Jotalhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jotalhão
Personagem fictícia de Turma da Mata
Nome original Jotalhão
Sexo masculino
Origem Amazônia, Brasil
Espécie elefante
Características Algumas vezes arranja confusões pelo fato de ser obeso
Amigo(s) DuDevils, Chaparossi
Criado por Mauricio de Sousa
Série(s) Turma da Mata
Primeira aparição 1962 (Mascote)
6 de janeiro de 1965 (Tirinha do Raposão)
Editora(s) Editora Abril
Editora Globo
Panini Comics

O Jotalhão é um personagem de histórias em quadrinhos criado por Mauricio de Sousa em 1962 (como mascote) e 6 de janeiro de 1965 (nas tiras do Raposão).[1] Inserindo-se no grupo de personagens da Turma da Mata, originalmente foi criado para ser mascote de um jornal na época sendo um elefante cor de rosa, mas acabou sendo cancelado tendo sua primeira aparição em 6 de janeiro de 1965 nas tiras do Raposão. O personagem se tornou mascote da Elefante, marca de extrato de tomate agora pertencente à Cargill, antes Knorr e Cica no final dos anos noventa, desde então passou a ser um elefante verde.

Características[editar | editar código-fonte]

Jotalhão é um elefante verde e desajeitado, protetor das matas contra os caçadores. Às vezes ele come e arrota muito. Possui muitos amigos na Turma da Mata, dentre eles o Raposão, o Coelho Caolho e Rita Najura, uma formiguinha eternamente apaixonada por ele.

Jotalhão também aparece na Turma da Mônica Jovem na dimensão Tchalu ajudando a Turma da Mônica a se preparar para o Torneio de Luta.

Publicidade[editar | editar código-fonte]

Jotalhão foi criado em 1962 como mascote para uma campanha publicitária do Jornal do Brasil que tinha um elefante como símbolo de seu caderno de anúncios classificados. A campanha acabou sendo cancelada e o personagem foi oferecido então à Cica (antigamente de Knorr, de propriedade da Unilever) e agora, o personagem aparece na lata da Cargill, sendo adotado no ano de 1979. A música do comercial era "Ô Mônica, abrace o elefante...". Jotalhão é, até hoje, um garoto-propraganda do extrato de tomate.

O elefante na embalagem é uma homenagem da família Messina, uma das fundadoras da Cica, à sua terra natal: na praça principal de Catania, capital da Sicília, existe a famosa Fontana dell'Elefante.

Especula-se que a relação do personagem com o extrato de tomate seja o fato de que Rodolfo "Rudi" Bonfiglioli, filho de um dos fundadores da empresa, seria um notório adepto de caçadas de elefantes.[carece de fontes?]


Outras versões[editar | editar código-fonte]

Em 2010, o personagem ganhou releituras por André Ducci[2] e Rafael Grampá no álbum MSP +50, publicado pela Panini Comics[3]

Em 2013, a Panini anunciou uma graphic novel da linha Graphic MSP protagonizada pela Turma da Mata, escrita por Artur Fujita, desenhos de Greg Tocchini e arte-final e cores de Davi Calil, contudo, com a impossibilidade da participação de Tocchini, o editor Sidney Gusman anunciou que teria que escolher outro ilustrador, em 2015, foi lançada a graphic novel de aventura Turma da Mata – Muralha com desenhos de Roger Cruz.[4]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]