Krait Malasiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaKrait Malasiana
COLLECTIE TROPENMUSEUM Giftslang 'Oelar welang' Bungarus candidus TMnr 10006448.jpg
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Squamata
Família: Elapidae
Género: Bungarus
Espécie: B. candidus
Nome binomial
Bungarus candidus
(Linnaeus, 1758)
Sinónimos
Coluber candidus (Linnaeus, 1758)

A Krait Malasiana (Bungarus candidus), também conhecida como Krait Azul, é uma serpente altamente venenosa da família Elapidae. Ela pode ser encontrada no oeste da Ásia e na Indonésia. Esta serpente possui hábitos noturnos e se trata de uma espécie agressiva quando ameaçada.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Krait Malasiana em Karawang, Java Ocidental, Indonésia.

A Krait Malasiana pode atingir um comprimento total de 108 cm (cerca de 3,5 pés), e com cauda de 16 cm (6,3 polegadas) de comprimento.

Sua coloração geralmente é preta e branca ou preta azulada e branca, com um padrão de cerca de 27 a 34 faixas transversais escuras sobre o corpo e sobre a cauda, que se tornam estreitas e arredondadas nas laterais. Essas faixas são separadas por espaços amplos de coloração branca-amarelada, que podem ser manchados de preto. A primeira faixa é continuação da coloração escura da cabeça. No ventre, são uniformemente brancas.

Um fenótipo preto sem faixas também ocorre em algumas populações de Bali[1] e alegadamente das regiões oeste e central de Java[2].

As escamas dorsais suaves são dispostas em 15 fileiras, sendo a fileira acima da espinha a mais proeminente.

Alimentação[editar | editar código-fonte]

A Krait Malasiana alimenta-se principalmente de outras serpentes e até mesmo canibalizam outras de sua espécie. Ela também se alimenta de pequenos mamíferos (como ratos e camundongos), lagartos e sapos . Os jovens são conhecidos por comer artrópodes.

Veneno[editar | editar código-fonte]

O veneno da Krait é composto por potentes neurotoxinas que destroem o sistema nervoso e induzem a paralisia muscular. Os poucos sintomas da mordida incluem endurecimento dos músculos faciais e incapacidade da vítima para ver ou falar. Caso o soro antiofídico não seja aplicado em um curto período de tempo, fica impossível reverter o quadro de envenenamento. Segundo estudos toxicológicos, o veneno da Krait Malasiana é tão letal aos seres humanos que 50% das vítimas morrem mesmo após a aplicação do soro antiofídico. Em camundongos, o LD50 é de 0,1 mg/kg[3].

Referências[editar | editar código-fonte]

Veja mais sobre Krait Malasiana

Krait na National Geographic

Ícone de esboço Este artigo sobre cobras, integrado no Projeto Anfíbios e Répteis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Patrick Campbell (pers. obs.)
  2. The identity of the Javan Krait, Bungarus javanicus Kopstein, 1932 (Squamata: Elapidae): Evidence from mitochondrial and nuclear DNA sequence analyses and morphology. Article in Zootaxa 1426(1426):1-26 March 2007
  3. Tan, Nget Hong. «Toxins from Venoms of Poisonous Snake Indigenous to Malaysia: A Review». University of Malaya. Consultado em 21 de outubro de 2013.