Konso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Paisagem Cultural da Região de Konso *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Konzo2.jpg
Konso
País  Etiópia
Tipo Natural
Critérios iii, v
Referência 1333
Região** África
Coordenadas 5° 18′ 00″ N, 37° 24′ 00″ L
Histórico de inscrição
Inscrição 2011  (35ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Konso (também chamada Karati) é uma localidade a sudoeste da Etiópia, localizada nas margens do Rio Sagan. Esta cidade, centro administrativo do distrito de Konso encontra-se a 1650 metros de altitude. Alguns habitantes dos povoados vizinhos a conhecem pelo nome de Pakawle.[1]

Economia[editar | editar código-fonte]

O fotógrafo Philip Briggs sugere que a cidade hoje em dia "pode ser descrita de maneira prosaico como um círculo de tráfico de dimensões comicamente vastas, rodeado por uma estação de serviço solitária e alguns hotéis dispersos".[2] Segundo o Escritório de Finanças e Desenvolvimento Econômico das Nações, Nacionalidades e Povos do Sul, em 2003 as acomodações de Konso incluíam acesso a telefonia digital, serviço postal, eletricidade produzida por gerador e uma pequena organização de microfinanças. [3]

As indústrias locais são a apicultura, tecelagem de algodão e a agricultura. O mercado abre de segunda-feira a sexta-feira e encontra-se a 2 quilômetros do povoado, pela rua Jinka.[4]

Em 2007, instalou-se ao norte da cidade uma granja de permacultura, Strawberry Fields Eco-Lodge, que trabalha com voluntários internacionais e escolas locais para cultivar alimentos, promover o ecoturismo e ensinar a aplicação de sistemas de permacultura.[5]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Segundo os dados coletados pela Agência Central de Estatística da Etiópia em 2005, Konso tem uma população local estimada de 4593 habitantes, dos quais 2258 homens e 2335 mulheres.[6] O censo nacional de 1994 reportou somente 2535 habitantes: 1250 homens e 1285 mulheres.

UNESCO[editar | editar código-fonte]

A UNESCO inscreveu Konso como Patrimônio Mundial por "suas tradições religiosas, pelas esculturas e fósseis de hominídeos encontrados na região"[7]

Referências

  1. Klaus Wedekind, "Sociolinguistic Survey Report of the Languages of the Gawwada (Dullay), Diraasha (Gidole), Muusiye (Bussa) Areas", SIL Electronic Survey Reports, 2002-065, p. 16.
  2. Philip Briggs, Ethiopia: The Bradt Travel Guide, 3.ª edición (Chalfont St Peters: Bradt, 2002), pp. 455f
  3. "Detailed statistics on hotels and tourism", Bureau of Finance and Economic Development. Consultado el 5 de marzo de 2011.
  4. Briggs, Ethiopia, p. 456.
  5. "Strawberry Fields Eco-Lodge - An Adventure of a Stay", Make Travel Fair UK. Consultado el 5 de marzo de 2012.
  6. CSA 2005 National Statistics, Tabla B.4
  7. Konso. UNESCO World Heritage Centre - World Heritage List (whc.unesco.org). Em inglês ; em francês ; em espanhol. Páginas visitadas em 12/06/2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]