Projecto Grande Porto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.