Kibe Loco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Kibe Loco
Slogan A verdade é ácida e o kibe é cru
Requer pagamento? Não
Gênero Site de humor
Cadastro Não necessita cadastro
País de origem  Brasil
Idioma(s) Português
Lançamento Abril de 2002.[1]
Posição no Alexa 209° no Brasil[2]
Proprietário Antônio Pedro Tabet
Página oficial www.kibeloco.com.br

Kibe Loco é um site humorístico brasileiro criado em 2002 pelo publicitário, autor, roteirista, ator e apresentador carioca Antonio Tabet. [3][4]

Histórico[editar | editar código-fonte]

O site começou em 1996, como uma coluna de humor em um jornal estudantil escrita pelo então estudante publicitário Antonio Tabet, na Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).[5]

Em 2002, então funcionário do departamento de marketing da Icatu Hatford, Tabet costumava enviar piadas e fotomontagens por e-mail aos companheiros de trabalho. Monitorado pelo departamento de TI da empresa, Tabet decidiu armazenar todo conteúdo enviado anteriormente por e-mail em uma página na internet, o que se transformou no site Kibe Loco.[6][7]

Em 2004, o site atingiu a marca pico de quatro milhões de visitas quando publicou o vídeo que mostrava o jornalista William Bonner imitando o estilista Clodovil. Este marco de audiência fez com que o site se popularizasse ainda mais e Tabet passou a se dedicar exclusivamente à edição do site em 2005, quando fotomontagens a respeito do escândalo do Mensalão repercutiram bastante.[8]

Em 2005, com o convite da Globo e do apresentador Luciano Huck, Kibe Loco estreou na televisão através do programa Caldeirão do Huck com o quadro Kibe Loco TV, no qual Tabet protagonizava esquetes com câmeras escondidas.[9]

Em 2007, o acesso diário do site cresceu para cento e oitenta mil. No mesmo ano, Antonio Tabet ganhou o prêmio de Melhor Blog da revista Info Exame. O site Kibe Loco passou então a ser hospedado na Globo.com.[7] Em março de 2012, Antonio Tabet assinou contrato com o R7 e, a partir do mesmo mês, o Kibe Loco passou a ser hospedado no portal da Rede Record. Hoje com mais de 500 mil visitas diárias, o Kibe loco é um dos blogs mais acessados do Brasil.[10][11] Também em 2012, o Kibe Loco lançou com exclusividade e ineditismo os vídeos do canal Porta dos Fundos.

Em 2015, Tabet iniciou um programa de humor no canal TBS com o nome Show do Kibe, nos qual Tabet realiza entrevistas aos seus convidados antes das câmeras serem oficialmente ligadas. [12]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome "Kibe Loco" se origina de "Kibe" por causa da ascendência árabe de Antonio Tabet, criador do site, e "Loco" porque o portunhol era o idioma utilizado na coluna extinta que Antonio produzia no jornal da faculdade UFRJ.[6]

Críticas[editar | editar código-fonte]

Em meio à explosão de popularidade dos blogs no Brasil em meados da década de 2000, o jornalista Ricardo Noblat, que definiu Antonio Tabet como "um senhor de meia idade, que faz um esforço enorme para parecer engraçado",[13] declarou que, por não disponibilizar espaço para comentários ou outros meios de interatividade com o leitor, o Kibe Loco não poderia ser considerado um blog, acusando-o ainda de estar simplesmente tentando pegar carona no sucesso do meio.[14] A acusação se deu após a participação de Tabet no debate "Blogs, Uma Revolução na Imprensa", promovido pelo O Globo em 2006.[13][15]

No mesmo ano, o site chegou a provocar celeuma no Senado Federal, quando levou às lágrimas a senadora Heloísa Helena, tendo postado uma montagem em que ela ilustraria a capa da revista Playboy.[16]. A então senadora, ex-candidata à Presidência da República, presidindo sessão do Senado, acusou estar sendo "vítima de machismo", chegando às lágrimas, dando conotação político-partidária à montagem publicada pelo Kibe Loco.[17]

Tabet já foi acusado de plágio por diversas vezes, fato que teria levado à origem da gíria "kibador", um sinônimo para quem veicula material criado por outros sem sequer citar as fontes.[18][19][20] Tabet por sua vez se defendeu alegando que tais críticas carecem de provas, que não é plagiador e que corrige as ocorrências quando as descobre.[19]

Referências

  1. «Os 100 brasileiros mais influentes de 2007». IstoÉ. 10 de janeiro de 2007. Consultado em 31 de março de 2010. 
  2. «Kibeloco.com.br Site Info». Alexa. Consultado em 9 de agosto de 2012. 
  3. «Fazer rir é o melhor negócio». Isto É. 17 de abril de 2015. Consultado em 18 de Julho de 2015. 
  4. «O site de Humor Kibe Loco estréia no R7». R7 Entretenimento. 2 Março 2012. Consultado em 9 Dezembro 2014. 
  5. Marco Aurélio Canônico (3 Fevereiro 2014). «O rei da piada». UOL Folha de S.Paulo. Consultado em 9 Dezembro 2014. 
  6. a b Micheline Alves (13 Maio 2014). «Antonio Tabet, O Kibe Loco». Revista do Poker. Consultado em 9 Dezembro 2014. 
  7. a b Bruno Ferrari (4 Dezembro 2007). «Kibe Loco é o campeão entre os blogs». Exame Info. Consultado em 9 Dezembro 2014. 
  8. Folha Online (12 Dezembro 2004). «William Bonner imita Clodovil em vídeo que está na internet» (em Portugês). Folha Ilustrada. Consultado em 9 Dezembro 2014. 
  9. Juliana Carpanez (11 Abril 2014). «Kibe Loco vira TV, apimenta Caldeirão e engorda ibope». Uol - Folha de S.Paulo - Ilustrada. Consultado em 9 Dezembro 2014. 
  10. «Brasil é o país que mais acessa blogs». go2web. Dezembro 2013. Consultado em 9 Dezembro 2014. 
  11. «O site de Humor Kibe Loco estréia no R7». R7 Entretenimento. 2 Março 2012. Consultado em 9 Dezembro 2014. 
  12. «Kibe Loco desconstrói talk show no canal TBS» 
  13. a b NOBLAT, Ricardo (14 de maio de 2006). «A infâmia do Kibe Loco». Blog do Noblat. Consultado em 9 de agosto de 2012. 
  14. MORAIS, Larissa (30 de outubro de 2006). «Como fazer – e manter – um blog político». Observatório da Imprensa. Consultado em 9 de agosto de 2012. 
  15. «Credibilidade dos blogs jornalísticos abre novos caminhos para a imprensa». O Globo. 12 de maio de 2006. Consultado em 9 de agosto de 2012. 
  16. BERGAMO, Mônica (13 de outubro de 2006). «Petista não!». Folha Online. Consultado em 6 de março de 2008. 
  17. MATAIS, Andreza (11 de outubro de 2006). «Heloísa reclama de fotomontagem e diz que é vítima do machismo!». Folha Online. Consultado em 9 de agosto de 2012. 
  18. Folha: O melhor programa de humor do momento só passa na internet
  19. a b MILLER, Gustavo (9 de abril de 2008). «Blogs se acusam de plágio». O Estado de S. Paulo. Consultado em 9 de agosto de 2012. 
  20. «Kibar». Dicionário inFormal. Consultado em 9 de agosto de 2012. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]