Kōtoku-in

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amida Buda, Kōtoku-in

O Kōtoku-in (高徳院?) é um templo budista da seita Jōdo-shū na cidade de Kamakura, na província de Kanagawa, Japão.

O templo é famoso por seu "Grande Buda" (大仏, Daibutsu?), uma estátua de bronze monumental de Amida Buda que é um dos mais famosos ícones do Japão.

O Grande Buda[editar | editar código-fonte]

Cartão postal da década de 1930.
Vista interna do Grande Buda
Placa no local com explicação sobre a técnica de construção da estátua do Grande Buda

O Grande Buda de Kamakura é uma estátua de bronze monumental ao ar livre do Amida Buda localizada no templo Kōtoku-in em Kamakura, Kanagawa, Japão. A estátua de bronze provavelmente data de 1252, no período Kamakura, de acordo com registros do templo. Ela foi precedida por um Buda gigante de madeira, que foi concluído em 1243 após dez anos de trabalho contínuo, sendo que os fundos foram recolhidos por Inada-no-Tsubone e o sacerdoste budista Jōkō of Tōtōmi. Essa estátua de madeira foi danificada por uma tempestade em 1248, e o salão que o continha foi destruído. Então, Jōkō sugeriu fazer uma outra estátua de bronze, e o grande montante de dinheiro necessário para isto e para o novo salão foi recolhido para o projeto.[1] A imagem de bronze foi provavelmente moldada por Ōno Gorōemon[2] ouTanji Hisatomo,[3] ambos modeladores reconhecidos da época.[4] Ao mesmo templo, a estátua foi dourada. Ainda há traços de filhas de ouro perto dos ouvidos da estátua.[5]É incerto, no entanto, se a estátua construída em 1252 é a mesma estátua que a atual.

O salão foi destruído por uma tempestade em 1334, foi reconstruída e foi danificada por outra tempestade em 1369, e reconstruída novamente.[1] O último edifício que abrigava a estátua foi arrastado por um tsunami em 20 de setembro de 1498, durante o período Muromachi.[6] Desde então, o Grande Buda tem resistido ao ar livre.[6]

A estátua tem aproximadamente 13,35 metros de altura incluindo a base[7] e pesa cerca de 93 toneladas. A estátua é oca e os visitantes podem observar seu interior. Muitos visitantes com o pasasr dos anos deixaram grafites dentro da estátua.[8] Ao mesmo tempo, havia 32 pétalas de lótus de bronze na base da estátua, mas apenas quatro permanecem, e elas não estão mais no local.[9] Uma placa na entrada do terreno avisa: "Visitante, quem quer que você seja e qualquer que seja o seu credo, quando você entrar no santuário lembre-se que você trilha sobre terras santificadas pela oração de eras. Este é o Templo de Buda e o portal da eternidade, e portanto deve ser cuidado com reverência."[10]

O Grande Terremoto de Kanto de 1923 destruiu a base da estátua, mas ela foi reparada em 1925.[1]

Reparos na estátua aconteceram em 1960-61, quando o pescoço foi fortalecido e medidas foram tomadas para protegê-la de terremotos.[1]

Detalhes[editar | editar código-fonte]

Zoom em um Pombo para demonstração do tamanho real da estátua, Kamakura
Parte de trás com as janelas abertas
  • Peso: 121 toneladas[11]
  • Altura: 13,35 m
  • Tamanho da face: 2,35 m
  • Tamanho do olho: 1.0 m
  • Tamanho da boca: 0,82 m
  • Tamanho do ouvido: 1,90 m
  • Cumprimento de joelho a joelho: 9,1 m
  • Circunferência do polegar: 0,85 m

Poema de Rudyard Kipling[editar | editar código-fonte]

Esta estátua é conhecida como "O Buda de Kamakura" em alguns versículos que servem de prefácio para os capítulos iniciais da novela "Kim" de Rudyard Kipling (1901). Os versículos foram retirados do poema de mesmo nome que o autor escreveu após visitar Kamakura em 1892.[12] O poema aparece em sua totalidade em "The Five Nations" de 1903.[12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Takao Sato (ed.). Daibutsu: The Great Buddha of Kamakura. [S.l.]: Hobundo. p. 7 
  2. Frédéric, Louis. Japan Encyclopedia Harvard University Press (2005). p.755
  3. Kate Tsubata (25 de maio de 2008). «The Great Buddha at Kamakura». The Washington Times  Retrieved 2011-09-20.
  4. The New Official Guide, Japan Japan Travel Bureau (1975) p.404
  5. «Kotoku-in (The Great Buddha)». Kamakura Today. 2002  Acessado em 20/09/2011.
  6. a b Tsuji, Yoshinobu (1983). «Study on the Earthquake and the Tsunami of September 20, 1498». In: Iida, Kumiji; Iwasaki, Toshio. Tsunamis: Their Science and Engineering, Proceedings of the International Tsunami Symposium, 1981. Tokyo: Terra Scientific Publishing (Terrapub). pp. 185–204. ISBN 90-277-1611-0 
  7. "An Overview of the Great Buddha" Kotoku-in Official Website. Acessado em 20/09/2011.
  8. Takao Sato (ed.). Daibutsu: The Great Buddha of Kamakura. [S.l.]: Hobundo. p. 14 
  9. Takao Sato (ed.). Daibutsu: The Great Buddha of Kamakura. [S.l.]: Hobundo. p. 16 
  10. Takao Sato (ed.). Daibutsu: The Great Buddha of Kamakura. [S.l.]: Hobundo. p. 18 
  11. Information about Daibutsu onsite
  12. a b Rudyard Kipling, "The Buddha at Kamakura". Acessado em 20/09/2011.

Notas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Kōtoku-in