Kuomintang

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kuomintang da China
中國國民黨
Zhōngguó Guómíndǎng
Emblem of the Kuomintang.svg
Presidente Hung Hsiu-chu
Fundação novembro de 1894 (como Sociedade para a Regeneração Chinesa)
agosto de 1905 (como Tongmenghui)
agosto de 1912 (como Kuomintang)
julho de 1914 (como Partido Revolucionário Chinês)
10 de outubro de 1919 (97 anos) (como Kuomintang da China)
Sede Taipei, Taiwan
Ideologia Nacionalismo chinês
Republicanismo
Constitucionalismo
Espectro político Centro-direita
Membros 1,090,000
Afiliação nacional Coligação Pan-Azul
Afiliação internacional União Internacional Democrata
Site
http://www.kmt.org.tw/

O Kuomintang da China[1][2] ou Kuomintang ou Guomindang (KMT; GMD; chinês tradicional: 中國國民黨; pinyin: Zhōngguó Guómíndǎng), literalmente, Partido Nacionalista Chinês[3] é o partido político que tem sido historicamente o governante da República da China, conhecida como Taiwan desde a década de 1970; Entretanto, se tornou oposição devido a perda nas eleições gerais de 2016. A sede do partido encontra-se em Taipei.

Criado por Sun Yat-sen, dominou o governo da China de 1928 até a tomada do poder pelos comunistas, em 1949. Desde então, sua influência se limita a Ilha Formosa, onde até 1986, era o único partido autorizado a exercer o poder. Atualmente continua a ter forte influência na ilha.

Era o partido majoritário no Legislativo Yuan, até as eleições de 2016, quando o Partido Democrático Progressista conquistou a maioria das cadeiras parlamentares e a presidência do país. Sua atual presidente é Hung Hsiu-chu, a primeira mulher na presidência do Kuomintang, que anteriormente ocupou o cargo de vice-presidente do Legislativo Yuan entre 2012 e 2016.

O KMT é considerado um partido conservador, membro da União Internacional Democrata, à qual também pertencem o Partido Republicano dos Estados Unidos, o CDS-PP português, o Partido Popular espanhol, entre outros.

História[editar | editar código-fonte]

O Kuomintang foi fundado após a Revolução Xinhai de 1911, que depôs a dinastia Qing ou manchu e estabeleceu uma república na China. O partido realizou o seu primeiro congresso em 1924, sob a liderança de Sun Yat-sen.

Porém, apesar de ser uma república, a China continuava dividida em feudos dominados por senhores locais, que tinham exércitos privados; não havia verdadeiramente um poder central.

Chiang Kai-shek foi o militar que herdou a liderança do partido após a morte de Sun, em 1925. Decidido a reunificar a China, pretendia eliminar os comunistas e os senhores da guerra. Em 1927, Chang unificou a maior parte do território, e o país passou a ser efetivamente controlado pelo Kuomintang.

Em 1934, as forças nacionalistas cercaram as tropas comunistas, forçando-as a abandonar as suas posições no Sul, o que deu origem à chamada Longa Marcha.

Em Julho de 1937, o Japão atacou a China e os comunistas, sob a palavra de ordem "chineses não devem lutar contra chineses", pressionaram Chang Kai-shek a uma aliança para combater o invasor em conjunto. Embora os comunistas e o Kuomintang fossem aliados, os primeiros tiveram que continuar na clandestinidade.

Depois da derrota dos japoneses na Segunda Guerra Mundial, tanto os comunistas como o Kuomintang tentaram ocupar todo o território. Na altura, o Kuomintang tinha um exército maior e mais bem equipado. Ambos os lados principiaram a fortalecer as suas posições, preparando-se para recomeçar a guerra civil que havia sido interrompida pela invasão japonesa. A guerra civil foi retomada em 1946, estendendo-se até 1949. Nesse conflito, a Manchúria foi um campo de batalha vital, devido aos seus recursos económicos. Os norte-americanos ajudaram Chang Kai-shek a estabelecer-se na região, transportando dezenas de milhares de soldados nacionalistas para o Norte da China. Estima-se que mais de 60.000 marines americanos tenham desembarcado no país, para ocupar a capital e Tianjin.

Stalin cumpriu a promessa de retirar as suas tropas da região. Mas essa retirada fazia parte da estratégia dos comunistas, liderados por Mao Tsé-Tung, de não conservar as cidades, onde o Kuomintang era superior militarmente, e recuar para os campos em redor. Uma das directivas de Mao Tsé-Tung era "cercar as cidades com os nossos campos e, com o tempo, tomar as cidades". O Kuomintang dominava as principais cidades mas perdia gradualmente o controle dos campos e começava a encontrar dificuldades em efectuar o recrutamento. Os comunistas passaram a dominar o Norte da Manchúria e grande parte dos campos.

Em finais de 1947, pela primeira vez, as tropas comunistas superavam em número as do inimigo. A principal razão para este facto estava nas promessas comunistas de promover a nova política de "terra para quem a trabalha", que fazia com que os camponeses se sentissem apoiados na luta para preservarem as suas terras.

Chang Kai-shek entrara entretanto em conflito com muitos dos seus principais generais, transferindo comandantes de um lado para o outro, o que veio a provocar uma quebra no moral das tropas.

Nos começos de 1948, a inflação atingira um valor inimaginável nas áreas controladas pelo Kuomintang. Para a população civil a situação estava a tornar-se desesperadora. O estado-maior do Kuomintang estava dividido quanto à estratégia a adoptar. Em Setembro detinha apenas três redutos na Manchúria. Ao longo do conflito, tinham-se rendido ou passado para o lado dos comunistas mais de um milhão de soldados do Kuomintang. Embora os aviões norte-americanos continuassem a apoiar os nacionalistas, a 2 de Novembro toda a Manchúria estava em poder dos comunistas.

Em 1949, os comunistas chineses expulsaram os nacionalistas para a Ilha Formosa. A ilha tornou-se o refúgio do Kuomintang, que decreta a lei marcial e, sob a proteção americana, instaura um governo nacionalista, que não reconhece a República Popular da China, administrada pelo Partido Comunista da China.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Documento do partido». Party Charter (em inglês). Kuomintang of China. 
  2. «Introdução ao KMT». Introduction to the party (em inglês). Kuomintang of China. 
  3. «Kuomintang - Definições». Kuomintang (em inglês). Dictionary. 
Ícone de esboço Este artigo sobre História da China é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.