Jovan Oliver

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jovan Oliver Grčinić
Senhor de Ovče Pole e da margem esquerda do Vardar
Afresco de Jovan Oliver no Mosteiro de Lesnovo na República da Macedônia.
Governo
Reinado 813833
Títulos Grande voivoda
Déspota
sebastocrator
Vida
Nome completo Jovan Oliver Grčinić
(Јован Оливер Грчинић)
Nascimento ca. 1310
Morte ca. 1356 (46 anos)
Cônjuges
Karavida (†1336)
Maria Paleóloga
Filhos Família
Pai vlastelin Grčin

Jovan Oliver Grčinić (em sérvio: Јован Оливер Грчинић) foi um magnata a serviço do imperador da Sérvia Estêvão IV Duchan (r. 1331-1355), com os títulos de sebastocrator e déspota, e o status de grande voivoda, o que o colocava entre os mais poderosos nobres de Duchan. Oliver apoiou o imperador na guerra de sucessão contra o pai e foi um dos generais supremos nas expedições militares nas regiões ao sul do reino, Macedônia e a Tessália. Sua província incluía Ovče Pole e a margem esquerda do rio Vardar. Após a morte de Duchan, não há mais menções de Oliver. Na queda do Império da Sérvia, suas terras foram tomadas pelos Dejanović.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Jovan era filho de um vlastelin Grčin ("grego") que tinha terras em alguma parte do Reino da Sérvia.

Ele aparece em uma fonte da República de Ragusa como Oliver Grčinić e o conhecimento que ele tinha do grego apóia a hipótese de uma ascendência grega[1] . Ele governou seus domínios, atualmente na República da Macedônia, como um príncipe semi-independente, reconhecendo a suserania de Duchan, mas sem ser subordinado a ele[1] . Provavelmente apoiou o golpe de Duchan contra o pai, o rei Estêvão Decanski, em 1331, e, após a morte de sua primeira esposa, Karavida, em 1336, casou-se com Maria Paleóloga, a madrasta de Duchan (e ex-mulher de Decanski). Há um razoável debate acadêmico sobre como Jovan teria adquirido seus domínios, ou seja, se ele já os tinha antes da ascensão de Duchan, se ele os recebeu como prêmio por apoiá-lo ou se ele os conseguiu se casando com Maria[2] .

Qualquer que seja a resposta, ele era um dos mais poderosos nobres sob Duchan e exercia considerável influência sobre ele, como se evidencia nas negociações de julho de 1342 que levaram à decisão de apoiar João VI Cantacuzeno na guerra civil bizantina de 1341-1347. Ele esperava, em troca, conseguir casar sua filha com Manuel Cantacuzeno[3] . Jovan também esteve ativo na guerra de 1334 contra o Império Bizantino e esteve presente nas negociações de paz juntamente com Vratko Nemanjić e provavelmente foi ali que ele recebeu o título de déspota de Andrônico III Paleólogo[2] . Com a morte de Hrelja no final de 1342, seu território foi dividido entre Jovan e Duchan, com Oliver recebendo as importantes cidades de Štip e Estrúmica[4] .

Em 1341, imitando os reis sérvios, ele construiu um mosteiro ortodoxo em Lesnovo para pagar uma zadužbina ("promessa")[4] . Jovan viveu mais do que Duchan, mas, após sua morte, seus filhos não conseguiram se afirmar: possivelmente sofrendo a oposição de uma coalizão de nobres, eles não conseguiram mais nenhuma posição importante e a maioria das terras de seu pai foram tomadas por Constantino e Jovan, os filhos do sebastocrator Dejan Dragaš de Kumanovo[5] .

Família[editar | editar código-fonte]

Jovan Oliver teve sete filhos:

  • Danica
  • Krajko
  • Damjan
  • Vidoslav
  • Dabiživ
  • Rusin
  • Oliver

Referências

  1. a b Fine 1994, p. 298
  2. a b Fine 1994, p. 299
  3. Fine 1994, pp. 297–298
  4. a b Fine 1994, p. 300
  5. Fine 1994, p. 358

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Jovan Oliver