Karin Boye

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Karin Boye
Nascimento 26 de outubro de 1900
Gotemburgo, Suécia
Morte 24 de abril de 1941
Alingsås, Suécia
Nacionalidade Suécia sueca
Ocupação Escritora
Principais trabalhos ”Kallocain” (1940)

Karin Maria Boye (1900-1941), poeta, escritora e desenhista sueca.
A sua obra agrada especialmente aos leitores jovens, pela sua autenticidade e pelos seus conflitos de personalidade.[1][2]

Nascida em Gotemburgo, de família abastada, foi uma das líderes do modernismo sueco. Mudou-se para Estocolmo em 1904, participando intensamente do movimento artístico e literário radical "Clarté". Foi membra da Academia dos Nove, a partir de 1931.
Estudou grego, línguas escandinavas e história da literatura na Universidade de Upsala. Interessou-se pela psicanálise e pelo radicalismo de esquerda, o que teve repercussões na sua vida e na sua obra.[3]
De vida emocional complexa e exótica, era sujeita a crises de profunda depressão. Suicidou-se aos 41 anos, em 25 de abril de 1941, ingerindo barbitúricos, nos bosques de Alingsås, próximo à cidade onde nascera. [4]

Obras[editar | editar código-fonte]

Estátua de Karin Boye junto à Biblioteca Municipal de Gotemburgo, em Kungsportsavenyn.
Poemas
  • Moln (Nuvens), 1922
  • Gömda Land (Terra escondida), 1924
  • Härdarna (Os lares), 1927
  • För trädets skull (Por amor da árvore, 1935)
  • De sju dödssynderna (Os sete pecados mortais), póstumo, 1941
Romances
  • Kris (Crise), 1934, no qual descreve sua adolescência e a descoberta de sua bissexualidade.
  • Kallocain, 1940, que põe em cena um estado totalitário semelhante ao da Alemanha Nazista de Hitler e da União Soviética de Estaline.

Referências

  1. Magnusson, Thomas; et al. (2004). «Karin Boye». Vad varje svensk bör veta (em sueco) (Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB). p. 330. ISBN 91-0-010680-1. 
  2. «Karin Boye». Norstedts uppslagsbok (em sueco) (Estocolmo: Norstedts). 2007-2008. p. 158. ISBN 9789113017136. 
  3. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Karin Boye». Bonniers uppslagsbok (em sueco) (Estocolmo: Albert Bonniers Förlag). p. 117. ISBN 91-0-011462-6. 
  4. Ingemar Algulin. «Karin Boye» (em sueco). Nationalencyklopedin – Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 16 de fevereiro de 2016. 
  • Toledo, J. - "Dicionário de Suicidas Célebres", São Paulo, Ed. Record, 1999
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.