Klimontów

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Klimontów
Klimontów
Gmina klimontow herb.svg
Klimontów kościół parafialny 3.jpg
Igreja colegiada São José
Voivodia Santa Cruz
Powiat Sandomierz
Gmina Klimontów
Área 99,8 km²
População (2017) 8 138[1][2] habitantes
Densidade 82 hab/km²
Código telefônico (+48) 15
Matrículas de automóveis TSA
Localização
Localização de Klimontów na Polónia 50° 39' 23" N 21° 27' 10" E
Cidade da Polónia Flag of Poland.svg

Klimontów é um município da Polônia, na voivodia de Santa Cruz, condado de Sandomierz e sede da comuna de Klimontów. Estende-se por uma área de 99,8 km², com 8 138 habitantes, segundo os censos de 2017, com uma densidade de 82 hab/km².[1][2]

Localizada no planalto de Sandomierz, a cerca de 30 km a oeste de Sandomierz, possuiu os direitos de cidade de 1604 a 1870.[3] Recuperou os direitos a partir de 1 de janeiro de 2020.[4]

Nos anos de 1975 a 1998, a cidade pertencia à voivodia de Tarnobrzeg. A estrada nacional n.º 9, de Radom a Rzeszów e a estrada da voivodia n.º 758 atravessam a cidade. Klimontów está localizada no Caminho da Pequena Polônia.

História[editar | editar código-fonte]

Igreja pós-dominicana e mosteiro
Praça principal
Sinagoga em Klimontów
Cemitério em Klimontów. Em primeiro plano, os túmulos dos soldados da Primeira Guerra Mundial, no segundo, soldados soviéticos mortos nos combates na ponte de Baranow-Sandomierz

A vila de Klimontów foi fundada em meados do século XIII. Estava localizada na área da atual vila de Górki. Ao lado, uma cidade foi fundada nos terrenos da vila de Ramuntowice (ou Ramułtowice). Jan Zbigniew Ossoliński a fundou em virtude de um privilégio real obtido em 2 de janeiro de 1604.[5]

Em 1611, a cidade recebeu o privilégio de 3 feiras por ano e 2 feiras por semana. Em 1613, um mosteiro dominicano foi construído em Klimontów e, nos anos de 1643 a 1646, foi erguida uma igreja colegiada por Jerzy Ossoliński. A cidade era um centro de mercadorias produzidas por 9 fazendas.

Em 1663, Klimontów tinha 24 casas e 530 habitantes (incluindo 129 judeus). Em 1827, havia 118 casas e 1 314 habitantes. A população local trabalhava na produção de tecidos. Na segunda metade do século XVIII, uma oficina de roupas foi estabelecida aqui.

Durante o Levante de Novembro, um batalhão do 12.º Regimento de Infantaria de Linha foi formado em Klimontów.

Klimontów perdeu seus direitos de cidade em 1870 sob o domínio czarista.[6]

Em 1901, o poeta Bruno Jasieński nasceu aqui. Todos os anos desde 2002, o festival Brunonalia, dedicado ao escritor, acontece em Klimontów todos os verões.

Durante a Primeira Guerra Mundial, nos anos de 1914 a 1915, foram travadas lutas sangrentas entre Klimontów e os exércitos austríacos (incluindo o regimento Cieszyn Landswehr) e os russos. Os corpos dos soldados austríacos mortos descansam até hoje no cemitério da paróquia.

Em 1921, o assentamento tinha cerca de 6 000 habitantes e em 1939, 4 500.

Em junho de 1942, os alemães criaram um gueto para a população judaica em Klimontów.[7] Os judeus de Klimontów, de outras cidades do condado de Sandomierz e cerca de 200 judeus de Viena ficaram lá.[7] Durante a liquidação do gueto em outubro-novembro de 1942, cerca de 4 000 pessoas foram transportadas para o campo de extermínio de Treblinka, 300 para o gueto de Sandomierz e cerca de 100 incapazes de transportar foram mortos no local.[7]

Após o extermínio da população judaica, em 1946, a população de Klimontów diminuiu para 2 200.

Em 16 de abril de 1945, Abram Złotnicki, Rywka Pęczyn, Chil Lederman, Szmuel Lederman, Chil Gotlib e Chaskiel Grosfeld foram assassinados em uma casa na rua Sandomierska. Como resultado do assassinato, Józef Batorski, pseudônimo de "tcheco", foi condenado à morte, enquanto os outros réus foram absolvidos. Na década de 1960, Włodzimierz Gadulski, foi condenado a 11 anos de prisão, por se declarar culpado dos assassinatos.[8]

Administração[editar | editar código-fonte]

Klimontów é membro da União das Cidades Polonesas.[9]

Monumentos históricos[editar | editar código-fonte]

  • Complexo da igreja colegiada:
    • Igreja colegiada barroca de São José, fundada por Jerzy Ossoliński, construída entre 1643 e 1650,
    • Portão para o cemitério da igreja do final do século XVIII,
    • Capela de São José em frente à igreja da segunda metade do século XVIII,
    • Presbitério de meados do século XVIII, reconstruído em 1890.
  • Sinagoga de 1851.
  • Complexo do mosteiro dominicano:
    • Igreja da Santíssima Virgem Maria e São Jacinto construída nos anos de 1617 a 1620,
    • Mosteiro dominicano de 1620, reconstruído nos séculos XVIII e XIX–XX,
    • Muro de tijolos da área do mosteiro com um portão dos séculos XVII-XVIII.
  • Cemitério católico de 1843.
  • Casas da praça principal.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Passam por Klimontów: a trilha turística verde de Chańcza a Pielaszów, a trilha turística vermelha de Gołoszyce a Piotrowice e a ciclovia verde de Sandomierz a Ujazd.

Referências

  1. a b «Klimontów (Santa Cruz) mapas, imobiliário, GUS, acomodações, escolas, região, atrações, códigos postais, desemprego, salário, ganhos, educação, tabelas, demografia, jardins de infância». Polska w liczbach (em polonês). Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  2. a b GUS. «Área e população no perfil territorial em 2016». stat.gov.pl (em inglês). Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  3. Robert Krzysztofik, Lokacje miejskie na obszarze Polski. Dokumentacja geograficzno-historyczna, Katowice 2007, p. 40-41.
  4. «Rozporządzenie Rady Ministrów z dnia 26 lipca 2019 r. w sprawie ustalenia granic niektórych gmin i miast oraz nadania niektórym miejscowościom statusu miasta». isap.sejm.gov.pl. Consultado em 19 de junho de 2020 
  5. Słownik geograficzny Królestwa Polskiego i innych krajów słowiańskich, Tom IV - wynik wyszukiwania - DIR. [S.l.: s.n.] 
  6. Postanowienie z 21 kwietnia (3 maja) 1870, ogłoszone 16 (28) sierpnia 1870 (Dziennik Praw, rok 1870, tom 70, nr 242, p. 167)
  7. a b c Pilichowski, Czesław.; Główna Komisja Badania Zbrodni Hitlerowskich w Polsce.; Rada Ochrony Pomników Walki i Męczeństwa (Poland); DSP) (1979). Obozy hitlerowskie na ziemiach polskich 1939-1945 : informator encyklopedyczny. Varsóvia: Państ. Wydaw. Naukowe. OCLC 5709074 
  8. «Sumienie miasteczka K. Jak mordowano Żydów po wojnie». Wyborcza 
  9. «Członkowie». ump.home.pl. Consultado em 19 de junho de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Miasta polskie w Tysiącleciu, przewodn. kom. red. Stanisław Pazyra, Zakład Narodowy imienia Ossolińskich, Wrocław – Warszawa – Kraków, 1965–1967
  • Eugeniusz Niebelski, W dobrach Ossolińskich – Klimontów i okolice

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Klimontów
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Polónia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.