Katsbarnea

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Katsbarnea
Gravação do DVD A Carne e o Sangue
Informação geral
Também conhecido(a) como Kats
Origem São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Rock cristão, pop rock, rock experimental, hard rock, rock progressivo
Período em atividade 19881999
2000-2003
2007-atualmente
Gravadora(s) Gospel Records (1988-2008)
Independente (2008-atualmente)
Afiliação(ões) Renascer Praise ,
Oficina G3 , Troad , Kadoshi , Fruto Sagrado
Integrantes Paulinho Makuko (vocal e guitarra base)
Marrash (bateria)
Jeff Fingers (guitarra solo)
Moisés Brandão(baixo)
Ex-integrantes Brother Simion (Vocal e Guitarra)
Déio Tambasco (Guitarra)
Jonatas Zain (Guitarra)
Tomati (Guitarra)
André Mira (Guitarra)
Alessandra Orlando (Vocal de apoio)
Ari Bahia (Percussão)
Cláudia Bastos (Vocal de apoio)
Cristian Bispo (Guitarra)
Flavio Benez (Bateria)
Fuka (Bateria)
Roque Delgomez (Bateria)
Gandi (Bateria)
Harley Silva (Guitarra)
Hilquias (Saxofone tenor)
Jáder "Jadão" Junqueira (Baixo)
Leonardo Lima (Teclados)
Lufe (Bateria)
Marcelo Gasperini (Bateria)
Marcio Domene (Trompete)
Marquinhos (Saxofone)
Mauricio Domene (Teclados))
Sandra Simões (Vocal de apoio)
Tchu Salomão (Baixo)
Mauro Albert (Guitarra)
Robson Moura (Teclados)
Giovani Bon (Teclados)
Página oficial Katsbarnea.com.br

Katsbarnea é uma banda brasileira de rock cristão, formada na cidade de São Paulo em janeiro de 1987, tendo mais de vinte anos de atividade.[1][2] O auge de seu sucesso se deu no final da década de 90 e no início da década de 2000, ao lado de outros grupos musicais do segmento que se destacavam na época como Oficina G3, Catedral, Fruto Sagrado e Resgate. Fundada por Brother Simion juntamente com vários outros músicos, o grupo já vendeu mais de meio milhão de cópias no Brasil.[3] Em 1990 a banda venceu o FICO - Festival Interno do Colégio Objetivo, com a música "Extra, Extra".[4]

A banda já passou por duas fases, sendo a primeira iniciada desde a gravação de O Som que Te Faz Girar, ao qual se destacou a canção "Extra", até hoje o maior hit da banda.[5] Com uma mudança constante de integrantes, a banda lançou dois trabalhos de grande repercussão com o vocalista e cantor Brother Simion como líder conceitual, Cristo ou Barrabás de 1993 e Armagedom de 1995, sendo notável no último o rock experimental e considerado o melhor trabalho do Katsbarnea. Simion já possuía uma carreira solo estável e após o lançamento do aclamado Asas em 1998, decidiu encerrar a banda.[6] Porém, outros membros fundadores decidiram retomar as atividades do grupo.

Com a volta de Paulinho Makuko e Marcelo Gasperini e a presença de Déio Tambasco e Jadão, integrantes de longo tempo na banda, o Katsbarnea gravou o seu trabalho mais bem sucedido comercialmente, Acústico - A Revolução está de volta, contando com regravações de Simion. Após isso, a banda ficou durante três anos sem gravar um novo disco, quando lançou Profecia, unindo o rock com a música erudita. Entretanto, o repertório conteve apenas regravações e canções da carreira solo de Brother Simion. A partir daí, o Katsbarnea entrou em crise, e a saída de Déio Tambasco, Jadão e Makuko fez com que o conjunto não lançasse nenhum material inédito.

Após doze anos sem um disco inédito, o renascimento do Katsbarnea veio em 2007 com a gravação de A Tinta de Deus, que contou com a volta de Tambasco, Gasperini e Makuko na formação. A obra recebeu elogios da crítica especializada e em comemoração dos vinte anos do grupo, foi gravado o DVD Katsbarnea - Ao Vivo. Entretanto, o grupo continuou a sofrer uma mudança constante de integrantes. Apenas com Paulinho Makuko da formação original, o grupo lançou o single "Nasceu um Novo Dia" em 2012, como prévia do álbum Eis que Estou à Porta e Bato[7] lançado em 2013, que recebeu críticas mistas, maior parte negativas.[8]

História[editar | editar código-fonte]

A banda surgiu em São Paulo, no fim da década de 1980, numa época em que outras bandas de rock cristão como Oficina G3, e Resgate surgiam no meio cristão. Os integrantes fundadores do conjunto foram Brother Simion, Tchu Salomão e Paulinho Makuko. O primeiro trabalho lançado pelo grupo foi O Som que Te Faz Girar, lançado em 1988 em fita cassete.[9]

O segundo álbum da banda, Katsbarnea, foi gravado originalmente com uma nova masterização diferente da primeira cassette demo, nos estúdios Transamérica, em São Paulo, de junho a setembro de 1989, e foi lançado em LP e K7. A produção musical foi responsabilidade de Mauricio Domene e a produção executiva foi dos estúdios New Voice, representado por Domingos Orlando (o Mingo, ex-integrante do grupo Os Incríveis). Na época, a banda contava com 10 integrantes fixos — Brother Simion na guitarra e no vocal; André Mira na guitarra; Tchu Salomão no baixo; Mauricio Domene no teclado; Paulinho Makuko na percussão e no vocal; Marcelo Gasperini na bateria; Alessandra Orlando, Cláudia Bastos e Sandra Simões no vocal de apoio; e Marquinhos no saxofone — e ainda dois músicos eventuais: Hilquias no saxofone tenor, e Marcio Domene no trompete. Em 1992 foi lançado Cristo ou Barrabás?, produzido por Rick Bonadio.[10]

Ainda em 1991, a formação mudou drasticamente. Saíram todas os vocais de apoio e os músicos Tchu Salomão e Marcelo Gasperini. No lugar de Tchu Salomão no baixo, entrou Jader Jadão Junqueira no baixo, e Fuca entrou na vaga que era de Marcelo Gasperini, na bateria. Posteriormente, em 1993, foi a vez de Paulinho Makuko, deixar a banda. O guitarrista Tomati atualmente no Sexteto do Jô Soares, assumiu o posto de guitarrista da banda entre os anos de 1992 e 1993, sendo em seguida substituído por Silas Fernandes que depois foi substituído por Mauro Albert.

Em 1995, houve a entrada de Déio Tambasco como guitarrista da banda e o grupo lançou Armagedom, produzido pelo produtor Paulo Anhaia, que havia trabalhado com outras bandas como Resgate e Oficina G3. Quatro anos depois, em 1999 Brother Simion deixou a banda, declarando que estava encerrada. Porém, os demais integrantes convidaram Paulinho Makuko a retornar ao conjunto como vocalista, e junto com ele voltou Marcelo Gasperini também. Os demais permaneceram na banda.[11]

No ano 2000 a banda lançou com o disco Acústico - A Revolução está de volta, gravado ao vivo no DirecTV Music Hall, em 28 de dezembro de 1999, em São Paulo.[12] O trabalho, registrado em CD e VHS rendeu uma turnê de aproximadamente dois anos, levando a banda a excursionar novamente por todo Brasil e em cidades da Bolívia, Argentina, Uruguai, Inglaterra, Polônia, Canada, Estados Unidos e Israel.[13] Com o fim da turnê, Déio Tambasco cedeu a vaga de guitarrista ao músico Harley Silva, a fim de se dedicar também à carreira solo.

Em 2003, a banda lançou o trabalho Profecia.[10] Essa foi uma releitura de seus sucessos, porém com uma nova sonoridade, fundindo o rock com a música clássica. O disco recebeu críticas negativas. Sua turnê, Ácidas Estrelas durou até 2004, e depois de a terem concluído, Paulinho Makuko saiu da banda. Após isso, Jadão e Harley Silva também saíram, depois dissoa banda passou por diversas formações e participações, depois de um período, a banda entrou em hiato.[14]

Em 2006 o Resgate regravou em seu trabalho Até eu Envelhecer a canção "Apocalipse Now", original do álbum Katsbarnea.[15] Após doze anos sem gravar um disco inédito, em 2007 a banda lançou o álbum de estúdio A Tinta de Deus.[16] Em 2009 a banda gravou o primeiro DVD da carreira, intitulado Katsbarnea - Ao Vivo. O disco foi gravado em Salvador, e trouxe regravações de sucessos.[10] Em 2012 o grupo lança o single "Nasceu um Novo Dia" (Chuva de Bençãos), o qual foi disponibilizado para venda no iTunes.[17]

No ano seguinte, a banda lança de forma independente o álbum Eis que Estou à Porta e Bato, com oito músicas inéditas e duas regravações do álbum 12 de Paulinho Makuko.[8]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Brother Simionvocal, guitarra, violão, harmônica, piano, teclado (1988–1998)
  • Tchu Salomão – vocal, baixo (1988–1990)
  • Sandra Simões – vocal de apoio (1988–1991)
  • Patrícia – teclado (1988–1990)
  • Fábio – bateria (1988–1989)
  • Marquinhos – saxofone (1989–1991)
  • Alessandra Orlando – vocal de apoio (1988–1991)
  • Cláudia Bastos – vocal de apoio (1988–1991)
  • André Mira – guitarra (1988–1992)
  • Marcelo Gasperini – bateria (1989–1991; 1999–2010-2015)
  • Maurício Domene – teclado (1989–1990)
  • Hilquias Alves – Sax Tenor (1989–1990)
  • Marcio Domene – trompete (1988-1990)
  • Jadão Junqueira – baixo (1990–2005)
  • Déio Tambasco – guitarra (1995–1996-1999–2001; 2006–2010)
  • Flávio Benez – bateria (1995–1996)
  • Roque Delgomez - bateria (2005)
  • Giovani Bon – teclado (1995–1996)
  • Ciça Wurfel – teclado (1996–1998)
  • Alex Conti – bateria (1997–1999)
  • Harley Silva – guitarra (2001–2003)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio
Álbuns ao vivo

2008: Ao Vivo em Salvador BA

Compilações
Singles

Videografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Release». katsbarnea.com.br/. Consultado em 28 de junho de 2012. Cópia arquivada em 2012 
  2. «Rock e Atitude! Katsbarnea tem muitas novidades». igospel.org.br. Consultado em 28 de junho de 2012. Cópia arquivada em 2012 
  3. Leonardo Rodrigues. «As Melhores Bandas do Rock Cristão Nacional». Consultado em 6 de abril de 2013 
  4. «Review: Katsbarnea». Antena Gospel. Consultado em 15 de março de 2014 
  5. Tiago Abreu. «Rocklogia: Os primeiros anos do Katsbarnea». O Propagador. Consultado em 12 de janeiro de 2015 
  6. «História do Katsbarnea». Metal Gospel. Consultado em 24 de janeiro de 2013 
  7. «Banda Katsbarnea anuncia lançamento de novo álbum e divulga primeiro single: "Nasceu Um Novo Dia"». Portal Guia-me. Consultado em 8 de julho de 2012 
  8. a b «Análise de CD: Eis que estou à Porta e Bato». Gospel Músikas. Consultado em 15 de março de 2014 
  9. Arquivo Gospel. «Discografia». Consultado em 31 de março de 2012 
  10. a b c «Katsbarnea». Super Gospel. Consultado em 28 de junho de 2012 
  11. «Trazendo à Memória: Katsbarnea». Gospel Musikas. Consultado em 06 de abril de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  12. «Katsbarnea - Matérias e Biografias». Whiplash.net. Consultado em 6 de julho de 2012 
  13. Georgeton Leal. «Análise: CD Acústico - A revolução está de volta (Katsbarnea)». Portal Super Gospel. Consultado em 14 de novembro de 2015 
  14. «Paulinho Makuko sai do Katsbarnea. Será o fim da banda?». Super Gospel. Consultado em 6 de maio de 2014 
  15. Roberto Azevedo (7 de março de 2007). «CD Até eu envelhecer (Resgate) - Análise». Super Gospel. Consultado em 31 de março de 2012 
  16. Redação Supergospel (5 de junho de 2007). «Katsbarnea dá a volta por cima e lança o CD "A Tinta de Deus"». Super Gospel. Consultado em 31 de março de 2012 
  17. «Chuva de Bençãos - Single». itunes.apple.com. Consultado em 29 de junho de 2012 
  18. «Novo Single». Katsbarnea. Consultado em 29 de junho de 2012 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]