Kabuki-za

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ni hon go2.png Este artigo contém texto em japonês.
Sem suporte multilingual apropriado, você verá interrogações, quadrados ou outros símbolos em vez de kanji ou kana.
Kabuki-za
歌舞伎座
O teatro cabúqui Kabuki-za.
Tipo Teatro cabúqui
Estilo dominante Arquitetura tradicional japonesa
Arquiteto Tashichi Kashiwagi (1911)
Shin'ichirō Okata (1922-24)
Isoya Yoshida (1950)
Kengo Kuma (2013)
Inauguração 21 de novembro de 1889, por Fukuchi Gen'ichirō
Restauro 1911, 1924, 1950 e 2013
Proprietário atual Corporação Teatral Kabuki-za (Shochiku)
Capacidade 1 964
Website http://www.kabuki-za.co.jp/
Geografia
País  Japão
Cidade Tóquio
Localidade Ginza, Chuo
Coordenadas 35° 40' 10.31" N 139° 46' 4.8" E

O Kabuki-za (歌舞伎座?) é o principal teatro cabúqui situado no distrito de Ginza, no bairro de Chuo, em Tóquio, no Japão.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O teatro Kabuki-za foi inaugurado oficialmente a 21 de novembro de 1889 pelo jornalista da era Meiji, Fukuchi Gen'ichirō, que escreveu as peças cabúquis onde Ichikawa Danjūrō IX e os outros atores participaram. Fukuchi Gen'ichirō deixou de gerir o teatro, após a morte de Ichikawa Danjūrō IX em 1903. O teatro é gerido atualmente pela Corporação Shochiku, que assumiu a direção em 1914.[2]

A estrutura original do teatro Kabuki-za era de madeira, e foi construída em 1889 nas terras que pertenciam ao clã Hosokawa de Kumamoto, e ao clã Matsudaira da antiga província de Izu.[3]

O edifício do teatro foi destruído por um incêndio elétrico a 30 de outubro de 1921.[3] O teatro de estilo arquitetónico tradicional japonês foi reconstruído em 1922 por Shin'ichirō Okata, para ter suporte à prova de fogo,[4] que utilizou também os materiais de construção e equipamentos de iluminação ocidentais. No entanto, a reconstrução não foi concluída após o teatro ter sido queimado durante o grande sismo de Kantō em 1923, e só viria a ser restaurado em 1924.[3]

Durante a Segunda Guerra Mundial, o teatro foi destruído pelos bombardeamentos dos países aliados que se opuseram às Potências do Eixo.[3] O teatro foi restaurado em 1950 por Isoya Yoshida,[3] que preservou o estilo arquitetónico da reconstrução de 1924, e até recentemente foi considerado um dos edifícios teatrais mais tradicionais de Tóquio.[4]

A estrutura datada de 1950 foi demolida na primavera de 2010, e reconstruída no período de três anos depois,[3] para que houvesse suporte contra terramotos e por questões de acessibilidade. Entre janeiro e abril de 2010, foram realizadas as peças teatrais de despedidas, intituladas Kabuki-za Sayonara Kōen (歌舞伎座さよなら公演, "As Representações de Despedidas do Kabuki-za"?).[3][5] O teatro foi restaurado e reprojetado em 2013 por Kengo Kuma.[6]

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

O estilo arquitetónico do teatro em 1924 era de aspeto revivalista barroco japonês, que pretendia evocar os detalhes arquitetónicos dos castelos japoneses, e também dos templos do período pré-Edo. Este estilo foi mantido após a reconstrução do teatro no período pós-guerra e também na reconstrução de 2013.[7][8]

Durante a última reconstrução, o teatro recebeu quatro cortinas designadas por doncho, que foram produzidas por artistas de estilo nihonga, para refletir as diferentes estações.[9]

Referências

  1. «歌舞伎座劇場» (em japonês). Biblioteca Nacional da Dieta. Consultado em 17 de novembro de 2017. 
  2. Leiter, Samuel L. (2014). Historical Dictionary of Japanese Traditional Theatre (em inglês). Lanham: Rowman & Littlefield. p. 37. ISBN 9781442239111. Resumo divulgativoGoogle Livros 
  3. a b c d e f g «Kabukiza» (em inglês). kabuki21.com. Consultado em 17 de novembro de 2017. 
  4. a b Murakami, Shūzō (18 de abril de 2006). «歌舞伎座の保存に関する要望書» (PDF) (em japonês). Instituto de Arquitetura do Japão 
  5. Yoshida, Reiji (23 de outubro de 2008). «Kabuki mecca's days numbered». The Japan Times (em inglês) 
  6. Hongo, Jun (19 de março de 2013). «Ginza stage set for Kabukiza's fifth coming». The Japan Times (em inglês) 
  7. «Théâtre de Tokyo, la dernière séance». L'Express (em francês). 21 de abril de 2010 
  8. Jun, Katō (2 de abril de 2013). «「五代目」歌舞伎座が銀座にお目見え» (em japonês). Nippon.com 
  9. Masuda, Aiko (19 de dezembro de 2013). «Art made to be viewed with the curtains closed». Asahi Shimbun (em inglês). Cópia arquivada em 8 de dezembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Kabuki-za