Kheer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Kheer é um arroz-doce da culinária típica do Subcontinente Indiano, feito dearroz cozido,trigo, polvilho, ou vermicelli com leite eaçúcar; ele é aromatizado com cardamomo, passas, açafrão, castanha de caju, pistache ou amêndoas.[1] Geralmente o kheer é servido durante uma refeição, ou como uma sobremesa. Ele também é conhecido em algumas regiões como payasam, payasa, phirni, gil-e-firdaus e fereni.[2]

Variações regionais[editar | editar código-fonte]

Ingredientes para o kheer
Sagukhiri, um khiri feito em Orissa.
Kheer feito de semolina (suji)

Kheer é preparado em festas, templos, e em qualquer tipo de ocasião especial; o prato é muito pesado para ser comido diariamente.[1] Ele é preparado com leite, arroz, ghee, açúcar branco ou rapadura, e khoya. Algumas versões também adicionam um pouco de creme de leite, para um sabor mais rico. Muitas vezes é enfeitado com amêndoas, castanha de caju, uvas passas e pistache.[2] Há uma versão mais popular do kheer no norte da Índia, que é preparado durante as festas em Varanasi; nela se usa apenas leite, arroz, ghee, açúcar, cardamomo, frutas secas, e kesar (açafrão e leite).[3] É um prato obrigatório em muitas festas e celebrações Hindus.

Ainda que na maioria das vezes o prato seja feito com arroz, ele também pode ser feito com outros ingredientes, como o vermicelli, um tipo de massa alimentícia extremamente fino.[4]

Leste Indiano[editar | editar código-fonte]

A origem da versão Odia do arroz kheer é colocada na cidade de Puri, Orissa, em aproximadamente  2.000 anos atrás.[5][6] Ele é cozido até hoje nos templos da região. Embora o açúcar branco seja o tipo mais comumente usado, a adição de gur (açúcar mascavo) como adoçante faz parte de uma variação preparada em Orissa.[7]

Em Bengala, ele é chamado de payas ou payesh. Ele é considerado um alimento auspicioso, e costuma ser associado com o annaprashana (desmame ritual de um bebê) e festas de aniversário.[8] Ele é chamado de kheer em Bengali se o leite é usado em uma quantidade significantemente maior do que o arroz. Em Bangladesh e na Bengala Ocidental, o payesh é preparado com pandan (planta típica da região), arroz glutinoso, vermicelli, semolina eleite de coco, e o resultado é uma sobremesa mais pegajosa e cremosa.[9]

Em Assam, ele é chamado de payoxh e, além das frutas secas, cerejas são adicionadas para dar uma leve coloração rosada à comida. Às vezes, o arroz pode ser substituído por sagu.[10] 

Em Bihar, ele é chamado de chawal ki kheer.[11] Uma sobremesa muito popular, essa versão leva nata e açafrão. Outra variedade deste kheer, chamada de gur ki heer ou rasiya, é adoçada com rapadura; assim, o produto resultante tem uma cor amarronzada e um gosto suave e adocicado.[12]

Sul indiano[editar | editar código-fonte]

Kheer, servido frio.


Em uma refeição no sul da Índia, o payasam (nome local para a sobremesa) é servido em primeiro lugar, antes de qualquer outro prato, em qualquer ocasião formal ou auspiciosa.[13] Ele também é servido após o rasam (espécie de sopa de arroz), enquanto o arroz com leitelho é o último item da refeição.[14]

A versão de Hyderabad, também na Índia, é chamada de gil-e-firdaus, e é bastante popular na região. Ele é um kheer de textura grossa, feito com leite e cabaça. A tradução literal do nome significa "a argila do paraíso".[15]

Payasam é servido como uma oferenda para os deuses em templos hindus no sul da Índia e no sul Asiático, durante rituais e cerimônias.[1]

Ásia[editar | editar código-fonte]

Firni ou phirni, também conhecido como "arroz doce indiano", é deixado descansar em um prato de barro, e decorado com açafrão, amêndoas e pistaches.

O prato também é consumido durante o Ramadã e preparado para as festas de casamentos Muçulmanos e festivais, como o Eid ul-Fitr e Eid-ul-Adha. [4] Uma sobremesa semelhante, conhecida como firni, é comum entre as comunidades muçulmanas da Índia, Bangladesh, Paquistão e Afeganistão

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c Seshadri, Diana (20 de novembro de 2016). Food for the Gods (em inglês). [S.l.]: Lulu.com. ISBN 9781430312697 
  2. a b Rai, Rajnit (14 de outubro de 2000). Curry, Curry, Curry (em inglês). [S.l.]: Penguin UK. ISBN 9789351181606 
  3. «Kesar badam kheer (saffron and almond kheer)». Secret Indian Recipe (em inglês). Consultado em 20 de novembro de 2016 
  4. a b Roufs, Timothy G.; Roufs, Kathleen Smyth (29 de julho de 2014). Sweet Treats around the World: An Encyclopedia of Food and Culture (em inglês). [S.l.]: ABC-CLIO. ISBN 9781610692212 
  5. «Cooking With Kurma - Essays». www.kurma.net. Consultado em 21 de novembro de 2011 
  6. «The many faces of Kheer: Think the famous rice pudding is an Indian invention? You will be surprised!». The Indian Express. 10 de novembro de 2014 
  7. «Roasted Rice Kheer (Bhaja Chaula Khiri)». www.oriyarasoi.com. Abril de 2014. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  8. The Oxford Companion to Sugar and Sweets (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press. 01 de abril de 2015. ISBN 9780199313624  Verifique data em: |data= (ajuda)
  9. Reejhsinghani, Aroona (05 de outubro de 2013). Delicious Bengali Dishes (em inglês). [S.l.]: Jaico Publishing House. ISBN 9788172245658  Verifique data em: |data= (ajuda)
  10. «Payokh - Assamese style rice pudding». Sisir's Blog (em inglês). 03 de abril de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  11. Dalal, Tarla (15 de junho de 2007). Punjabi Khana (em inglês). [S.l.]: Sanjay & Co. ISBN 9788189491543 
  12. «Gur Ki Kheer - Kheer with Jaggery Recipe». nishamadhulika.com. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  13. Dube, Saurabh (1998). Untouchable Pasts: Religion, Identity, and Power among a Central Indian Community, 1780-1950 (em inglês). [S.l.]: SUNY Press. ISBN 9780791436875 
  14. Sobremesas são servidas no meio da refeição no costume do sul Indiano
  15. Sokhi, Sanjeev Kapoor and Harpal Singh. Royal Hyderabadi Cooking (em inglês). [S.l.]: Popular Prakashan. ISBN 9788179917022