Katherine Johnson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Katherine Johnson
Katherine Coleman Goble Johnson
Conhecido(a) por contribuições técnicas fundamentais para o avanço da aeronáutica e exploração espacial
Nascimento 26 de agosto de 1918 (99 anos)
White Sulphur Springs, West Virginia, Estados Unidos
Nacionalidade norte-americana
Alma mater West Virginia University
Prêmios Medalha Presidencial da Liberdade em 2015
Instituições NACA, NASA
Campo(s) Matemática, Engenharia Aeroespacial e Física

Katherine Coleman Goble Johnson (White Sulphur Springs, 26 de agosto de 1918), é uma física, cientista espacial e matemática estadunidense.[1] [2]Ela deu contribuições fundamentais para a aeronáutica e exploração espacial dos Estados Unidos, em especial em aplicações da computação na NASA. Conhecido pela precisão na navegação astronômica informatizada, seu trabalho de liderança técnica na NASA se estendeu por décadas onde ela calculava as trajetórias, janelas de lançamento e caminhos de retorno de emergência para muitos voos de Projeto Mercury, incluindo as primeiras missões da NASA de John Glenn, Alan Shepard, o voo da Apollo 11, em 1969, à Lua e trabalho contínuo por meio do programa dos ônibus espaciais e sobre os planos iniciais para a missão a Marte.[3][4]

Em 2016, foi incluída na lista de 100 mulheres mais inspiradoras e influentes pela BBC.[5]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Katherine nasceu em 1918, pais Joshua e Joylette Coleman, em White Sulphur Springs, West Virginia, condado de Greenbrier.[6][7] Uma entre cinco filhos, seu pai trabalhava como madeireiro, agricultor e carpinteiro no Hotel Greenbrier. Sua mãe era ex-professora.[6][8] Muito cedo, Katherine mostrou talento para matemática e seus pais enfatizavam a importância da educação para os filhos. Como o condado de Greenbrier não oferecia escola para estudantes negros após a oitava série, as crianças da família foram para o ensino médio no condado de Kanawha, no chamado Instituto, onde hoje é a universidade de West Virginia. A família dividia seu tempo entre os estudos durante o ano e o verão em Sulphur Springs.

Katherine se formou no ensino médio aos 14 anos.[10] Aos 15 anos, ela iniciou os estudos na universidade, onde estudou em todos os cursos que ofereciam matemática. Vários professores a apadrinharam, incluindo a matemática e química Angie Turner King, que a orientou durante o ensino médio e W.W. Schiefflin Claytor, o terceiro negro a receber um doutorado em matemática no país, que chegou a criar novos cursos de matemática especialmente para Katherine. Ela se formou em 1937, com notas máximas em matemática e francês, aos 18 anos.[7][8][11] Depois da formatura, ela se mudou para Marion, Virginia, para ensinar matemática, francês e música em uma escola de ensino infantil.

Em 1939, Katherine se tornaria a primeira negra a se dissociar da graduação na West Virginia University, em Morgantown e a única mulher entre três estudantes negros selecionados a integrar a graduação depois da decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos, que decidiu separar as escolas e universidades para negros e brancos. As universidades estaduais seriam instituições para brancos e a universidade Lincoln deveria criar cursos para atender a negros. Caso não houvesse cursos, outras universidades deveriam atender aos alunos.[8][12]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Katherine na NASA em 1966

Katherine optou pela matemática com interesse em pesquisa na área, um caminho com muitas portas fechadas para negras na época. Os primeiros empregos que conseguiu eram para lecionar. Em uma reunião de família, um parente mencionou que a NACA, que viria a se tornar a NASA, estava com processo seletivo aberto para mulheres, em especial negras, para seu departamento de navegação. Katherine se inscreveu em 1953 e foi imediatamente aceita no novo time da NASA.

Segundo um arquivo oral do Projeto de Líderes Nacionais Visionários:

De 1953 a 1958, ela trabalhou como "computador", fazendo análises para tópicos como a redução da rajada para as aeronaves. Originalmente designada para a seção da West Area Computers, onde era supervisionada por Dorothy Vaughan, Katherine foi redesignada para a Divisão de Controle e Orientação da Divisão de Pesquisa de Voo. Porém, Katherine e as outras mulheres negras da divisão de computação era conhecidas como "computadores de cor" e sujeitadas à segregação, trabalhando, comendo e usando banheiros separados de seus colegas brancos até que essa divisão segregada fosse terminada em 1958.[16] De 1958, até sua aposentadoria em 1986, ela trabalhou como técnica aeroespacial. Katherine ainda trabalhou para a seção de Controles aeroespaciais, onde calculou a trajetória de voo de Alan Shepard,[17][18] o primeiro norte-americano no espaço, em 1959. Calculou também a janela de lançamento do Projeto Mercury, em 1961.[19][20] Katherine plotou cartas de navegação, orientando naves pelas estrelas em caso de falha eletrônica e, em 1962, verificou os primeiros cálculos de computador da órbita de John Glenn ao redor da Terra.[21] Glenn pediu por ela pessoalmente para verificar os números de seu computador de bordo e se recusou a voar até que ela fizesse a verificação.[22]

Em seguida, Katherine trabalhou com computadores digitais, tais como os conhecemos hoje. Sua habilidade e reputação por precisão em cálculos deu confiança aos colegas para trabalhar com a nova tecnologia. Ela calculou a trajetória da missão Apollo 11, em 1969.[17] Durante o pouso, Katherine estava em uma reunião nas montanhas Pocono, ao redor da televisão junto de várias outras pessoas, assistindo aos primeiros passos na Lua. Em 1970, ela trabalhou na missão da Apollo 13. Assim que a missão foi abortada, Katherine trabalhou nos procedimentos de backup e nas cartas que auxiliaram o retorno em segurança dos astronautas para a Terra, quatro dias depois. Mais tarde, Katherine ainda trabalharia no programa dos ônibus espaciais, nos satélites de observação terrestres e na futura missão a Marte.[19][23]

Legado[editar | editar código-fonte]

Sendo premiada com a Medalha Presidencial da Liberdade em 2015

Katherine foi co-autora de 26 artigos científicos.[14] A NASA mantém uma lista de artigos mais significativos de Johnson com links para sua ferramenta de busca de arquivo para encontrar outros.[17] O impacto de seu legado pioneira para a ciência espacial e computação lhe rendeu diversas honrarias e medalhas, além de servir como modelo para outras estudantes.[24][25][26][27][28][29] Desde 1979, antes de se aposentar da NASA, sua biografia tem lugar de destaque entre a lista de negros pioneiros em ciência e tecnologia.[30][31]

Em 24 de novembro de 2015, o presidente Barack Obama incluiu Katherine na exclusiva lista de 17 estadunidenses que receberam a Medalha Presidencial da Liberdade e seu nome foi citado como exemplo pioneiro de mulheres negras na ciência, tecnologia, engenharia e matemática.[32]

Em março de 2016, começaram as finalizações do filme Hidden Figures, que foi lançado em 2017, sobre três cientistas negras da NASA que calcularam as trajetórias de voo do Projeto Mercury e do Apollo 11 nos anos 1960. O filme é baseado no livro de Margot Lee Shetterly que documentou as carreiras e as contribuições de Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson. Katherine é interpretada pela atriz indicada ao Oscar Taraji P. Henson.[33]

Em 5 de maio de 2016, a nova Instalação Katherine G. Johnson de Pesquisa em Computação foi formalmente dedicada pela agência no Centro Langley de Pesquisa, em Hampton, Virginia, no aniversário de 55 anos do voo histórico de Alan Shepard em seu foguete, que Katherine tornou possível.[34]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 1939, ela se casou com James Francis Goble e constituíram família. O casal teve três filhas: Constance, Joylette, e Katherine. Em 1956, James morreu devido a um tumor inoperável no cérebro. Em 1959, Katherine se casou com o tenente-coronel James A. Johnson e continuou sua carreira na NASA. Katherine cantou no coro da igreja presbiteriana Carver por cinquenta anos e era membro da sororidade Alpha Kappa Alpha. Katherine tem seis netos e quatro bisnetos e vive em Hampton, Virginia. Ela continua a encorajar estudantes a perseguir suas carreiras em ciência e tecnologia.[35]

Resumo de trabalhos[editar | editar código-fonte]

  • 1936–1952 - professora rural na Virgínia e em West Virginia, nos ensinos infantil e médio;
  • 1952–1953 - professora substituta de matemática em escolas públicas em Newport News, Virgínia ;
  • 1953–1986 - NASA, Centro Langley de Pesquisa, em Hampton, Virginia;
  • 1953–1958 - matemática Centro Langley de Pesquisa, em Hampton, Virginia, com a NACA;
  • 1958–1986 - técnica aeroespacial, NASA.

Educação[editar | editar código-fonte]

Prêmios e honrarias[editar | editar código-fonte]

  • 2015 - Medalha Presidencial da Liberdade;[36]
  • 2010 - doutorado honorário em ciência pela Old Dominion University, Norfolk, Virginia;
  • 2006 - doutorado honorário em ciência pelo Capitol College, Laurel, Maryland;[14][37]
  • 1999 - West Virginia State College - aluno excelente do ano;[14][38]
  • 1998 - doutorado honorário em direito do SUNY Farmingdale;[14][38]
  • 1986 - NASA - Centro Langley de Pesquisa - Special Achievement award[39]
  • 1985 - NASA - Centro Langley de Pesquisa - Special Achievement award[39]
  • 1984 - NASA - Centro Langley de Pesquisa - Special Achievement award[39]
  • 1980 - NASA - Centro Langley de Pesquisa - Special Achievement award[39]
  • 1971 - NASA - Centro Langley de Pesquisa - Center Special Achievement award[39]
  • 1967 - Prêmio do Grupo Apollo, que inclui as 300 bandeiras que voaram junto da Apollo 11;[14]
  • 1967 - NASA - Prêmio em Equipe do Lunar Orbiter Spacecraft and Operations - por trabalho pioneiro na resolução de problemas de navegação de cinco espaçonaves que circundaram e mapearam a lua na preparação para o Programa Apollo[14]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Johnson, Katherine Coleman Goble - Dictionary definition of Johnson, Katherine Coleman Goble - Encyclopedia.com: FREE online dictionary». www.encyclopedia.com. Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  2. «Katherine Johnson: Visionary Videos: NVLP: African American History». www.visionaryproject.org. Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  3. Smith, Yvette (20 de novembro de 2015). «Katherine Johnson: The Girl Who Loved to Count». NASA 
  4. «The Black Female Mathematicians Who Sent Astronauts to Space». Mental Floss 
  5. «BBC 100 Women 2016: Who is on the list?» (em inglês). Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  6. a b «Katherine Johnson – Oral History». National Visionary Leadership Project. Consultado em 12 de fevereiro de 2016 
  7. a b Gale, Thomas (2005). «Johnson, Katherine Coleman Goble». Encyclopedia.com. Cengage Learning. Consultado em 15 de fevereiro de 2016 
  8. a b c Gutman, David (26 de dezembro de 2015). «West Virginian of the Year: Katherine G. Johnson». Charleston Gazette-Mail. Charleston Gazette-Mail. Consultado em 12 de fevereiro de 2016 
  9. «Biography: Katherine Jonhson, space cientist». The Heroine Collective. Consultado em 24 de outubro de 2016 
  10. Bolden, Charles. «Katherine Johnson, the NASA Mathematician Who Advanced Human Rights with a Slide Rule and Pencil». Vanity Fair. Consultado em 25 de agosto de 2016 
  11. Gutman, David (16 de novembro de 2015). «WV native, NASA mathematician to receive Presidential Medal of Freedom». Charleston Gazette-Mail. Charleston Gazette-Mail. Consultado em 12 de fevereiro de 2016 
  12. «Missouri ex rel. Gaines v. Canada 305 U.S. 337 (1938)». Justia US Supreme Court. 1938. Consultado em 12 de fevereiro de 2016 
  13. Wiktionary
  14. a b c d e f g “Oral History Archive: Katherine Johnson”, 2005, National Visionary Leadership Project.
  15. “She Was a Computer When Computers Wore Skirts”, by: Jim Hodges, published by NASA Langley, 2008
  16. Buckley, Cara (5 de setembro de 2016). «On Being a Black Female Math Whiz During the Space Race». The New York Times. ISSN 0362-4331. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  17. a b c «Katherine Johnson». Katherine Johnson – NasaCRgis. NASA. Consultado em 2 de agosto de 2015 
  18. «Katherine Johnson:The Girl Who Loved to Count». NASA. Consultado em 1 de junho de 2016 
  19. a b Smith, Yvette (24 de novembro de 2015). «Katherine Johnson: The Girl Who Loved to Count». NASA. NASA. Consultado em 12 de fevereiro de 2016 
  20. Whitney, AK (2015). «The Black Female Mathematicians Who Sent Astronauts to Space». Consultado em 10 de setembro de 2016 
  21. «Biography: Katherine Jonhson, space cientist». The Heroine Collective. Consultado em 24 de outubro de 2016 
  22. «Makers Profile: Katherine G. Johnson». Makers. Consultado em 24 de maio de 2015 
  23. «Conheça as cientistas negras por trás de "Estrelas Além do Tempo" | EXAME.com - Negócios, economia, tecnologia e carreira». exame.abril.com.br. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  24. “Mop Top” the “Hip Hop” Scientist Celebrates African-Americans in the Sciences: Katherine G. Johnson, 2003
  25. Katherine G. Johnson, Human Computer
  26. “black history... katherine g johnson (1918 – retired)”, UK-based Planet Science
  27. “Katherine G. Johnson: Physicist, Space Scientist, Mathematician” Oracle Think Quest Education Foundation Library
  28. Vivian Ovelton Sammons, Blacks In Science And Medicine, 1989 (Taylor & Francis), ISBN 0-89116-665-3
  29. Katherine Johnson, Computer and Pioneer December 23, 2009, Katysblog
  30. “BLACK CONTRIBUTORS TO SCIENCE AND ENERGY TECHNOLOGY” 1979, anonymous, U.S. Department Of Energy U.S. Government Printing Office (ERIC electronic document)
  31. “BLACK CONTRIBUTORS TO SCIENCE AND ENERGY TECHNOLOGY” 1979, anonymous, U.S. Department Of Energy U.S. Government Printing Office (manually scanned images)
  32. Ford, Knatokie (30 de novembro de 2015). «Honoring NASA's Katherine Johnson, STEM Pioneer». Blog, The White House. The White House. Consultado em 12 de fevereiro de 2016 
  33. «Hidden Figures (2017)». Consultado em 8 de abril de 2016 
  34. Northon, Karen (28 de abril de 2016). «NASA Dedicates Facility to Mathematician, Presidential Medal Winner». Consultado em 1 de agosto de 2016 
  35. «The Untold History of Women in Science and Technology». The White House. Consultado em 22 de outubro de 2016 
  36. Phil Helsel – "Obama honoring Spielberg, Streisand and more with medal of freedom," NBC News, November 24, 2015. Retrieved November 25, 2015
  37. Live, Learn, Pursue Passion – NASA Mathematician preps Class of 2006 to find its mission, Capitol Chronicle, Summer 2006, Capitol College (12 pages, PDF format)
  38. a b African-American Registry, August 26, Katherine G. Johnson (2006)
  39. a b c d e Personal communication, 2009, NASA

Links[editar | editar código-fonte]