Klas Ingesson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Klas Ingesson
Informações pessoais
Nome completo Klas Inge Ingesson
Data de nasc. 20 de agosto de 1968
Local de nasc. Ödeshög,  Suécia
Falecido em 29 de outubro de 2014 (46 anos)
Local da morte Borås,  Suécia
Altura 1,90 m
Apelido Klabbe
Informações profissionais
Posição Treinador (Meio-campista)
Clubes de juventude
1975–1986 Suécia Ödeshögs IK
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1986–1990
1990–1993
1993–1994
1994–1996
1996–1998
1998–2000
2000–2001
2001
Suécia IFK Göteborg
Bélgica KV Mechelen
Países Baixos PSV Eindhoven
Inglaterra Sheffield Wednesday
Itália Bari
Itália Bologna
França Olympique de Marseille
Itália Lecce
53 (9)
99 (28)
12 (1)
17 (2)
94 (11)
64 (4)
13 (0)
19 (1)
Seleção nacional
1989–1998 Flag of Sweden.svg Suécia 57 (13)
Times/Equipas que treinou
2013–2014 Suécia IF Elfsborg

Klas Ingesson (Ödeshög, 20 de agosto de 1968 - Borås, 29 de outubro de 2014) foi um futebolista e treinador de futebol sueco que atuava como meio-campista. Teve destaque atuando por IFK Göteborg, KV Mechelen, Bari e Bologna, entre outros clubes.[1]

Envergou a camisa da seleção sueca 57 vezes, entre 1989 e 1998, tendo conquistado a medalha de bronze em 1994, e marcou 13 gols pelo selecionado.[2]

Entre setembro de 2013 e outubro de 2013, Ingesson foi treinador do IF Elfsborg da cidade sueca de Borås.[3][4]

Passou ainda por PSV Eindhoven, Sheffield Wednesday e Olympique de Marseille, encerrando sua carreira em 2001, no Lecce.

Carreira pela seleção[editar | editar código-fonte]

Ingesson competiu na Copa de 1990, sediada na Itália, na qual a seleção de seu país terminou na vigésima primeira colocação dentre os 24 participantes e na edição de 1994, nos Estados Unidos, quando a Suécia ficou o terceiro lugar.[5][6] Fez parte ainda do elenco que chegou às semifinais da Eurocopa de 1992, sediada na Suécia.

Morte[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2009, Ingesson descobriu que tinha mieloma múltiplo, um tipo de câncer na medula detectado no ex-meia, um ano antes.

Recuperado, aceitou uma proposta para comandar uma filial do Elfsborg, mas sofreu uma recaída e submeteu-se a um transplante de células-tronco. Mesmo afetado pela doença, Ingesson foi convencido pela direção do clube a assumir o time principal. Ele sempre tratou a doença com sinceridade na imprensa sueca e comoveu o país, fazendo até com que rivais do Elfsborg manifestassem apoio ao ex-atleta quando o clube jogava fora de casa.

Nos últimos jogos do Elfsborg, Ingesson teve que usar um andador, devido a uma osteoporose. Consequentemente, sofreu várias fraturas e recorreu a uma cadeira de rodas para se locomover. As últimas palavras do ex-jogador foram por uma carta.

“A conversa sobre o meu câncer tem que acabar. O Elfsborg e eu temos um acordo no qual eu sou o treinador da primeira equipe. Fisicamente e mentalmente, eu não tenho um problema para fazer o meu trabalho. Eu deveria ser julgado como qualquer outra pessoa para determinar se sou bom o suficiente para o trabalho, mas então eu deveria ser julgado em minha competência, não em meu estado físico (...) É direito de qualquer pessoa ser julgada por quem é e pelo que faz - não porque tem uma doença ou uma deficiência"”

— Klas Ingesson

Em 29 de outubro de 2014, Ingesson veio a falecer em Borås, dois meses e nove dias após completar 46 anos[7]. Ele deixa a esposa Veronica e 2 filhos, Martin e David.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de SuéciaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas suecos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.