Kamieniec Ząbkowicki

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Kamieniec Ząbkowicki
Kamieniec Ząbkowicki
POL Kamieniec Ząbkowicki COA.svg
2016 Pałac w Kamieńcu Ząbkowickim 02.jpg
Palácio em Kamieniec Ząbkowicki
Voivodia Baixa Silésia
Condado Ząbkowicki
Comuna Kamieniec Ząbkowicki
Área 12,99 km²
População (2020) 4 533[1][2] habitantes
Densidade 349 hab/km²
Código telefônico (+48) 74
Matrículas de automóveis DZA
Website http://www.kamienieczabkowicki.eu
Localização
Localização de Kamieniec Ząbkowicki na Polónia 50° 31' 35" N 16° 52' 41" E
Cidade da Polónia Flag of Poland.svg

Kamieniec Ząbkowicki (em alemão: Kamenz, Camenz) é um município da Polônia, na voivodia da Baixa Silésia, no condado de Ząbkowicki e na comuna urbano-rural de Kamieniec Ząbkowicki. Estende-se por uma área de 12,99 km², com 4 533 habitantes, segundo os censos de 2020, com uma densidade de 349 hab/km².[1][2]

A cidade tinha direitos municipais já nos anos 1945-1946.[3] Foi-lhe concedido o estatuto de cidade em 1 de janeiro de 2021.[4]

A partir de 1946, após a fusão com a comuna de Goleniów, até 1954, foi a sede da comuna de Kamieniec Ząbkowicki.[5][6]. 1954–1957 sede da gromada de Kamieniec Ząbkowicki.[7] 1958–1972 um conjunto habitacional separado administrativamente[8] (adicionalmente, de 1968 a 1972, foi a sede da nova gromada de Kamieniec Ząbkowicki). Desde 1973, é a sede da moderna comuna de Kamieniec Ząbkowicki.[9] Nos anos de 1975 a 1998, pertenceu administrativamente à voivodia de Wałbrzych.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

Segundo o professor alemão Heinrich Adamy, o nome vem do polonês - "pedra" (Kamień) e se refere à fundação rochosa do forte da colina.[10] Em seu trabalho com nomes locais na Silésia, publicado em 1888 em Breslávia, ele menciona Kamieniec como o nome mais antigo registrado, dando seu significado a Felsenburg, ou seja, em polonês, Skalne Miasto.[10] A aldeia na forma latina do polonês antigo de Kamencz é observada por Galo Anônimo em sua Kronika escrita nos anos 1112-1116.[11] Em um documento medieval escrito em latim, emitido em Breslávia em 26 de fevereiro de 1253, assinado pelo príncipe da Silésia Henrique III, o Branco, a cidade foi mencionada sob o nome de Cameniz.[12] O nome polonês Kamieniec e o nome alemão Camenz foram mencionados pelo escritor silesiano Józef Lompa em seu livro Krótki rys jeografii Szląska dla nauki początkowej, publicado em Głogówek em 1847.

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Igreja da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria
A Casa do Abade, no complexo da abadia cisterciense, atualmente Arquivo do Estado em Breslávia
  • 1096: o duque da Boêmia, Bretislau II, ergueu uma fortaleza em Kamieniec a leste da fortaleza polonesa de Bardo, que ele havia destruído
  • 1200: a fortaleza e seus arredores pertenciam à famosa família Pogorzel da Silésia - senhores de Pogorzela
  • 1210: Pogorzelowie fundou uma abadia em Kamieniec da Ordem de Santo Agostinho; Wincenty de Pogorzela foi o primeiro abade
  • 1249: o mosteiro foi tirado dos agostinianos e entregue aos cistercienses de Lubiąż, uma abadia cisterciense independente foi fundada em Kamieniec
  • 1350: conversão da igreja e do mosteiro em mosteiro defensivo
  • 1425–1428: o mosteiro é destruído e saqueado durante as guerras hussitas
  • 1618-1648: destruição adicional durante a Guerra dos Trinta Anos
  • 1681-1732: o mosteiro floresce sob o governo dos abades Augustyn Neudeck (1681-1702) e Gerhard Woywoda (1702-1732): o mosteiro e a igreja são totalmente reconstruídos em estilo barroco com uma pintura de Michael Willmann no altar principal
  • 1741–1747: durante as guerras da Silésia de Frederico, o Grande, o mosteiro teve que pagar grandes impostos e contribuições; Frederico, o Grande, em 1741 encontrou refúgio no mosteiro, fugindo dos austríacos após uma escaramuça em Brasovice (em alemão: Baumgarten)
  • 1784: A aldeia de Camenz (pronuncia-se ka’ments), como era então chamada, tinha 988 habitantes
  • 1810: secularização dos mosteiros na Prússia. O mosteiro em Kamieniec tinha então 38 monges e 31 aldeias em sua posse. As coleções de arte e livros foram parcialmente transportadas para Breslávia, parcialmente roubadas, e a igreja do mosteiro se tornou uma igreja paroquial católica. Os monges com o último abade Placidus Hoffmann deixaram Kamieniec
  • 1812: a princesa prussiana Frederica Luísa Guilhermina (1774-1837), irmã do rei Frederico Guilherme III, esposa do futuro rei dos Países Baixos, Guilherme I, comprou a propriedade do antigo mosteiro
  • 1817: a igreja e o mosteiro foram vítimas de um incêndio; a igreja foi reconstruída em uma forma ligeiramente alterada, apenas uma ala dos edifícios do mosteiro foi salva, a chamada prelazia
  • 1830: a propriedade em Kamieniec foi concedida como dote à princesa holandesa e prussiana Mariana de Orange
  • 1835: como os restos dos edifícios do antigo mosteiro não eram adequados para uma residência, Mariana e seu marido, o príncipe Alberto da Prússia, encomendaram ao famoso arquiteto Karl Friedrich Schinkel a construção de um palácio monumental no chamado Hertaberg sobre os edifícios da antiga abadia
  • 1838: A construção de um palácio neogótico começou e durou até 1872
  • 1845: Mariana deixou o marido e mudou-se para a Holanda, mais tarde para a Renânia
  • 1849: ao divorciar-se, Mariana legou o palácio a seu único filho Alberto
  • 1875: a importância de Kamieniec aumentou com a construção da linha ferroviária Breslávia - Kamieniec - Międzylesie - Praga
  • 1876: a linha ferroviária Legnica - Kamieniec - Nysa foi construída, tornando a vila um importante entroncamento de comunicação
  • 1906: O príncipe Alberto, filho de Mariana, morreu no palácio em Kamieniec, a propriedade de Kamenz passou para o último proprietário da família Hohenzollern, seu filho mais velho Frederico Henrique
  • 1939: a aldeia de Kamenz tinha 2 510 habitantes, as propriedades Hohenzollern cobriam 637 hectares e pagavam um imposto anual de 11 034 marcos; o parque do palácio tinha uma área de 123 hectares
  • 1940: o proprietário de Kamieniec, padre Frederico Henrique Hohenzollern, morreu sem filhos; foi herdada pelo neto do imperador e rei da Prússia, Frederico III, Valdemar Hohenzollern (1889–1945)
  • 1939-1945: em um orfanato localizado no prédio da Prelazia, as autoridades nazistas cometeram vários assassinatos de crianças com deficiência mental (por injeção de veneno)
  • 1945: a aldeia foi incorporada à Polônia; nos anos seguintes, a população anterior foi deslocada para a Alemanha
  • 1945-1947: a cidade foi oficialmente chamada de Kamieniec nad Ochną[13]
  • 1945-1946: o palácio foi saqueado e incendiado por soldados soviéticos e saqueadores poloneses, a prelazia também permaneceu por muitos anos como uma semirruína e usada como um depósito de grãos
  • 1962: 4 662 habitantes
  • 1970: 3 884 habitantes
  • 1996: aninersário de 900 anos de Kamieniec
  • 1997: Dilúvio Catastrófico do Milênio
  • 1999: colocação em uso da Escola Primária Boleslau, o Bravo; inauguração de um conjunto habitacional para as vítimas das inundações - Conjunto residencial Bolesław Chrobry
  • Década de 1990: a prelazia foi renovada e adaptada como uma filial dos Arquivos do Estado em Breslávia
  • 16 de fevereiro de 2018: comissionamento da ponte sobre o rio Nysa Kłodzka após uma longa renovação[14]
  • 13 de outubro de 2018: inauguração do mausoléu revalorizado no parque do palácio[15]
  • 1 de janeiro de 2021: a cidade recebeu o estatuto de cidade

Monumentos[editar | editar código-fonte]

Igreja evangélica, século XIX

De acordo com o registo do Instituto do Patrimônio Nacional, a lista de monumentos inclui:[16]

  • Igreja evangélica do século XIX
  • Complexo do mosteiro cistercienses dos séculos XIV a XIX:
    • igreja, agora uma paróquia da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria
    • mosteiro, agora um arquivo
    • celeiro
    • quatro dependências
    • três edifícios agrícolas
    • prédio
    • duas estufas
  • Complexo do palácio, da segunda metade do século XIX:
    • palácio - "castelo"[17]
    • duas dependências, um estábulo, uma cocheira
    • jardim do palácio: terraços, escadas, fontes
    • parque com avenida de acesso
    • estação de bombagem e sala da caldeira
  • Casa com jardim de 1880

outros:

  • Mausoléu Hohenzollern, construído em 1898 no parque perto do castelo de Mariana de Orange; devastado em 1945; em 13 de outubro de 2018, a instalação reconstruída foi inaugurada.[15]

Religião[editar | editar código-fonte]

A cidade pertence a duas paróquias católicas, Kamieniec I pertence à Paróquia da Assunção da Bem-aventurada Virgem Maria em Kamieniec Ząbkowicki, esta paróquia é a sede do decanato de Kamieniec Ząbkowicki. Kamieniec II (anteriormente Goleniów Śląski[18]) pertence à Paróquia de São João Batista em Starczów.

Existem os seguintes templos na cidade:

  • A igreja paroquial da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria e São Tiago, o Velho
  • Capela das Irmãs de Santa Maria da Sagrada Família
  • Uma igreja filial da Bem-Aventurada Virgem Maria de Częstochowa
  • Igreja Evangélica da Santíssima Trindade (não usada para fins religiosos desde 1945)

Há um cemitério municipal na cidade, um cemitério das Irmãs de Santa Maria e um cemitério evangélico não utilizado.

Desde o século XIX, as irmãs da Congregação das Irmãs da Misericórdia de São Carlos Borromeu estão hospedadas em Kamieniec Ząbkowicki.

Educação[editar | editar código-fonte]

  • Jardim de infância público n.º 1
  • Escola Primária Boleslau I, o Bravo
  • Escola e jardim de infância Papa João Paulo II

Referências

  1. a b «Kamieniec Ząbkowicki (Baixa Silésia) mapas, imóveis, Escritório Central de Estatística, acomodações, escolas, região, atrações, códigos postais, salário, desemprego, ganhos, tabelas, educação, jardins de infância, demografia». Polska w liczbach (em polonês). Consultado em 12 de julho de 2021 
  2. a b GUS. «Área e população no perfil territorial em 2016». stat.gov.pl (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2021 
  3. «Censo Universal da População de 14 de fevereiro de 1946». Scribd (em polonês). Consultado em 12 de julho de 2021 
  4. «Regulamento do Conselho de Ministros de 31 de julho de 2020 que estabelece os limites de determinados municípios e cidades, atribuindo a determinadas localidades o estatuto de cidade, alterando o nome do município e a sede das autarquias». isap.sejm.gov.pl. Consultado em 12 de julho de 2021 
  5. Censo resumido em 1946.
  6. Lista alfabética das comunas da República da Polónia a partir de 1 de janeiro de 1949. Agência Central de Estatística.
  7. Relativamente à reforma da divisão administrativa das aldeias (Jornal Oficial do Conselho Nacional Provincial de Breslávia de 3 de dezembro de 1954, n.º 9, item 71).
  8. «Regulamento do Conselho de Ministros de 29 de novembro de 1957 sobre o estabelecimento de determinados conjuntos habitacionais nas voivódias de Katowice, Kielce, Cracóvia, Lublin, Poznań e Wrocław.». isap.sejm.gov.pl. Consultado em 13 de julho de 2021 
  9. Resolução n.º XIX / 109/72 do Conselho Nacional Provincial em Breslávia de 13 de dezembro de 1972 sobre o estabelecimento de municípios na Voivodia de Wrocław (Diário Oficial do Conselho Nacional Provincial em Breslávia de 15 de dezembro de 1972, n.º 8, item 165).
  10. a b Die schlesischen Ortsnamen, ihre Entstehung und Bedeutung. Ein Bild aus der Vorzeit. - Zweite vermehrte und verbesserte Auflage - Śląska Biblioteka Cyfrowa (em polonês). [S.l.: s.n.] 
  11. Monumenta Poloniae Historica. Volume I, Academia do Conhecimento em Cracóvia, Lviv 1864, p. 472.
  12. Georg Korn, "Breslauer Urkundenbuch". Erster Theil, Breslau, Verlag von Wilhelm Gottlieb Korn 1870, p. 14.
  13. Direção Regional das Ferrovias Estaduais em Breslávia, Circular Permanente nº 67 / IV, Mudanças nos nomes das estações, Breslávia, 6 de setembro de 1947.
  14. «Otwarcie mostu w Kamieńcu Ząbkowickim - Nasze Sudety». naszesudety.pl. Consultado em 13 de julho de 2021 
  15. a b em24.pl. «Otwarcie zrewitalizowanego mauzoleum w Kamieńcu Ząbkowickim [foto] [video]». zabkowice.express-miejski.pl. Consultado em 13 de julho de 2021 
  16. «Registro de monumentos imóveis na voivodia da Baixa Silésia» (PDF). Narodowy Instytut Dziedzictwa. p. 241. Consultado em 12 de julho de 2021 
  17. Łuczyński Romuald M. Castelos, solares e palácios nos Sudetos, Legnica, 2008, pp. 164-173.
  18. «Rozporządzenie Ministrów: Administracji Publicznej i Ziem Odzyskanych z dnia 12 listopada 1946 r. o przywróceniu i ustaleniu urzędowych nazw miejscowości.». isap.sejm.gov.pl. Consultado em 13 de julho de 2021 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Almanach de Gotha, Gotha 1937
  • Schlesisches Güter-Adreßbuch, Verzeichnis sämtlicher Rittergüter sowie der größeren Landgüter der Provinzen Nieder-und Oberschlesien, Breslau 1937
  • Hugo Weczerka (ed.), Handbuch der historischen Stätten – Schlesien, Stuttgart 1977

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Kamieniec Ząbkowicki