Karim Aïnouz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Karim Aïnouz
Nascimento 17 de janeiro de 1966 (53 anos)
Fortaleza, Ceará
 Brasil
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Diretor
Roteirista
Atividade 1992Atualmente

Karim Aïnouz (Fortaleza, 17 de janeiro de 1966) é um diretor de cinema, roteirista, e artista visual brasileiro, mais conhecido pelos filmes Madame Satã, O Céu de Suely, Praia do Futuro e A Vida Invisível.[1][2][3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Karim Aïnouz iniciou sua carreira no cinema como co-roteirista de filmes nacionais, como Abril Despedaçado (2001) de Walter Salles, Cinema, Aspirinas e Urubus (2005), de Marcelo Gomes, e Cidade Baixa (2005), de Sérgio Machado.

Depois de Madame Satã, seus longas seguintes foram O Céu de Suely e Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo (co-dirigido com Marcelo Gomes) que estrearam no Festival de Veneza na Mostra Orizzonti em 2006 e 2009 respectivamente. Em 2011 o filme O Abismo Prateado teve sua estreia mundial no Festival de Cannes, na Quinzena dos Realizadores, e recebeu o prêmio de Melhor Diretor no Festival do Rio. Em 2014, Aïnouz lançou o filme Praia do Futuro.[4] Filmado no Brasil e na Alemanha, a produção estreou na Competição Oficial do 64° Festival de Berlim[5]. Ainda em 2014 ele participou como co-diretor de Cathedrals of Culture,[6] o filme tem como produtor executivo Wim Wenders e estreou no Festival de Berlim na seção Berlinale Special daquele ano.

Em 2010, o diretor foi homenageado na 13ª Mostra de Cinema de Tiradentes[7] e teve retrospectivas na Espanha, Suíça, França e Estados Unidos.

Em 2012, Aïnouz foi convidado a integrar o júri da Cinéfondation e da Competição de Curtas-metragens do 65° Festival de Cannes. No mesmo ano participou do projeto Destricted.br, — inspirado no projeto Destricted de Larry Clark — com Adriana Varejão, Janaína Tschäpe, Julião Sarmento, Lula Buarque de Hollanda, Marcos Chaves e Miguel Rio Branco. Ainda, foi convidado para compor o júri do Heiner Carow Award durante o 63° Festival de Berlim e em 2014 foi presidente do júri do Festival do Rio. Seu último trabalho de documentário experimental, Domingo,[8] é resultado da parceria com o artista dinamarquês Olafur Eliasson e foi apresentado durante o 17° Festival Videobrasil e teve sua estreia mundial no Festival do Rio 2014.

Na televisão, em 2008, Aïnouz escreveu e dirigiu a série de televisão Alice, em parceria com Sergio Machado, para a HBO América Latina. Seus curtas-metragens e instalações foram exibidos em inúmeras mostras e museus pelo mundo, incluindo no Whitney Museum of American Art, MoMa Nova York, Bienal de São Paulo, Bienal de Sharjah, Museu de Arte Contemporânea de Fortaleza[1] e Festival Videobrasil.

Desde 2017 Aïnouz é membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Em 2018, Aïnouz lançou o documentário Zentralflughafen THF (Aeroporto Central THF). O filme retrata a vida de refugiados em busca de asilo político na capital da Alemanha e teve sua estreia mundial na seção Panorama do 68º Festival Internacional de Filmes de Berlim onde ganhou o Prêmio Anistia Internacional. A produção, até então, já foi exibida em mais de 50 festivais. Em 2019, lançou o longa-metragem A Vida Invisível, uma adaptação do romance ''A Vida Invisível de Eurídice Gusmão" escrito por Martha Batalha. O filme ganhou o prêmio Un Certain Regard no Festival de Cannes de 2019, e foi o escolhido para representar o Brasil na disputa por uma vaga na categoria de Melhor Filme Internacional no "Oscar 2020''.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Como diretor[editar | editar código-fonte]

Ano Título Tipo Notas
1992 O Preso Vídeo (ficção)
1993 Seams Curta-metragem
1994 Paixão Nacional Vídeo
1996 Hic Habitat Felicitas Curta-metragem
1998 Les Ballons des Bairros Curta-metragem (documentário)
2000 Rifa-me Curta-metragem
2002 Madame Satã Longa-metragem
2006 O Céu de Suely Longa-metragem
2008 Alice Série de televisão
2010 Desassossego Longa-metragem Direção de um dos seguimentos
Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo Longa-metragem Co-direção Marcelo Gomes
2011 Sonnenallee Curta-metragem (documentário) Documentário para a Sharjah Art Foundation
Destricted.br Vídeo
O Abismo Prateado Longa-metragem
Sua Cidade Empática Vídeo Video instalação, video HD de 3 canais, 24 refletores, dimmers, filtro de película colorida[9]
2014 Cathedrals of Culture Vídeo documentário Direção do seguimento "Centre Pompidou"
Praia do Futuro Longa-metragem
Domingo Curta-metragem (documentário) [10]
Terra Prometida Vídeo Vídeo instalação (co-direção Armando Praça)
Short Plays Vídeo Direção do seguimento "Brazil"
2015 Velázquez ou O Realismo Selvagem Longa-metragem (documentário) [11]
2018 Zentralflughafen THF Longa-metragem (documentário)
2019 A Vida Invisível Longa-metragem

Como roteirista[editar | editar código-fonte]

  • 2015 - Velázquez ou O Realismo Selvagem - documentário, HD video, cor, 52min.
  • 2014 - Domingo – documentário, HD video, cor, 26min.
  • 2014 - Praia do Futuro, ficção, cor, 106 min.
  • 2014 - Cathedrals of Culture - episódio Centre Pompidou - documentário, 3D, cor, 165 min.
  • 2014 - Terra Prometida - video instalação, video HD, cor, 4min. (co-direção Armando Praça)
  • 2011 - O Abismo Prateado, ficção, 35mm, cor, 84 min.
  • 2011 - Destricted.br. experimental, 16mm, cor, 14min.
  • 2011 - Sonnenallee, documentário para a Sharjah Art Foundation, Super 8 para Digital, cor, 12 min.
  • 2010 - Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo , ficção , 35mm , cor, 75 min.
  • 2010 - Desassossego - Direção de um dos fragmentos, ficção , cor, 63 min.
  • 2008 - Alice, série da HBO
  • 2006 - O Céu de Suely, ficção, 35mm, cor, 88 min.
  • 2005 - Cinema, Aspirinas e Urubus, ficção, 35mm, cor, 104 min.
  • 2005 - Cidade Baixa , ficção , 35mm , cor, 93 min.
  • 2002 - Madame Satã, ficção, 35mm, cor, 105 min.
  • 2001 - Abril Despedaçado, ficção , 35mm , cor, 105 min.
  • 2000 - Rifa-me, ficção, 35 mm, cor, 28 min.
  • 1998 - Les Ballons des Bairros, documentário para a France 3, vídeo, 26 min.
  • 1996 - Hic Habitat Felicitas, ficção, 35mm, cor, 26 min.
  • 1994 - Paixão Nacional, experimental, 16mm, cor, 9 min.
  • 1993 - Seams, documentário, 16mm, cor, 29 min.
  • 1992 - O Preso, ficção, vídeo, cor, 19 min.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Un Certain Regard no Festival de Cannes por A Vida Invisível (2019)
  • Prêmio Anistia Internacional no 68º Festival Internacional de Cinema de Berlim por Zentralflughafen THF (2018)
  • Segundo Prêmio Coral no Festival de Havana por O Abismo Prateado (2011)
  • Prêmio de Melhor Diretor no Festival do Rio por O Abismo Prateado (2011)
  • Grand Prix Coup de Coeur, 22º Rencontres Cinémas d'Amérique Latin (Toulouse/France), por Viajo porque Preciso, Volto porque Te Amo (2010)
  • Prêmio de Melhor Fotografia no Festival do Rio por Viajo porque Preciso, Volto porque Te Amo (2009)
  • Prêmio de Melhor Diretor no Festival do Rio por Viajo porque Preciso, Volto porque Te Amo (2009)
  • Prêmio FIPRESCI no Festival de Havana por Viajo porque Preciso, Volto porque Te Amo (2009)
  • Terceiro Prêmio Coral no Festival de Havana por Viajo porque Preciso, Volto porque Te Amo (2009)
  • Prêmio FIPRESCI, 47º Thessaloniki International Film Festival, por O Céu de Suely [Love for Sale ](2009)
  • Grand Coral no Festival de Havana por O Céu de Suely (2009)
  • Prêmio de Melhor Filme no Festival do Rio por O Céu de Suely (2006)
  • Prêmio de Melhor Diretor no Festival do Rio por O Céu de Suely (2006)
  • Prêmio de Melhor Diretor na Associação Paulista de Críticos de Arte por Madame Satã (2002)
  • Prêmio de Melhor Direção no Festival de Biarritz por Madame Satã (2002);
  • Gold Hugo no Chicago International Film Festival por Madame Satã (2002);
  • Prêmio de Melhor Curta-metragem no Ann Arbor Film Festival, em Michigan, por Seams (1997);
  • Prêmio Vito Russo Award no New Festival, em Nova York, por Seams (1994)
  • Prêmio de Melhor Curta-metragem no Atlanta Film Festival por Seams (1994).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Redação (11 de junho de 2014). «A sala da praia de Karim e Armando». Diário do Nordeste. Consultado em 1 de julho de 2017 
  2. Mischke, Inken Sarah (2014). «Tudo o que você precisa saber sobre Karim Aïnouz antes de assistir ao Praia do Futuro». Oba Oba. Consultado em 1 de julho de 2017 
  3. Campbell, Alexandre. «Quem é quem no cinema - Karim Aïnouz». Filme B. Consultado em 1 de julho de 2017 
  4. «Praia do futuro». Bernilale. 2014. Consultado em 1 de julho de 2017 
  5. Pécora, Luísa (19 de maio de 2014). «Cineasta Karim Aïnouz: "Por que uma pessoa beijar outra é algo polêmico?"». IG. Consultado em 1 de julho de 2017 
  6. «Cathedrals of Culture». Bernilale. 2014. Consultado em 1 de julho de 2017 
  7. «Karim Aïnouz, o homenageado desta edição da Mostra de Cinema de Tiradentes». Jornal O Tempo. 2010. Consultado em 1 de julho de 2017 
  8. «Domingo». Video Brasil. 2014. Consultado em 1 de julho de 2017 
  9. «Sua cidade empática». Video Brasil. 2011. Consultado em 2 de julho de 2017 
  10. «Novo filme da série Videobrasil Coleção de Autores, Domingo, de Karim Aïnouz». Video Brasil. 30 de setembro de 2014. Consultado em 2 de julho de 2017 
  11. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome sales

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.