Judith Levine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Judith Levine (n. 1952 ) é uma escritora americana, jornalista, libertária civil e membro fundador da National Writers Union, um sindicato de escritores independentes, e de No More Nice Girls, um grupo dedicado a defender o direito ao aborto através do teatro de rua. Ela é membro da junta directiva do Centro Nacional pela Razão e a Justiça[1] e porta-voz da União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU) de Vermont.

Levine tem escrito sobre sexo, identidade de gênero, velhice, consumismo e cultura em inúmeras revistas e jornais do seu país, incluindo Harper's, The New York Times, Vogue, AARP: The Magazine e salon.com. A sua coluna "Poly Psi", no semanário de Vermont Seven Days,[2] foi nomeada como a Melhor Coluna Política de 2006 pela Association of Alternative Newsmedia.[3] Também tem escrito colunas para o New York Woman e oxygen.com.

Ela é conhecida principalmente pelo seu livro Harmful to Minors (2002), no qual solicita o reconhecimento dos menores como seres sexuados e a liberalização das leis americanas sobre idade de consentimento. Levine defende também o abrandamento das leis americanas sobre possessão de pornografia infantil e o acesso dos menores ao aborto.

Comentaristas conservadores têm criticado duramente o seu trabalho,[4] cuja publicação pela Universidade de Minnesota causou polêmica no poder legislativo. A obra, no entanto, foi amplamente elogiada pelos partidários da liberalização e pelos educadores. Em 2002, o livro ganhou o prêmio Los Angeles Times Book e foi nomeado pelo Conselho de Informação e Educação sobre Sexualidade dos Estados Unidos (SEICUS) como um dos livros mais influentes sobre sexualidade.

Ela é também autora de My Enemy, My Love: Women, Men, and the Dilemmas of Gender, onde analisa os papéis de gênero tradicionais e a relação entre misoginia e feminismo; Do You Remember Me?: A Father, A Daughter, and a Search for the Self, um memorial da aflição de seu pai por causa do Alzheimer e uma crítica à medicalização da velhice; e Not Buying It: My Year Without Shopping, um diário onde analisa os movimentos consumista e anticonsumista, o qual foi traduzido a cinco idiomas.

Referências

  1. About us (em inglês). Centro Nacional pela Razão e a Justiça.
  2. Search 7D. (29-12-2011). Seven Days.
  3. 2006 AltWeekly Award Winners Announced (29-12-2011). Association of Alternative Newsmedia.
  4. Santiago, Pablo. "Los peligros de Judith Levine". Em: Alicia en el lado oscuro (em espanhol). Madrid: Imagine, 2004, pp. 193-194.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]