Kalsoy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Kalsoy
Faroe Islands, Kalsoy.jpg
Geografia
País
Region of the Faroe Islands
Norðoyar (en)
Municipality of the Faroe Islands
Klaksvík Municipality (en)
Former municipality of the Faroe Islands
Húsa Municipality (d)
Localização geográfica
Parte de
Sede
Mikladalur (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Banhado por
Área
30,9 km2Visualizar e editar dados no Wikidata
Ponto culminante
Nestindar (d)Visualizar e editar dados no Wikidata
Altitude
788 mVisualizar e editar dados no Wikidata
Coordenadas
Position of Kalsoy on Faroe map.png
Demografia
População
95 hab. ()Visualizar e editar dados no Wikidata
Densidade
3,1 hab./km2 ()
Funcionamento
Estatuto
Localização da ilha de Kalsoy
Selo mostrando a ilha de Kalsoy
Mapa de Kalsoy (isolada das ilhas vizinhas)
Kalsoyarfjørður: Kalsoy (à esquerda) e Kunoy (à direita)

Kalsoy (em Dinamarquês Kalsø) é uma das Ilhas Faroés. Situa-se no nordeste do arquipélago, entre Eysturoy e Kunoy. O seu nome significa a ilha dos homens.

A sua área é de 30,9 km², sendo a nona maior ilha do arquipélago.

É também a nona ilha mais populosa, com 147 habitantes e uma densidade populacional de 4,8 habitantes/km².

A montanha mais elevada é Nestindar, com 788 metros de altura. A ilha possui no total 13 cumes.

Pertence ao município de Klaksvík, com Mikladalur (79 habitantes), que antigamente era um município independente, e Húsar (68 habitantes).

Geografia[editar | editar código-fonte]

A costa ocidental possui encostas extremamente íngremes em toda a extensão da ilha, enquanto que vales idílicos nos declives orientais protegem as quatro pequeninas povoações, Húsar, Mikladalur, Syðradalur e Trøllanes, cujas populações somadas não chegam a 150 pessoas. Estão ligadas por uma estrada parcialmente alcatroada, que atravessa quatro túneis escuros.

A forma fina da ilha e os seus túneis dão-lhe a alcunha de "a flauta".

Existe um farol em Kallur, na ponta norte de Kalsoy. Existem 13 cumes, sendo as maiores montanhas Nestindar (787 m) e Botnstindur (743 m).

Túneis[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Comprimento liga
1979 Villingadalstunnilin 1.193 Húsar e Mikladalur
1980 Mikladalstunnilin 1.082 Húsar e Mikladalur
1980 Ritudalstunnilin 683 Húsar e Mikladalur
1985 Teymur í Djúpadal 220 Mikladalur e Trøllanes
1985 Trøllanestunnilin 2.248 Mikladalur e Trøllanes

Turismo[editar | editar código-fonte]

Existem portos de barcos de transporte em Syðradalur e Húsar. Um dos barcos dos correios, chamado Barsskor, realiza viagens regulares a partir de Klaksvík para ambas as povoações.

É possível caminhar para norte desde o farol até Kallur, mas os quatro túneis sem luz aconselham a presença de uma lanterna. Porém, não há trânsito suficiente para que os gases dos escapes sejam um problema. O túnel mais a norte, atravessando Trøllanes, é estreito, frio, húmido e tem mais de 2 km de extensão. Raramente é usado por automóveis, dado que a população de Trøllanes é de apenas 20 pessoas. O trilho à superfície entre Mikladalur e Trøllanes é perigoso e alto, devendo ser evitado.

Existe ainda um serviço de transporte de autocarro entre Húsar e Trøllanes.

Lendas[editar | editar código-fonte]

Kalsoy possui inúmeras lendas. A mais conhecida é a Lenda da mulher-foca de Mikladalur.

No folclore faroês ancestral, acreditava-se que na décima-segunda noite, as focas saíam do mar, despiam as suas peles de foca e se tornavam seres humanos, indo dançar para terra. Mas, antes do amanhecer, tinham que voltar a vestir as suas peles, para conseguirem regressar ao mar.

Numa noite, porém, um camponês de Mikladalur roubou a pele de uma linda mulher-foca, de forma que ela não pôde voltar para o seu marido e seus filhos no mar. Viveu com o seu novo marido durante anos e teve filhos com ele. Ele trancara a pele de foca num grande baú, que continha todos os seus haveres valiosos, para que ela nunca o abandonasse e mantinha sempre a chave num fio em volta do seu pescoço.

Mas, um dia, quando se encontrava no mar a pescar, descobriu que se esquecera da chave. Quando regressou, a sua mulher-foca já deixara a casa, tendo apagado a lareira e escondido todas as facas, para proteger as suas crianças terrenas.

Algum tempo mais tarde, na noite anterior à tradicional matança de focas, a mulher-foca visitou o seu ex-marido num sonho, pedindo-lhe que não matasse o defensor da encosta das focas, que era o seu marido foca, nem as pequenas e jovens focas que eram suas filhas. O camponês não ligou ao pedido e a vingança dela foi terrível. Enquanto gozava o banquete da caçada na mesma noite, um monstro entrou na sua casa, dizendo-lhe que iriam cair tantos homens das encostas dos pássaros, que poderiam todos dar as mãos à volta de toda a ilha de Kalsoy.

Esta vingança foi sempre levada a sério, não só em Kalsoy, mas em todas as Ilhas Faroés, em geral. Os descendentes da mulher-foca ainda são reconhecidos no país por certas características, em especial pelos seus dedos curtos.

Ligações externasExternal links[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]


Bandeira das Ilhas Faroés
Ilhas Faroés Ovelha das Ilhas Faroés
Borðoy | Eysturoy | Fugloy | Hestur | Kalsoy | Koltur | Kunoy | Lítla Dímun | Mykines | Nólsoy | Sandoy | Skúvoy | Stóra Dímun | Streymoy | Suðuroy | Svínoy | Vágar | Viðoy|