Josef Koudelka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Josef Koudelka
Nome completo Josef Koudelka
Nascimento 1938
Boskovice
Residência Paris e Praga
Nacionalidade Checa e Francesa
Ocupação Fotógrafo

Josef Koudelka (nascido a 10 de janeiro de 1938) é um fotógrafo checo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Koudelka nasceu em 1938 na pequena cidade de Boskovice, na região da Morávia, na Checoslováquia. Começou a fotografar a sua família e os arredores com uma câmara 6 × 6 de baquelite. Estudou na Universidade Técnica Checa em Praga (CVUT) entre 1956 e 1961, tendo recebido um diploma em engenharia em 1961. Organizou a sua primeira exposição fotográfica neste mesmo ano. Mais tarde, trabalhou como engenheiro aeronáutico em Praga e Bratislava.

Koudelka começou a trabalhar para revistas de teatro, tendo fotografado regularmente produções teatrais no "Teatro de Praga Atrás do Portão", usando uma câmara Rolleiflex.

Em 1967, desistiu da sua carreira em engenharia, passando a dedicar-se de ao seu trabalho fotográfico a tempo inteiro.

Apenas dois dias após o seu regresso de uma projeto fotográfico com o Povo Români na Romênia, deu-se a invasão soviética da Checoslováquia, em agosto de 1968. Testemunhou e registou a entrada das forças militares do Pacto de Varsóvia em Praga e o esmagamento das reformas da chamada Primavera de Praga. Os negativos de Koudelka foram contrabandeados para fora de Praga até à agência Magnum, tendo sido publicados anonimamente no jornal The Sunday Times, sob a sigla P.P. (Praga Photographer), por receio de represálias contra si e contra a sua família.

As fotos de Koudelka destes eventos tornaram-se símbolos famosos internacionalmente.

Em 1969, o "fotógrafo checo anónimo" foi premiado com Overseas Press Club Robert Capa Gold Medal para fotografias que exigem uma coragem excecional.

Após a Magnum a escrever uma carta de recomendação às autoridades britânicas, Koudelka pediu um visto de trabalho de três meses e fugiu para a Inglaterra em 1970, onde pediu asilo político e permaneceu por mais de uma década.

Em 1971, juntou-se à Magnum Photos, tendo continuado a vagar pela Europa com sua câmara e pouco mais.

Ao longo dos anos 1970 e 1980, Koudelka conseguiu sustentar o seu trabalho fotográfico através de numerosas bolsas e prémios, tendo continuado a apresentar e publicar grandes projetos como Ciganos (1975) e Exilados (1988).

Desde 1986, tem trabalhado com uma câmara panorâmica, tendo publicado uma compilação destas fotografias no seu livro Chaos de 1999.

Koudelka tem vindo a publicar vários livros com as suas obras, incluindo, em 2006, a retrospetiva Koudelka.

Koudelka ganhou prémios como o Prix Nadar (1978),[1] o Grand Prix National de la Photographie (1989), o Grand Prix Cartier-Bresson (1991), e o Prêmio Internacional Fundação Hasselblad em Fotografia (1992)

Koudelka e a sua obra receberam apoio e reconhecimento do seu amigo, o fotógrafo francês Henri Cartier-Bresson, tendo também sido apoiado pelo historiadora de arte checa Anna Farova.[2]

Em 1987, Koudelka tornou-se um cidadão francês. Teve a possibilidade de retornar à Checoslováquia, pela primeira vez, em 1990. Em seguida, produziu Triângulo Negro, documentando a paisagem destruída na região de Podkrušnohoří, a ponta ocidental do Triângulo negro (região) sopé das Montanhas Ore, localizado entre a Alemanha e a República Checa.

Koudelka vive atualmente em França e em Praga, onde continua o seu trabalho de documentação da paisagem europeia.

Tem duas filhas e um filho.

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • 1967 – Award by Union of Czechoslovakian Artists, Czechoslovakia
  • 1969 – Robert Capa Gold Medal Award, National Press Photographers Association, EUA
  • 1972 – "British Arts Council Grant to cover Kendal and Southend", Reino Unido
  • 1973 – "British Arts Council Grant to cover Gypsy life in Britain", Reino Unido
  • 1976 – "Arts Council of Great Britain grant to cover life in the British Isles", Reino Unido
  • 1978 – Prix Nadar, França.[1]
  • 1980 – National Endowment for the Arts Council, EUA
  • 1987 – Grand Prix National de la Photographie, França
  • 1989 – Grand Prix National de la Photographie, França
  • 1991 – Grand Prix Henri Cartier-Bresson,, França
  • 1992 – Erna and Victor Hasselblad Foundation Photography Prize, Suécia
  • 1998 – "The Royal Photographic Society's Centenary Medal and Honorary Fellowship (HonFRPS) in recognition of a sustained, significant contribution to the art of photography", em 1998.[3]
  • 2004 – Cornell Capa Infinity Award, International Center of Photography, EUA
  • 2015 – Dr. Erich Salomon Award,[4][5] Alemanha

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Diskutujeme o moralce dneska, Nakladatelstvi Politické Literatury, Checoslováquia, 1965.
  • Kral Ubu: Rozbor inscenace Divadla Na Zabradli v Praze (with Alfred Jarry), Divadelni Ustav, Checoslováquia, 1966.
  • Rozbor insenace Divadla Na zabradli v Praze, 1966.
  • Josef Koudelka, 1968.
  • Gitans : la fin du voyage. Paris: Delpire, ASIN B0014M0TV8; Gypsies, US: Aperture, ISBN 978-0-912334-74-5, 1975.
  • Josef Koudelka: I Grandi Fotografi, Gruppo Editoriale Fabbri, Itália, 1982.
  • Josef Koudelka Photo Poche, Centre National de la Photographie, França, 1984.
  • Josef Koudelka. Photographs by Josef Koudelka. Introduction by Bernard Cuau. Centre National de la Photographie, Paris, França, 1984.
  • Exiles.
  • Josef Koudelka, Mission Photographique Transmanche, Editions de la Différence, França, 1989.
  • Animaux, Trois Cailloux/maison de la Culture d'Amiens, França,1990.
  • Prague 1968, Centre National de la Photographie, França, 1990.
  • Josef Koudelka: Fotografie Divadlo za branou 1965–1970, Divadlo za Branou II, Republica Checa, 1993.
  • Josef Koudelka. Photographs by Josef Koudelka, Hasselblad center, 1993.
  • Cerný Trojuhelník – Podkrušnohorí : Fotografie 1990–1994 (The Black Triangle: The Foothills of the Ore Mountain) Vesmir, Republica Checa, 1994.
  • Photopoche: Josef Koudleka ,França , 1997, ISBN 978-2-09-754114-7.
  • Reconnaissance Wales, Cardiff, UK: Fotogallery/ National Museums and Galleries of Wales, 1998, ISBN 978-1-872771-45-8., Reino Unido
  • Chaos, França: Nathan/Delpire; Reino Unido: Phaidon Press; Itália: Federico Motta Editore, 1999, ISBN 978-0-7148-4594-4.
  • Lime Stone, La Martinière, França, 2001.
  • Josef Koudelka, Torst, Republica Checa, 2002, ISBN 978-80-7215-166-0.
  • Théâtre du Temps, France: Actes Sud, ISBN 978-2-7427-4435-0; (Teatro del Tempo), Peliti Associati, Itália; Apeiron, Grécia, 2003.
  • L'épreuve totalitaire (essay by Jean-Pierre Montier), Delpire, França, 2004.
  • Koudelka: Camargue, Actes Sud, França, 2006, ISBN 978-2-7427-6174-6.
  • Koudelka, França: Delpire; Itália: Contrasto; EUA: Aperture; Reino Unido: Thames & Hudson; Alemanha: Braus; Espanha: Lunwerg; , República Checa: Fototorst, 2006
  • Joseph Koudelka Photofile, Thames & Hudson, 2007, ISBN 978-0-500-41083-7, Reino Unido
  • Invasion 68: Prague, EUA : Aperture Foundation, ISBN 978-1-59711-068-6; França: Editions Tana, ISBN 978-2-84567-438-7, 2008.
  • Koudelka Piedmont Contrasto, 2010, ISBN 978-88-6965-217-2.
  • Roma. Göttingen: Steidl, 2011. ISBN 9783869303888.
  • Lime, 2012, Paris: Xavier Barral, ISBN 978-2-9151-7385-7.
  • Wall, 2013, Aperture Foundation, ISBN 978-1-5971-1241-3.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Warren, Lynne (2005). Encyclopedia of Twentieth-Century Photography, 3-Volume Set. [S.l.]: Routledge. p. 134. ISBN 9781135205430 
  2. Richter, Jan (2 de março de 2010). «Art historian Anna Fárová dies at 81». Radio Prague. Consultado em 2 de março de 2010 
  3. Royal Photographic Society's Centenary Award Accessed 13 August 2012
  4. «Auszeichnung für Josef Koudelka». Deutschlandradio Kultur. 7 de Novembro de 2015. Consultado em 8 de Novembro de 2015 
  5. «The Dr. Erich Salomon Award of the Deutsche Gesellschaft für Photographie (DGPh)». Deutsche Gesellschaft für Photographie e.V. Consultado em 8 de Novembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]