Kobe Bryant

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Kobe Bryant
Kobe Bryant warming up.jpg
Bryant em 2015
Informações pessoais
Nome completo Kobe Bean Bryant
Data de nasc. 23 de agosto de 1978
Local de nasc. Filadélfia, Pensilvânia, Estados Unidos
Falecido em 26 de janeiro de 2020 (41 anos)
Local da morte Calabasas, Califórnia, Estados Unidos
Altura 1,98 m (6 ft 6 in)
Peso 93 kg (205 lb)
Apelido Black Mamba
Informações no clube
Número 8, 24
Posição Ala-armador
Clubes profissionais
Ano Clubes Partidas (pontos)
19962016 Los Angeles Lakers 001.346 0(33.643)
Seleção nacional
2007–2012 Estados Unidos 0000037 000(514)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Pequim 2008 Equipe
Ouro Londres 2012 Equipe
Copa América de Basquetebol
Ouro Las Vegas 2007 Equipe


* Partidas e pontos pelo clube profissional
contam apenas os jogos da liga nacional e
e estão atualizados até 13 de abril de 2016.
** Partidas e pontos da seleção nacional estão atualizados
até 17 de janeiro de 2016.

Kobe Bean Bryant (Filadélfia, 23 de agosto de 1978Calabasas, 26 de janeiro de 2020)[1] foi um jogador profissional de basquetebol estadunidense. Jogou toda sua carreira como ala-armador no Los Angeles Lakers da National Basketball Association (NBA). Filho de Joe Bryant, ex-jogador do Philadelphia 76ers e antigo técnico do time Los Angeles Sparks da WNBA, é considerado um dos maiores jogadores de todos os tempos.[2][3][4][5] Por outro lado, críticos alegam suas baixas porcentagens de arremessos de campo, de dois e três pontos (ao longo de sua carreira, teve média de 44% em arremessos de dois e 32% em triplos, que até caem nos playoffs), que fazem dele o jogador com mais arremessos perdidos na história da NBA: 14 481 arremessos de campo perdidos na temporada regular (marcou 11 719 de um total de 26 200 arremessos) e 2 485 (marcou 2 014 dum total de 4 499 arremessos nos playoffs), totalizando 16 966 arremessos perdidos.[6]

Foi um dos poucos atletas a ser escolhido no recrutamento da NBA direto do ensino médio para a liga norte-americana. Ao longo de 20 anos de carreira, ganhou cinco campeonatos da NBA, participou 18 vezes do All-Star Game (recorde absoluto), foi eleito 15 vezes como membro da Equipe ideal da NBA, 12 vezes como membro da All-Defensive Team da NBA e foi o Jogador Mais Valioso (MVP) da NBA em 2008.

Kobe, junto com o pivô Shaquille O'Neal e o técnico Phil Jackson, levou os Lakers a três campeonatos consecutivos da NBA, a chamada ‘dinastia’ nos Estados Unidos – 2000, 2001 e 2002. Após a temporada 2003–04, Shaquille O'Neal saiu do time e Kobe tornou-se a estrela principal do time de Los Angeles, sendo o cestinha da liga por duas temporadas consecutivas: 2005–06 e 2006–07. Nessas temporadas, quebrou vários recordes pessoais e da liga. Em 2006, fez 81 pontos num jogo contra o Toronto Raptors, segunda maior pontuação de todos os tempos, atrás somente dos 100 pontos de Wilt Chamberlain, marcados numa partida em 1962. Contudo, há analistas da NBA que defendem que o desempenho de Kobe foi melhor.[7][8]

Em 2003, envolveu-se num escândalo sexual no estado do Colorado, quando uma funcionária do hotel em que estava hospedado o acusou de estupro. Kobe admitiu que adulterara, mas que não havia cometido o crime. Em setembro de 2004, o processo foi retirado.[9] Kobe foi escolhido pela primeira vez como titular no Jogos das Estrelas da NBA em sua segunda temporada da carreira. Desde então, foi titular em mais 17 ocasiões, um recorde absoluto. Em 2010 ele foi convocado para ser titular, mas uma contusão o impediu de participar do evento. Foi MVP do All-Star Game em quatro ocasiões: 2002, 2007, 2009 e 2011, o que também lhe confere um recorde, empatado com Bob Pettit.

Kobe Bryant fazendo uma enterrada, em 2005.‎

Foi o Jogador Mais Valioso da Liga (MVP),[10] na temporada 2007–08, após ter liderado seu time à melhor campanha na conferência Oeste, uma das mais difíceis dos últimos tempos[11] e levou o time às Finais da NBA, mas não ao título, que ficou na mão do maior rival dos Lakers, o Boston Celtics. No mesmo ano, foi medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim.

Em 2009, Bryant levou os Lakers ao título da NBA e, assim, conquistou o seu quarto campeonato na carreira. Foi também o Jogador Mais Valioso das Finais, que ocorreram contra o Orlando Magic. Nesse ano, o uniforme de Kobe foi o mais vendido nos Estados Unidos, Europa e China. Ainda em 2009, o rapper Lil Wayne homenageou Kobe com uma música com o próprio nome de Bryant. No ano seguinte, numa partida contra o Memphis Grizzlies, tornou-se o maior pontuador da história do Los Angeles Lakers. Ainda em 2010, comandou os Lakers a mais um título da NBA ao bater em sete jogos os Celtics. Foi a primeira vez que disputou um jogo 7 das Finais da NBA. E pela segunda vez na carreira, foi escolhido como o Jogador Mais Valioso das Finais.

Em 2018, Bryant venceu o prêmio Óscar de "Melhor curta-metragem de animação" pelo filme Dear Basketball.[12]

Kobe faleceu, aos 41 anos, em 26 de janeiro de 2020 quando o helicóptero em que estava caiu na cidade de Calabasas, nas cercanias do Condado de Los Angeles.[13]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Kobe Bryant era filho caçula, nascido no condado de Filadélfia, no estado americano da Pensilvânia.

Aos seis anos, Kobe mudou-se com a família para a Itália, quando o pai deixou a NBA para jogar na Europa. Kobe recebeu influências fortes do basquete, além disso, passou a falar italiano e espanhol[14] fluentemente. Lá conheceu a estrela do basquete brasileiro Oscar Schmidt e virou fã do ala da Seleção Brasileira. Kobe também teve contato com o futebol e passou a torcer para o time do Milan. Declarou mais tarde que, se tivesse permanecido por mais tempo na Itália, teria tentado se tornar jogador profissional de futebol. Era fã do brasileiro Ronaldinho Gaúcho.[15]

Em 1991, Kobe voltou aos Estados Unidos. Não precisou passar por uma grande universidade para chamar a atenção dos olheiros da NBA. Em Lower Merion, subúrbio da Filadélfia, começou a se destacar. No segundo ano do ensino médio, foi treinado por seu próprio pai. Bryant declarou que se tivesse tentado ir para alguma faculdade, seria a Universidade Duke[16] No recrutamento de 1996 foi escolhido pelo New Orleans Hornets e trocado, sem realizar nenhuma partida, para o time californiano Los Angeles Lakers.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O draft de 1996[editar | editar código-fonte]

Bryant não foi a primeira escolha do recrutamento de 1996, mas já fazia suas exigências. O adolescente queria jogar em Los Angeles e não em outro lugar. Foi o décimo terceiro escolhido do primeiro round, que pertencia ao Charlotte Hornets. Seu agente declarou que era impossível ele jogar naquela cidade: "Ele não jogará em outro time que não seja o Lakers".[17] O ex-jogador Jerry West era o General Manager do Los Angeles Lakers e, impressionado com a habilidade de Bryant, tratou logo de levá-lo ao time californiano. Kobe foi trocado pelo pivô Vlade Divac, ídolo do Lakers àquela época. Uma vez que Kobe ainda tinha 17 anos de idade, os pais tiveram que assinar com ele o contrato junto ao Los Angeles.

O começo de carreira (1996 a 1999)[editar | editar código-fonte]

Na primeira temporada, Kobe teve minutos contados em quadra. Vindo do banco para completar os minutos dos armadores Eddie Jones e Nick van Exel, teve direito a apenas quinze minutos por jogo e uma média de 7,6 pontos por jogo.[18] Mesmo assim, foi o jogador mais jovem da história a pisar em quadra por um time da NBA e a começar um jogo em quadra (só seria superado anos depois pelo pivô Andrew Bynum). Àquela época, já era reconhecido pela torcida, por sua incrível habilidade e, sobretudo, a forma que enterrava. Assim, foi o vencedor do concurso de enterradas de 1997.

Como esperado, evoluiu na sua segunda temporada. Teve mais tempo em quadra e pontuou mais: passou de 7,6 pontos por jogos, para 15,4. Seu bom jogo fez com que ele se tornasse o mais jovem jogador a participar do All-Star Game, o que fez com que, pela primeira vez desde 1983, chamassem-se 4 jogadores dum mesmo time a participar do jogo das estrelas (além de Bryant, também convocaram-se o pivô Shaquille O'Neal e os armadores Eddie Jones e Nick Van Exel). Nessa mesma temporada, Kobe quase venceu o prêmio de melhor sexto-homem da NBA, ficando em segundo lugar,[19] apesar de ter sido o maior pontuador da NBA entre os não-titulares.[20]

Em sua terceira temporada, teve tudo que precisava: continuou evoluindo e não tinha mais tanta concorrência, pois, Eddie Jones e Nick Van Exel foram trocados. A temporada de 1998–99 foi curta devido a um período de greve dos jogadores da NBA, mas Kobe foi titular em todos os 50 jogos realizados. Nessa época também começaram comparações que durariam por muito tempo: Kobe já era comparado a Michael Jordan[21] e Magic Johnson.[22] O time foi aos playoffs da temporada, mas foram varridos pelo San Antonio Spurs nas semifinais de conferência.

Estabelecendo uma dinastia (1999 a 2002)[editar | editar código-fonte]

Kobe Bryant foi uma das peças fundamentais na conquista dos três títulos consecutivos dos Lakers entre 1999 e 2002

Kobe perdeu o início da temporada 1999–2000 por uma lesão na mão que o deixou fora por 6 semanas. Ao voltar, ele se uniu a Shaq e ao então novo técnico Phil Jackson (que levou o Chicago Bulls, de Michael Jordan, ao hexacampeonato na NBA), e juntos lideraram o time de Los Angeles a melhor campanha da temporada regular com 67 vitórias e apenas 15 derrotas. Nos playoffs os californianos tiveram duas duras batalhas contra times do oeste. Primeiro contra o Sacramento Kings na primeira rodada e depois contra o Portland Trail Blazers de Scottie Pippen nas finais de conferência. Porem nas finais da NBA, os Lakers liderados por Shaquille O'Neal, ganharam do Indiana Pacers por 4 a 2 e Kobe enfim conquistou seu primeiro anel.

Nas duas temporadas seguintes, Kobe, que já era um dos melhores jogadores da liga, continuou formando uma das melhores duplas da NBA com Shaq. Em ambas as temporadas o time de Los Angeles ficou entre os 3 primeiros de sua conferência e fez playoffs muito bons. Destaque para a temporada 2000–01 onde os Lakers só perderam um jogo na pós temporada.

O fim da dinastia[editar | editar código-fonte]

Kobe teve na temporada 2002–03 um dos melhores anos de sua vida. Ele anotou em média trinta pontos por jogo, além de distribuir seis assistências e pegar sete rebotes. Além disso, em fevereiro de 2003, ele teve um mês arrasador. Em nove partidas consecutivas anotou mais de quarenta pontos. Assim, ele conduziu o Lakers a uma campanha de cinqüenta vitórias na temporada regular. Tudo parecia caminhar para mais um título do Lakers, o quarto consecutivo e o décimo quinto da franquia, mas naquele ano Kobe e Shaq foram parados pelo time do San Antonio Spurs, de Tim Duncan e David Robinson, que conduziram o time dos Spurs ao título da NBA naquela temporada.

Apesar dos três títulos juntos,muitos desentendimentos acabaram culminando na saída do astro Shaquille O'Neal para o Miami Heat.

O número da camisa[editar | editar código-fonte]

Sua camisa nos Lakers era a número 8, mas a partir da temporada 2006–07 passou a ser a 24. Alguns dizem que por causa do número de Michael Jordan ter sido o 23, outros dizem que foi apenas uma "volta no tempo" do astro, que já havia utilizado essa numeração anteriormente na High School. Mas o rumor mais forte é que a Nike, sua fornecedora de material esportivo teria pedido para ele mudar o número, já que a Adidas, que fornecia os equipamentos para Bryant anteriormente, ainda tem linhas de tênis que utilizam a marca Bryant número 8 do jogador.

MVP e mais dois aneis (2007 a 2010)[editar | editar código-fonte]

Kobe Bryant jogando pelos Lakers na temporada de 2007–08.

Após a saída de Shaq, as atenções de Los Angeles se voltaram para Kobe. O ala-armador liderou a equipe a três finais da NBA seguidas. Na temporada 2007–08 teve, provavelmente, seu melhor ano individualmente. Ganhou o MVP da temporada e liderou sua equipe às finais contra os Celtics. Porém, liderado por Paul Pierce e Kevin Garnett, o time de Boston venceu os Lakers em seis jogos.

Nos dois anos seguintes Kobe, junto a seu escudeiro Pau Gasol, voltou às finais da NBA. A história foi bem diferente da temporada anterior. Em 2009 os Lakers venceram o Orlando Magic e no ano seguinte o Boston Celtics em duas finais épicas. Kobe ganhou o MVP das finais nas duas ocasiões (2009 e 2010).

Contusões, declínio e aposentadoria (2011 a 2016)[editar | editar código-fonte]

Nas olimpíadas de 2012, foi novamente campeão com a seleção dos EUA de basquete, que foi comparada ao 'Dream Team' de 92 e fez o maior número de pontos numa partida de basquete nas olimpíadas.

Em fevereiro de 2013, perguntado sobre quem era o melhor jogador depois dele, Jordan respondeu: "5 é maior que 2", fazendo alusão aos 5 títulos que Kobe tem, contra apenas dois de LeBron.

Kobe Bryant jogando pelos Lakers, em 2014

Em 31 de março de 2013, tornou-se o 4º maior cestinha da NBA e ultrapassou Wilt Chamberlain, fazendo 19 pontos sobre o Sacramento Kings.

Em abril de 2013, sofreu a lesão mais grave de sua carreira. O jogador rompeu o tendão de aquiles. A lesão acabou tirando o astro dos playoffs e consequentemente minando as chances dos Lakers de brigarem pelo título da temporada.

Em 25 de novembro de 2013, assinou um contrato de $48,5 milhões, com duração de dois anos.

Em 8 de dezembro de 2013, estreou na temporada depois de oito meses parado, contra o Toronto Raptors. Nove dias depois, conquistou sua melhor marca na temporada fazendo 21 pontos, porém, acabou fraturando o joelho. A expectativa inicial era que ele ficasse seis semanas parado, porém, foi anunciado no dia 12 de março de 2014, que ficaria fora da temporada 2013–14.

Em 14 de dezembro de 2014, em meio a uma temporada de altos e baixos, conseguiu superar a marca que pertencia a Michael Jordan como o terceiro maior pontuador na história da NBA, com 32 293 a época (contra os 32 292 de Jordan).[23]

Desde 2013, Kobe começou a sofrer com constantes contusões e queda de performance. Contudo, continuou jogando, apesar de críticas a respeito de sua persistência. Ao fim de 2015, seus números já eram alguns dos mais baixos da carreira. No dia 29 de novembro de 2015, em carta aberta, anunciou sua aposentadoria ao fim da temporada, em abril de 2016.[24] No dia 16 de janeiro de 2016, anunciou que não iria mais jogar pela Seleção, ficando de fora das Olimpíadas do Rio 2016.

Em fevereiro de 2016, Kobe jogou o Jogo das Estrelas da NBA (seu primeiro desde 2013). Ele teve dez pontos, seis rebotes e sete assistências.[26] Sua média de pontos na última temporada da carreira foi 28,62 pontos por jogo[27]

Em 13 de abril de 2016, jogou sua última partida na NBA contra o Utah Jazz, onde marcou 60 pontos (a melhor marca da temporada), na vitória dos Lakers por 101 a 96.[28] Bryant ainda quebrou um recorde em sua despedida; tornou-se o jogador mais velho a anotar pelo menos 50 pontos num jogo na NBA.[29] Após sua aposentadoria do basquete, Kobe continuou sua carreira como investidor e empresário, fundando sua própria marca de produtos esportivos, a Kobe Inc.[30]

Morte[editar | editar código-fonte]

Aproximadamente às 10 h da manhã na costa oeste dos Estados Unidos, em 26 de janeiro de 2020, Bryant e mais oito pessoas morreram na queda de um helicóptero nos arredores de Calabasas, no sul da Califórnia. Sua filha de treze anos, Gianna, estava na aeronave com ele, junto além da companheira de time dela e um dos pais da amiga, e o piloto. Eles estavam a caminho de um jogo de basquete. Segundo autoridades do Condado de Los Angeles, não houve sobreviventes do acidente.[31][32]

Relatórios preliminares afirmavam que o helicóptero Sikorsky S-76 teria caído numa região montanhosa sobre a cidade de Calabasas, durante uma densa névoa.[33] Segundo testemunhas, o helicóptero estava em chamas antes da queda.[34] As autoridades locais ainda estão investigando o incidente.[35]

Estatísticas na NBA[editar | editar código-fonte]

LEGENDA
 PJ  Partidas jogadas  PI  Partidas iniciadas  MPJ  Minutos por jogo  AP  Arremessos de quadra (%)
 3P  Arremessos de 3 pontos (%)  LL  Lances-livre (%)  RT  Rebotes por jogo  AS  Assistências por jogo
 BR  Roubos de bola por jogo  TO  Tocos por jogo  PPJ  Pontos por jogo  Negrito  Melhor da carreira
Campeão da temporada da NBA
Líder da liga
MVP da temporada regular

Temporada regular[editar | editar código-fonte]

Kobe Bryant jogando pelos Lakers, em 2009
Ano Equipe PJ PT MPJ AP 3P LL RT AS BR TO PPJ
1996–97 L.A. Lakers 71 6 15.5 .417 .375 .819 1.9 1.3 0.7 0.3 7.6
1997–98 L.A. Lakers 79 1 26.0 .428 .341 .794 3.1 2.5 0.9 0.5 15.4
1998–99 L.A. Lakers 50 50 37.9 .465 .267 .839 5.3 3.8 1.4 1.0 19.9
1999–00 L.A. Lakers 66 62 38.2 .468 .319 .821 6.3 4.9 1.6 0.9 22.5
2000–01 L.A. Lakers 68 68 40.9 .464 .305 .853 5.9 5.0 1.7 0.6 28.5
2001–02 L.A. Lakers 80 80 38.3 .469 .250 .829 5.5 5.5 1.5 0.4 25.2
2002–03 L.A. Lakers 82 82 41.5 .451 .383 .843 6.9 5.9 2.2 0.8 30.0
2003–04 L.A. Lakers 65 64 37.6 .438 .327 .852 5.5 5.1 1.7 0.4 24.0
2004–05 L.A. Lakers 66 66 40.7 .433 .339 .816 5.9 6.0 1.3 0.8 27.6
2005–06 L.A. Lakers 80 80 41.0 .450 .347 .850 5.3 4.5 1.8 0.4 35.4
2006–07 L.A. Lakers 77 77 40.8 .463 .344 .868 5.7 5.4 1.4 0.5 31.6
2007–08 L.A. Lakers 82 82 38.9 .459 .361 .840 6.3 5.4 1.8 0.5 28.3
2008–09 L.A. Lakers 82 82 36.1 .467 .351 .856 5.2 4.9 1.5 0.4 26.8
2009–10 L.A. Lakers 73 73 38.8 .456 .329 .811 5.4 5.0 1.6 0.3 27.0
2010–11 L.A. Lakers 82 82 33.9 .451 .323 .828 5.1 4.7 1.2 0.1 25.3
2011–12 L.A. Lakers 58 58 38.5 .430 .303 .845 5.4 4.6 1.2 0.3 27.9
2012–13 L.A. Lakers 78 78 38.6 .463 .324 .839 5.6 6.0 1.2 0.3 27.3
2013–14 L.A. Lakers 6 6 29.5 .425 .188 .857 4.3 6.3 1.2 0.2 13.8
2014–15 L.A. Lakers 35 35 34.5 .373 .293 .813 5.7 5.6 1.3 0.2 22.3
2015–16 L.A. Lakers 66 66 28.2 .358 .285 .826 3.7 2.8 0.9 0.2 17.6
Carreira 1346 1198 36.1 .447 .329 .837 5.2 4.7 1.4 0.5 25.0
All-Star 15 15 27.6 .500 .324 .789 5.0 4.7 2.5 0.4 19.3

Playoffs[editar | editar código-fonte]

MVP das finais
Ano Equipe PJ PT MPJ AP 3P LL RT AS BR TO PPJ
1997 L.A. Lakers 9 0 14.8 .382 .261 .867 1.2 1.2 0.3 0.2 8.2
1998 11 0 20.0 .408 .214 .689 1.9 1.5 0.3 0.7 8.7
1999 8 8 39.4 .430 .348 .800 6.9 4.6 1.9 1.2 19.8
2000 L.A. Lakers 22 22 39.0 .442 .344 .754 4.5 4.4 1.5 1.5 21.1
2001 16 16 43.4 .469 .324 .821 7.3 6.1 1.6 0.8 29.4
2002 19 19 43.8 .434 .379 .759 5.8 4.6 1.4 0.9 26.6
2003 L.A. Lakers 12 12 44.3 .432 .403 .827 5.1 5.2 1.2 0.1 32.1
2004 22 22 44.2 .413 .247 .813 4.7 5.5 1.9 0.3 24.5
2006 7 7 44.9 .497 .400 .771 6.3 5.1 1.1 0.4 27.9
2007 5 5 43.0 .462 .357 .919 5.2 4.4 1.0 0.4 32.8
2008 21 21 41.1 .479 .302 .809 5.7 5.6 1.7 0.4 30.1
2009 L.A. Lakers 23 23 40.8 .457 .349 .883 5.3 5.5 1.7 0.9 30.2
2010 23 23 40.1 .458 .374 .842 6.0 5.5 1.4 0.7 29.2
2011 L.A. Lakers 10 10 35.4 .446 .293 .820 3.4 3.3 1.6 0.3 22.8
2012 12 12 39.7 .439 .283 .832 4.8 4.3 1.3 0.2 30.0
Carreira 220 200 39.3 .448 .331 .816 5.1 4.7 1.4 0.6 25.6

Prêmios e homenagens[editar | editar código-fonte]

Recordes e feitos[editar | editar código-fonte]

  • Estreou na NBA com dezoito anos e 72 dias de idade, sendo um dos mais jovens nesse aspecto.
  • Jogador mais jovem a jogar um All-Star Game com 19 anos e 169 dias.
  • Fez oitenta e um pontos no jogo contra o Toronto Raptors, no dia 22 de janeiro de 2006. Segunda maior pontuação feita por um jogador em um jogo na história da NBA.
  • Tem o quarto recorde da NBA de bolas de três em um único jogo: doze (superado por Stephen Curry, Klay Thompson e Zach LaVine).
  • Tornou-se o jogador com mais pontos na história do Lakers, superando Jerry West.
  • Jogador com mais temporadas jogadas por um único time na NBA: 20. (Superado por Dirk Nowitzki, com 21)
  • Quarto maior cestinha da NBA.
  • Único jogador da NBA com mais de 30.000 pontos e 6.000 assistências (superado por LeBron James).

Referências

  1. Ostlere, Lawrence (26 de janeiro de 2020). «Kobe Bryant dead: NBA star tragically dies in California helicopter crash aged 41». The Independent. Consultado em 31 de janeiro de 2020 
  2. Lynch, Andrew (20 out 2017). «Ranking the 25 greatest players in NBA history». Fox Sports. Consultado em 7 out 2017 
  3. Moonves, Leslie (17 fev 2017). «50 greatest NBA players of all time». CBS Sports. Consultado em 7 out 2017 
  4. Rasmussen, Bill (3 de março de 2016). «All-Time #NBArank: Counting down the greatest players ever». ESPN. Consultado em 7 out 2017 
  5. McCallum, Jack (8 fev 2016). «SI's 50 greatest players in NBA history». Sports Illustrated. Consultado em 7 out 2017 
  6. «Kobe Bryant Stats», Basketball reference, consultado em 1 de abril de 2016 .
  7. Stein, Marc (24 de janeiro de 2006). «Sorry, Wilt: You're no Kobe». ESPN 
  8. Hollinger, John (18 de janeiro de 2006). «Stats say Kobe's 81 is better than Wilt's 100». ESPN 
  9. [1]
  10. «Kobe Bryant é o MVP de 2007/2008» 
  11. Simmons, Bill (27 de março de 2008). «How the West might be won». ESPN 
  12. «Kobe Bryant is officially an Oscar winner», EW, 4 de março de 2018, consultado em 5 de março de 2018 .
  13. «Acidente de helicóptero mata Kobe Bryant, astro da NBA, segundo site americano». Globo esporte. Globo. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  14. Carr, Janis (6 de março de 2009), Kobe to Pau: pass the ball, por favor (em inglês), cópia arquivada em 7 de março de 2009 .
  15. «Ronaldinho North American tour», USA Today (em inglês), 7 de agosto de 2006 .
  16. King, Larry (6 de janeiro de 2005). «Live Transcript». CNN 
  17. Roberts, Serena (29 de junho de 2007). «Destinationgssdgdsgsdd: A Big Man, a Small Place (um artigo sobre Greg Oden)». The NY Times 
  18. «Números de Kobe Bryant durante a carreira», Basketball reference, cópia arquivada em 14 de outubro de 2012 .
  19. «Votação para os prêmios da temporada 1997/98», Basketball reference .
  20. «Lakers' Bryant Signs for $71 Million». The NY Times 
  21. Smith, Sam (17 de dezembro de 1997). «Kobe Bryant: the air apparent». The Chicago Tribune 
  22. Thomsen, Ian (27 de abril de 1998). «Showtime!». Sports Illustrated 
  23. "Kobe Bryant supera Michael Jordan e entra no top 3 de cestinhas da NBA". Página acessada em 15 de dezembro de 2014.
  24. «Em carta ao basquete, Kobe anuncia aposentadoria ao fim da temporada», Globo, SporTV, 2015 nov  Verifique data em: |data= (ajuda).
  25. «Kobe Bryant anuncia que não vai mais jogar a Olimpíada do Rio». Uol. Folha da manhã. 16 de janeiro de 2016. Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  26. «Defense in record-setting short supply in West's rout of East». ESPN. Associated Press. 15 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 14 de abril de 2016 
  27. Bolch, Ben (14 de fevereiro de 2016). «Kobe Bryant's final NBA All-Star game turns into a love fest as West rolls to historic 196-173 victory». The Los Angeles Times. Cópia arquivada em 14 de abril de 2016 
  28. Acosta-Delacruz, Angelo (14 de fevereiro de 2016). «Kobe finishes his two-decade-long career in a fashionable way as Lakers eliminate Jazz, 101-96». Powcast Sports Hub 
  29. «Kobe se despede da NBA em noite gala com 60 pontos e vitória dos Lakers». Terra. Consultado em 15 de abril de 2016 
  30. Nicolai, Megan (9 de janeiro de 2015). «We're excited to be your neighbors». The Orange County Register. Cópia arquivada em 14 de janeiro de 2015 
  31. Wojnarowski, Adrian. «Sources: Kobe Bryant was on his way to a travel basketball game with his daughter Gianna when the helicopter crashed. Those aboard the helicopter also included another player and parent.». @wojespn (em inglês). Twitter. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  32. Dwork, David (26 de janeiro de 2020). «Kobe Bryant dies in California helicopter crash». Local10. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  33. Gaydos, Ryan. «Kobe Bryant among those killed in California helicopter crash». Fox News. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  34. «Kobe Bryant, daughter Gianna die in helicopter crash in Calabasas». LA Times. 26 de janeiro de 2020. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  35. «Source: Kobe among dead in helicopter crash». ESPN (em inglês). 26 de janeiro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Kobe Bryant