Karl Christian Friedrich Krause

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia
Karl Christian Friedrich Krause

Karl Christian Friedrich Krause (Eisenberg, 4 de maio de 1781 - Munique, 27 de setembro de 1832) foi um filósofo alemão.[1]

Foi professor em Jena (1802), Göttingen (1823) e Munique (1831). A filosofia de Krause pretendia ser uma continuação autêntica do pensamento de Kant, contra o que ele considerava as falsas interpretações de Fichte, Schelling e Hegel. Para Krause, Deus, conhecido intuitivamente pela consciência, não é uma personalidade mas uma essência que contém o próprio universo. Mas isso não significa que Krause aceitasse a designação de panteísmo pois não identifica Deus com o universo, mas antes considera o mundo como mundo-em-Deus.

O homem e o universo formam um todo orgânico feito à imagem de Deus e a vida do todo se desenvolveria segundo uma lei perfeita. Para Krause, haveria na humanidade a unidade do Espírito e da Natureza. A humanidade compõe-se de seres que se influenciam reciprocamente e estão vinculados a Deus. Os períodos históricos seriam etapas sucessivas da ascensão a Deus, que culminaria com uma humanidade racional. Essa concepção aplica-se sobretudo à ética e à filosofia do direito.

Krause rejeita a teoria absolutista do Estado e ressalta a importância das associações que considera de finalidade universal: a família e a nação. O ideal da humanidade não seria que um Estado dominasse os demais, mas que se constituísse uma federação das associações universais, sem prejuízo para suas peculiaridades. Através do processo federativo chegar-se-ia gradualmente ao ideal de uma humanidade unida, cujos membros poderiam participar da razão suprema e do bem.

Krause desenvolveu esse conceito de "união da humanidade" (Menschheitsbund) a partir das idéias da maçonaria. Entre suas obras, pode-se destacar:[2]

  • (1803) Fundamento do direito natural;[3]
  • (1804) Esboço dos sistemas da filosofia;[4]
  • (1810) Sistema da doutrina moral.[5]

O pensamento de Krause (o krausismo) teve sua maior difusão na Espanha, devido especialmente aos trabalhos de Sanz del Río.

  1. «Karl Christian Friedrich Krause - Oxford Reference» (em inglês). doi:10.1093/oi/authority.20110803100043538. Consultado em 11 de junho de 2018. 
  2. «Hathi Trust Digital | Library Catalog Search Results - "Krause, Karl Christian Friedrich, 1781-1832."». catalog.hathitrust.org (em inglês). Consultado em 11 de junho de 2018. 
  3. Krause, Karl Christian Friedrich (1803). Grundlage des Naturrechts oder philosophischer Grundriss des Ideals des Rechts (em alemão). Jena ; Leipzig: bey Christian Ernst Gabler 
  4. Krause, Karl Christian Friedrich (1828). Vorlesungen über das System der Philosophie. (em alemão). Göttingen: [s.n.] 
  5. Krause, Karl Christian Friedrich (1810). System der sittenlehre. Bd.I. Leipzig: C.H. Reclam