Juarez Távora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o município da Paraíba, veja Juarez Távora (Paraíba).

Juarez Távora
Nascimento 14 de janeiro de 1898
Jaguaribe,CE
Morte 18 de julho de 1975 (77 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Militar, política

Juarez do Nascimento Fernandes Távora (Jaguaribemirim, Ceará 14 de janeiro de 1898Rio de Janeiro, 18 de julho de 1975) foi um militar e político brasileiro.

Távora nasceu na fazenda do Embargo entre Aracati e Crato, estudou na Escola Militar do Realengo no Rio de Janeiro e tornou-se aspirante em 1919. Em 1924 participou do movimento revolucionário paulista contra o Presidente Arthur Bernardes. Em 1926 integrou-se à Coluna Prestes, sendo preso em combate e libertado no governo de Washington Luís.

Comandou as forças nordestinas que apoiavam Getúlio Vargas em 1930, recebendo o apelido de "Vice-Rei do Norte". Participou da repressão à Revolução Constitucionalista de 1932.

Durante a Era Vargas foi ministro da Agricultura de 22 de novembro de 1932 até 24 de julho de 1934. Foi também ministro dos Transportes nos governos de Getúlio Vargas, de 4 a 5 de novembro de 1930. Como coronel, na década de 1940, foi adido militar no Chile. Anos mais tarde rompe com Vargas e envolve-se nas conspirações que levam a deposição do ditador em 1945.

Foi comandante da Escola Superior de Guerra, entre 11 de dezembro de 1952 e 20 de agosto de 1954.[1]

Em 1954 foi um dos líderes da articulação política que resultou no suicídio de Vargas, no ano seguinte candidatou-se a presidência da República pelo PDC (apoiado pela UDN), perdendo na eleição para Juscelino Kubitschek. Em 1962 se elegeu deputado federal pelo estado da Guanabara, com 33.361 votos, tornando-se o quinto mais bem votado do estado naquele pleito, fazendo parte da 42.ª legislatura da Câmara dos Deputados, que iniciava em 1963 e expirava em 1967.

Defendia a posição que ficou conhecida como entreguista em relação à exploração de petróleo no Brasil, tendo sido o principal líder dos que se opunham à criação da Petrobras.

Participou da eleição presidencial de 1964, ficando em 2º lugar com 3 votos, perdendo para Castelo Branco, que recebeu 361, e estando a frente do ex-presidente Dutra, que recebeu 2.

No governo Castelo Branco foi ministro dos Transportes, de 15 de abril de 1964 a 15 de março de 1967.

Referências

  1. «Galeria dos antigos Comandantes da ESG». Consultado em 12 de novembro de 2014. 

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Juarez Távora

1964


Precedido por
Paulo de Moraes Barros
Ministro dos Transportes do Brasil
1930
Sucedido por
Paulo de Moraes Barros
Precedido por
Joaquim Francisco de Assis Brasil
Ministro da Agricultura do Brasil
1932 — 1934
Sucedido por
Edmundo Navarro de Andrade
Precedido por
Aguinaldo Caiado de Castro
Chefe do Gabinete Militar
1954 — 1955
Sucedido por
José Bina Machado
Precedido por
Augusto Rademaker
Ministro dos Transportes do Brasil
1964 — 1967
Sucedido por
José Crisanto Seabra Fagundes


Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Juarez Távora