José da Rocha Furtado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rocha Furtado
Nome completo José da Rocha Furtado
Nascimento 24 de fevereiro de 1909
União,  Piauí
Morte 27 de fevereiro de 2005 (96 anos)
Fortaleza,  Ceará
Nacionalidade brasileiro
Filho(s) Silvio (médico)
Marcos (advogado)
Adolfo (assessor parlamentar da Câmara dos Deputados)
José (arquiteto)
Antônio (diretor do FMI)
Ocupação médico e político
Escola/tradição Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil

José da Rocha Furtado (União, 24 de fevereiro de 1909Fortaleza, 27 de fevereiro de 2005) foi um médico e político brasileiro que foi eleito governador do Piauí em 1947.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formado em medicina em 1932 pela Universidade Federal do Rio de Janeiro com especialização em Cirurgia Geral, exerceu sua profissão e amealhou popularidade suficiente para disputar o governo do estado pela UDN em 1947 enfrentando a máquina pessedista que trabalhou arduamente pela candidatura de Gaioso e Almendra. Ao cabo de uma férrea campanha foi eleito em 19 de janeiro o primeiro governador do estado no pós-guerra e empossado em 28 de abril, contudo a ausência de maioria parlamentar (elegeu quatorze representantes contra dezessete do PSD e um do PTB) o levou a governar em permanente litígio com os deputados. Logo um clima de radicalização política se instalou no cotidiano do estado e logo o próprio governador enfrentaria um processo de impeachment, afinal rechaçado. Outro exemplo de beligerância política foi a recusa da bancada udenista em assinar a Constituição estadual promulgada em agosto de 1947.

Em seu governo foi construída a usina termoelétrica de Teresina e foram realizadas eleições municipais em 1948, entretanto os embates políticos persistiam e o governo ainda enfrentava resistências oriundas do Legislativo e Judiciário e de resto passou a enfrentar dissensões internas. Tal radicalização refletiu-se nas eleições de 1950 cujo resultado apontou a vitória de Pedro Freitas (PSD) sobre Eurípedes Aguiar (UDN) por menos de 1500 votos sendo que no pleito anterior o pessedismo fora derrotado por uma diferença três vezes maior.

Encerrado o seu governo, José da Rocha Furtado passou a residir na capital cearense e retornou à vida pública como Secretário de Saúde ao longo do governo Plácido Castelo (1966-1971) recebendo o título de cidadão cearense em reconhecimento a sua gestão, entretanto nenhum de seus filhos seguiu carreira política. Faleceu vítima de insuficiência cardíaca.

Fonte de pesquisa[editar | editar código-fonte]

SANTOS, José Lopes dos. Política e Políticos: eleições 86. Teresina: Gráfica Mendes, 1988. v. I.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Valdir Gonçalves
Governador do Piauí
1947 – 1951
Sucedido por
Pedro Freitas