José de Segadas Viana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

José de Segadas Viana (Rio de Janeiro, 1 de julho de 1906 — Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1991) foi um político brasileiro.

Foi ministro do Trabalho, Indústria e Comércio no governo Getúlio Vargas, de 5 de setembro de 1951 a 17 de junho de 1953. Voltou a assumir o mesmo posto interinamente no governo Ranieri Mazzilli, de 28 de agosto a 8 de setembro de 1961.

Foi Secretário de Segurança do antigo Estado da Guanabara em 1961, sob a gestão Carlos Lacerda.

Jornalista, coautor da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), membro da Organização Internacional do Trabalho, elaborou a Constituição da República Dominicana em 1960.

Diretor no Ministério do Trabalho, na gestão de Lindolfo Collor, deu um parecer contrário à entrada da Coca-Cola no Brasil, seguindo pareceres técnicos da época.

Foi deputado constituinte em 1946 e em 1954. Saiu do Ministério do Trabalho no governo Vargas por discordar da aliança do então deputado João Goulart com os comunistas.

Em 1958 desligou-se do PTB, por discordar da aliança oficial entre o PTB (comandado por Jango) e os partidos comunistas. Tem três filhos, sendo um deles o jornalista José T . de Segadas Vianna

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Danton Coelho
Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio do Brasil
1951 — 1953
Sucedido por
João Goulart
Precedido por
Francisco Carlos de Castro Neves
Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio do Brasil
1961
Sucedido por
André Franco Montoro


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.