Kepler-438b

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Comparação do tamanho aproximado de Kepler-438b (à direita) com a Terra.

Kepler-438b (também conhecido por sua designação Kepler Object of Interest de KOI-3284.01) é um exoplaneta confirmado com quase o tamanho da Terra, é provavelmente rochoso, orbitando dentro da zona habitável da anã vermelha[1] Kepler-438, há cerca de 470 anos-luz (145 pc) a partir da Terra, na constelação de Lyra.[2][3] O planeta foi descoberto pelo observatório espacial Kepler da NASA usando o método de trânsito, quando o efeito de escurecimento que faz um planeta como ele quando cruza em frente da sua estrela é medido. A NASA anunciou a confirmação do exoplaneta em 6 de janeiro de 2015.[2] É o planeta mais parecido com a Terra conhecido até a data.[4] Porém, se a existência de KOI-4878.01 for confirmada, este passará a ser o planeta mais semelhante à Terra.[5]

Exoplaneta confirmado[editar | editar código-fonte]

Kepler-438b é um exoplaneta com tamanho parecido ao da Terra, tendo um raio de 1,12 vezes ao raio da Terra. O planeta orbita uma anã vermelha,[6] Kepler-438, uma estrela consideravelmente menor e mais fria do que o Sol, uma vez a cada 35,2 dias.[2][3]

Habitabilidade[editar | editar código-fonte]

O planeta foi anunciado como estando situado dentro da zona habitável de Kepler-438, uma região onde a água líquida pode existir na superfície do planeta. Ele foi descrito como sendo um dos planetas mais parecidos como a Terra, em termos de tamanho e temperatura, já encontrado, tendo um Índice de Similaridade com a Terra (ESI) de 0,88, o mais alto conhecido até à data.[2][3] No entanto, verificou-se que devido a sua estrela-mãe ser de um subtipo de anã vermelha muito ativa, este planeta é submetido a enormes flashes de radiação, a cada poucos cem dias, tempestades muito mais violentas, em torno de dez vezes mais poderosas que qualquer outra já registrada pelo Sol e que seria capaz de esterilizar a vida na Terra.[7][8][9]

Pesquisadores da Universidade de Warwick concluíram que Kepler-438b não é habitável, afinal de contas, devido à grande quantidade de radiação que recebe.[7]

Exoplanetas notáveisObservatório Espacial Kepler
KeplerExoplanets-NearEarthSize-HabitableZone-20150106.png
Pequenos exoplanetas confirmados em zonas habitáveis.
(Kepler-62e, Kepler-62f, Kepler-186f, Kepler-296e, Kepler-296f, Kepler-438b, Kepler-440b, Kepler-442b)
(Observatório Espacial Kepler; 6 de janeiro de 2015).[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «AAS: 8 New Planets in Habitable Zone» (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2015. 
  2. a b c d e «NASA's Kepler Marks 1,000th Exoplanet Discovery, Uncovers More Small Worlds in Habitable Zones» (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2015. 
  3. a b c «Kepler 438b: Most Earth-like planet ever discovered could be home for alien life» (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2015. 
  4. «10 Real Planets That Are Stranger Than Science Fiction» (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2015. 
  5. «planetas extrasolares» (em espanhol). Taringa!. Consultado em 25 de fevereiro de 2016. 
  6. «AAS: 8 New Planets in Habitable Zone» (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2015. 
  7. a b «'Earth-like' Exoplanet Likely Not Habitable» (em inglês). Consultado em 25 de fevereiro de 2016. 
  8. «Cientistas acreditam que o planeta mais parecido com a Terra fora do Sistema Solar seria inabitável». O Sul. Consultado em 25 de fevereiro de 2016. 
  9. Perkins, Sid (2015). «Earth-like planet may be not so hospitable after all, thanks to blasts of radiation». Science. ISSN 0036-8075. doi:10.1126/science.aad7455 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Kepler-438b