Judy Mikovits

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Judy Mikovits
Nascimento 1958 (62 anos)
Cidadania Estados Unidos
Alma mater Universidade de Virgínia, Universidade George Washington
Ocupação virologista, investigadora, ativista antivacina, teórico da conspiração
Empregador National Cancer Institute

Judy Anne Mikovits (c. 1958) é uma cientista americana[1][2] bacharel em química pela Universidade da Virgínia conhecida pela promoção de pseudociências como a anti-vacinação.[3] Ela fez várias alegações falsas sobre vacinas, COVID-19 e síndrome da fadiga crônica (CFS).[3][4][5][6]

Como diretora de pesquisa da organização CFS Whittemore Peterson Institute (WPI) que realiza pesquisas; de 2006 a 2011, Mikovits liderou um esforço que relatou em 2009 que um retrovírus conhecido como vírus relacionado ao vírus xenotrópico de leucemia murina (XMRV) estava associado ao CFS e pode ter tido um papel causal. No entanto, o artigo foi criticado,[7] levando a uma retração em 22 de dezembro de 2011 pela revista Science.[8][9] Em novembro de 2011, ela foi indevidamente detida sob acusação de ter roubado notebooks de laboratório e um computador da WPI, mas foi libertada após cinco dias e as acusações foram retiradas posteriormente.[10]

Em 2020, Mikovits promoveu teorias conspiratórias sobre a pandemia do COVID-19 por meio de um vídeo divulgado na internet chamado Plandemic,[4] que fez alegações consideradas falsas e sem base em evidências científicas.[11][12][13] O vídeo foi banido das redes sociais Youtube, Facebook e Twitter.[14]

Educação e início de carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1980, Mikovits recebeu seu diploma de bacharel em química pela Universidade da Virgínia. De acordo com Mikovits, ela foi para a Upjohn Pharmaceuticals em Kalamazoo, Michigan, de 1986 a 1987, para trabalhar como técnica de laboratório e partiu depois de uma disputa com a empresa relacionada ao hormônio do crescimento bovino . Em 1988, ela trabalhou como técnica de laboratório no Instituto Nacional do Câncer (NCI) em Frederick, Maryland, sob Francis Ruscetti, que mais tarde atuou como seu supervisor de doutorado,[15] e em 1991 , recebeu um doutorado em bioquímica[1] da Universidade George Washington.[16][17] Sua tese de doutorado foi intitulada "Regulação negativa da expressão do HIV em monócitos".[18] Mikovits afirmou que trabalhou como pesquisadora de pós - doutorado no laboratório de David Derse, de 1993 a 1994. Em 1996, Mikovits foi empregada como cientista no Laboratório de Biologia de Leucócitos de Ruscetti, no NCI.[19]

Em maio de 2001, Mikovits deixou a NCI para trabalhar na EpiGenX Biosciences em Santa Barbara, CA, uma empresa de descoberta de fármacos.[20][21] No final de 2005, Mikovits estava trabalhando como barman no Iate Clube Pierpont Bay, em Ventura, CA.

XMRV e encefalomielite málgica / fadiga crônica[editar | editar código-fonte]

Harvey Whittemore e sua esposa, Annette, ficaram frustrados com a falta de respostas para pacientes com encefalomielite mialgica / fadiga crônica (SFC), incluindo a filha. Em um esforço para resolver o problema do CFS, eles criaram o Instituto Whittemore Peterson em 2005; Mikovits tornou-se diretora de pesquisa em 2006.[20] Tentativas de encontrar uma causa viral de SFC infelizmente não tiveram êxito.[22]

Em 2007, Mikovits conheceu um co-descobridor do vírus relacionado ao vírus da leucemia murina xenotrópica (XMRV), Robert Silverman, em uma conferência . Silverman havia encontrado seqüências de XMRV, que são altamente semelhantes às seqüências genômicas de camundongos, em amostras de câncer de próstata vários anos antes. Usando as ferramentas obtidas da Silverman, Mikovits começou a procurar XMRV em suas amostras de CFS. No final de 2008, uma estudante de graduação, que posteriormente foi contratada como técnica, obteve dois resultados positivos em um grupo de vinte amostras. Ele e Mikovits alteraram sucessivamente as condições experimentais até todas as amostras darem um sinal positivo.[22]

Em 2009, Mikovits e colegas de trabalho relataram na revista Science que haviam detectado DNA XMRV em pacientes com SFC e sujeitos de controle.

Dois dos autores originais deste artigo posteriormente analisaram novamente as amostras usadas na pesquisa e descobriram que as amostras estavam contaminadas com o DNA do plasmídeo XMRV, levando-os a publicar uma retração parcial de seus resultados originais.[23][15][24] Em dezembro de 2011, após uma solicitação do primeiro autor Robert Silverman, os editores da Science retiraram o artigo na íntegra.[8][9] Mikovits falou em vários eventos anti-vacinação.[4][25][26] Ela alegou que os retrovírus contaminaram 30% das vacinas.[6]

Mikovits recebeu críticas de cientistas por afirmar que o XMRV é uma infecção transmissível "que circula claramente pela população, assim como o nosso medo e o seu medo". O virologista Vincent Racaniello disse que a afirmação de Mikovits "está apenas incitando o medo".[27][28] Mikovits mostrou slides em uma conferência ligando o XMRV à doença de Parkinson, autismo e esclerose múltipla. No entanto, não há evidências publicadas de que o XMRV esteja associado a essas doenças.[29][30][31][32]

Teorias da conspiração de coronavírus[editar | editar código-fonte]

Mikovits ganhou atenção nas mídias sociais por promover suas idéias sobre a pandemia do COVID-19 . Ela não acredita que seja necessária uma vacina para prevenir o COVID-19 e alega que o coronavírus "foi causado por uma cepa de vacina contra a gripe que circulava entre 2013 e 2015". Ela também afirmou que as máscaras "ativam" o vírus e reinfectam o usuário de máscaras repetidamente.[4]

Um desses vídeos em circulação ganhou notoriedade em maio de 2020. Intitulado Plandemic Part 1, este filme é uma entrevista com meia hora de duração, documentada, sobre as visões de Mikovits sobre uma variedade de assuntos.[5][33] O YouTube removeu este vídeo de seu site várias vezes, citando suas Diretrizes da comunidade.[34][35] Mais tarde, foi removido pelo Vimeo e pelo Facebook por razões semelhantes.

Quando solicitado a comentar algumas das alegações que Mikovits faz contra Anthony Fauci, o NIH e o NIAID disseram à NPR: "Os Institutos Nacionais de Saúde e Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas estão focados em pesquisas críticas destinadas a encerrar a pandemia de COVID-19 e prevenir mais mortes. Não estamos a enveredar por tácticas de alguns que procuram fazer descarrilar os nossos esforços "[36]

Ativismos[editar | editar código-fonte]

Mikovits tornou-se uma defensora dos defensores das teorias da conspiração médica, baseando reivindicações que vinculam o XMRV ao autismo e câncer em outros documentos retirados e alegando que ela havia sido presa pela influência do estado profundo e das grandes empresas farmacêuticas . Esta alegação final refere-se à sua prisão em 2011 por supostamente roubar materiais da WPI.[10]

Mikovits falou em vários eventos anti-vacinação.[4][25][26] Ela alegou que os retrovírus contaminaram 30% das vacinas.[6]

Mikovits recebeu críticas de cientistas por afirmar que o XMRV é uma infecção transmissível "que circula claramente pela população, assim como o nosso medo e o seu medo". O virologista Vincent Racaniello disse que a afirmação de Mikovits "está apenas incitando o medo".[27][37] Mikovits mostrou slides em uma conferência ligando o XMRV à doença de Parkinson, autismo e esclerose múltipla. No entanto, não há evidências publicadas de que o XMRV esteja associado a essas doenças.[29][38][39][40]

Teorias da conspiração de coronavírus[editar | editar código-fonte]

Mikovits ganhou atenção nas mídias sociais por promover suas idéias sobre a pandemia do COVID-19 . Ela não acredita que seja necessária uma vacina para prevenir o COVID-19 e alega que o coronavírus "foi causado por uma cepa de vacina contra a gripe que circulava entre 2013 e 2015". Ela também afirmou que as máscaras "ativam" o vírus e reinfectam o usuário de máscaras repetidamente.[4]

Um desses vídeos em circulação ganhou notoriedade em maio de 2020. Intitulado Plandemic Part 1, este filme é uma entrevista com meia hora de duração, documentada, sobre as visões de Mikovits sobre uma variedade de assuntos.[5][41] O YouTube removeu este vídeo de seu site várias vezes, citando suas Diretrizes da comunidade.[42][43] Mais tarde, foi removido pelo Vimeo e pelo Facebook por razões semelhantes.

Quando solicitado a comentar algumas das alegações que Mikovits faz contra Anthony Fauci, o NIH e o NIAID disseram à NPR: "Os Institutos Nacionais de Saúde e Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas estão focados em pesquisas críticas destinadas a encerrar a pandemia de COVID-19 e prevenir mais mortes. Não estamos a enveredar por tácticas de alguns que procuram fazer descarrilar os nossos esforços "[44]

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • 2020. Heckenlively, Kent; Mikovits, Judy. Praga da Corrupção: Restaurando a Fé na Promessa da Ciência . Skyhorse Publishing
  • 2014. Mikovits, al. Praga: a intrépida busca de um cientista pela verdade sobre os retrovírus humanos e a síndrome da fadiga crônica (SFC), autismo e outras doenças . Publicação Skyhorse

Referências

  1. a b Judy Mikovits; Kent Heckenliverly (2019). Plague of Corruption. Skyhorse Publishing. [S.l.: s.n.] pp. 128–130. ISBN 978-1510752245. [1] Ms. Mikovits was awarded a PhD in biochemistry. [2] I have a PhD in biochemistry 
  2. «Dispute Over Lab Notebooks Lands Researcher in Jail». Science. 334: 1189–1190. Bibcode:2011Sci...334.1189C. PMID 22144589. doi:10.1126/science.334.6060.1189 
  3. a b Enserink, Martin; CohenMay. 8, Jon; 2020; Pm, 6:20 (8 de maio de 2020). «Fact-checking Judy Mikovits, the controversial virologist attacking Anthony Fauci in a viral conspiracy video» (em inglês) 
  4. a b c d e f «The Coronavirus Truthers Don't Believe in Public Health». Vice 
  5. a b c «How covid-19 conspiracy theorists are exploiting YouTube culture». MIT Technology Review 
  6. a b c Neimark. «Why bad science won't ever die». Quartz  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  7. Ledford. «Integrity issue follows fired researcher». Nature. ISSN 0028-0836. doi:10.1038/news.2011.574 
  8. a b Cohen. «In a Rare Move, Science Without Authors' Consent Retracts Paper That Tied Mouse Virus to Chronic Fatigue Syndrome». Science 
  9. a b Alberts. «Retraction». Science. 334. 1636 páginas. Bibcode:2011Sci...334.1636A. ISSN 0036-8075. PMID 22194552. doi:10.1126/science.334.6063.1636-a 
  10. a b Kasprak. «Was a Scientist Jailed After Discovering a Deadly Virus Delivered Through Vaccines?». Snopes  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  11. Enserink, Martin; CohenMay. 8, Jon; 2020; Pm, 6:20 (8 de maio de 2020). «Fact-checking Judy Mikovits, the controversial virologist attacking Anthony Fauci in a viral conspiracy video» (em inglês) 
  12. «Fact Check: Is The 'Plandemic' Documentary True? Claims From The Video Debunked». Republic World 
  13. «The "Plandemic" Video Has Exploded Online — And It Is Filled With Falsehoods». BuzzFeed News (em inglês) 
  14. «Vídeo da virologista Judy Mikovits é banido das redes por disseminar informações falsas». 13 de maio de 2020. Cópia arquivada em 14 de maio de 2020 
  15. a b «False Positive». Science. 333: 1694–1701. Bibcode:2011Sci...333.1694C. PMID 21940874. doi:10.1126/science.333.6050.1694 
  16. «Judy A. Mikovits, PhD». Plague: The Book (author biography) 
  17. Dixon. «Judy A. Mikovits biography». National Cancer Institute. Cópia arquivada em 27 de maio de 2010  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  18. «Fact-checking Judy Mikovits, the controversial virologist attacking Anthony Fauci in a viral conspiracy video». Science | AAAS (em inglês) 
  19. Division of Basic Sciences Annual Research Directory. National Cancer Institute Division of Basic Sciences. [S.l.: s.n.] 1996 
  20. a b «A Big Splash From an Upstart Medical Center». The New York Times 
  21. «World-known Oxnard researcher claims she was smeared, pushed out». Ventura County Star 
  22. a b Callaway. «Virology: Fighting for a cause». Nature. 471: 282–85. Bibcode:2011Natur.471..282C. PMID 21412308. doi:10.1038/471282aAcessível livremente  Parâmetro desconhecido |doi-access= ignorado (ajuda)
  23. «Chronic Fatigue Syndrome Researcher Fired Amidst New Controversy». Science 
  24. «Partial Retraction». Science. 334. 176 páginas. 2011. Bibcode:2011Sci...334..176S. PMID 21940859. doi:10.1126/science.1212182 
  25. a b «New group of Ventura County vaccine skeptics take shots at exemption bill». Ventura County Star (em inglês) 
  26. a b «Phoenix 'Vaccine Education Summit' Promises Anti-Vax Propaganda». Phoenix New Times 
  27. a b «Research casts doubt on theory of cause of chronic fatigue». Chicago Tribune 
  28. «Reno researchers dispute British challenge to virus discovery». Reno Gazette-Journal 
  29. a b «PCR and serology find no association between xenotropic murine leukemia virus-related virus (XMRV) and autism». Molecular Autism. 1. 2010. PMC 2964727Acessível livremente. PMID 20946639. doi:10.1186/2040-2392-1-14  Verifique o valor de |display-authors=Satterfield BC, Garcia RA, Gurrieri F, Schwartz CE (ajuda)
  30. «No xenotropic murine leukemia virus-related virus detected in fibromyalgia patients». Emerging Infectious Diseases. 17: 314–15. 2011. PMC 3204766Acessível livremente. PMID 21291619. doi:10.3201/eid1702.100978 
  31. «No Evidence for XMRV in German CFS and MS Patients with Fatigue Despite the Ability of the Virus to Infect Human Blood Cells in Vitro». PLOS One. 5: e15632. 2010. Bibcode:2010PLoSO...515632H. PMC 3008728Acessível livremente. PMID 21203514. doi:10.1371/journal.pone.0015632  |nome1= sem |sobrenome1= em Editors list (ajuda)
  32. «No evidence for XMRV association in pediatric idiopathic diseases in France». Retrovirology. 7. 63 páginas. 2010. PMC 2920251Acessível livremente. PMID 20678193. doi:10.1186/1742-4690-7-63 
  33. «Platforms scramble as 'Plandemic' conspiracy video spreads misinformation like wildfire». TechCrunch 
  34. McBride. «Plandemic Movie Video Removed by YouTube: WATCH». Heavy.com  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  35. «YouTube removes 'Plandemic' video with coronavirus claims by Dr. Judy Mikovits». Syracuse.com 
  36. «Seen 'Plandemic'? We Take A Close Look At The Viral Conspiracy Video's Claims». NPR.org (em inglês) 
  37. «Reno researchers dispute British challenge to virus discovery». Reno Gazette-Journal 
  38. «No xenotropic murine leukemia virus-related virus detected in fibromyalgia patients». Emerging Infectious Diseases. 17: 314–15. 2011. PMC 3204766Acessível livremente. PMID 21291619. doi:10.3201/eid1702.100978 
  39. «No Evidence for XMRV in German CFS and MS Patients with Fatigue Despite the Ability of the Virus to Infect Human Blood Cells in Vitro». PLOS One. 5: e15632. 2010. Bibcode:2010PLoSO...515632H. PMC 3008728Acessível livremente. PMID 21203514. doi:10.1371/journal.pone.0015632  |nome1= sem |sobrenome1= em Editors list (ajuda)
  40. «No evidence for XMRV association in pediatric idiopathic diseases in France». Retrovirology. 7. 63 páginas. 2010. PMC 2920251Acessível livremente. PMID 20678193. doi:10.1186/1742-4690-7-63 
  41. «Platforms scramble as 'Plandemic' conspiracy video spreads misinformation like wildfire». TechCrunch 
  42. McBride. «Plandemic Movie Video Removed by YouTube: WATCH». Heavy.com  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  43. «YouTube removes 'Plandemic' video with coronavirus claims by Dr. Judy Mikovits». Syracuse.com 
  44. «Seen 'Plandemic'? We Take A Close Look At The Viral Conspiracy Video's Claims». NPR.org (em inglês)