Josimar Higino Pereira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Josimar
Informações pessoais
Nome completo Josimar Higino Pereira
Data de nasc. 19 de setembro de 1961 (57 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,75m[1]
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Lateral-direito
Clubes de juventude
1977–1980 Botafogo
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1981–1989
1989
1989–1990
1991
1991
1991
1991
1992–1994
1994–1996
1997
1997
Botafogo
Sevilla
Flamengo
Internacional
Novo Hamburgo
Bangu
Fortaleza
Jorge Wilstermann
Fast Clube
Mineros de Guayana
Baré
00094 0000(3)
00013 0000(0)
00018 0000(0)
00000 0000(0)
00000 0000(0)
00019 0000(0)
00000 0000(0)
00000 0000(0)
00000 0000(0)
00000 0000(0)
00000 0000(0)
Seleção nacional
1986–1989 Brasil 00016 0000(2)

Josimar Higino Pereira (Rio de Janeiro, 19 de setembro de 1961[1]) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como lateral-direito.[2]

Carreira em clubes[editar | editar código-fonte]

Notabilizou-se jogando no Botafogo, entre 1981 e 1989. Foram, no total, 94 partidas e 3 gols.

Após deixar o Glorioso, teve uma rápida passagem pelo Sevilla (13 jogos) antes de voltar ao Brasil, desta vez para defender o Flamengo entre 1989 e 1990 (18 partidas). Passou ainda por Internacional, Novo Hamburgo, Bangu, Fortaleza, Jorge Wilstermann, Fast Clube, Mineros de Guayana e Baré, onde encerrou a carreira em 1997.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Jogou a Copa do Mundo de 1986, no México.[3] Não estava na lista de convocados de Telê Santana para a competição, porém foi beneficiado com a dispensa de Leandro e foi chamado para seu lugar.[4]

Inicialmente reserva, foi beneficiado com a lesão do então titular Édson Boaro na partida contra a Argélia e ganhou a titularidade no jogo frente à Irlanda do Norte, ficando conhecido após receber da intermediária e mandar um chute que acertou o canto superior direito do veterano goleiro Pat Jennings, fazendo o terceiro gol e garantindo a classificação para as oitavas-de-final, contra a Polônia. Neste último jogo, fez outro belo gol ao driblar 3 adversários antes de mandar um chute quase sem ângulo). Estes foram os únicos gols de Josimar (que foi incluído na seleção da Copa) pela Seleção Brasileira, pela qual conquistou a Taça Stanley Rous, em 1987, e a Copa América de 1989. Em 16 partidas, venceu 11 e empatou 3.

Embora tivesse atuado em jogos das eliminatórias sul-americanas para a Copa de 1990, Josimar não foi convocado para o torneio.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Durante a carreira, foi apelidado de "Josibar" devido a seus problemas com álcool e drogas.

Um de seus filhos, Josimar Júnior, é também jogador de futebol profissional - assim como seu pai, foi revelado no Botafogo e pouco depois foi para o Cruzeiro, entretanto nunca jogou profissionalmente por ambos - seu último clube foi o Batel (Paraná), que defendeu entre 2017 e 2018.

Atualmente é promotor de eventos esportivos[5] e chegou inclusive a virar nome de revista na Noruega.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira
Botafogo
Flamengo
Internacional
Fortaleza

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Editora Abril (1988). Placar Magazine. Editora Abril. p. 23.
  2. «The blondes came and the training went – I wasted it all: Josimar on Mexico 86 | FourFourTwo». FourFourTwo. Consultado em 26 de agosto de 2014 
  3. Editora Abril (1995). Placar Magazine. Editora Abril. p. 70.
  4. «#44: Josimar, o lateral que brilhou na Copa de 86 'por acaso'». Dentro do Campo. 1 de maio de 2018. Consultado em 9 de maio de 2019 
  5. «CRAQUE bate papo com Josimar que agora é 'promoter' de eventos esportivos». A Crítica. 28 de setembro de 2017. Consultado em 9 de maio de 2019