Kwai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Kwai
Nome nativo Kuaishou (快手)
Slogan "Registre o mundo, compartilhe sua história"
Cotação SEHK1024
Fundação março de 2011
Fundador(es) Su Hua
Cheng Yixiao
Sede Pequim, China
Área(s) servida(s) Mundo
Pessoas-chave Sua Hua (CEO)
Serviços Rede social
Compartilhamento de Vídeos
Valor de mercado US$ 220 bilhões (2021)
Lucro Aumento US$ 9,1 bilhões (2020)[1]
Website oficial kuaishou.com

Kwai, também conhecido como Kuaishou (em chinês: 快手; lit. "mão rápida") na China, é um aplicativo móvel de compartilhamento de vídeos chinês desenvolvido pela Beijing Kuaishou Technology Co., Ltd, com uma base de usuários forte fora das cidades de nível 1 da China.[2] Fora da China continental, o aplicativo também ganhou considerável popularidade; em outros mercados, chegou a liderar, em oito países, as listas de "mais baixados" do Google Play e da App Store. Na Índia, o aplicativo é conhecido como Snack Video.[3] O nome "Kwai" é utilizado nos mercados estrangeiros. Seu principal concorrente é o TikTok, conhecido como Douyin, na China.[4]

O Kwai foi fundada por Su Hua (宿华) e Cheng Yixiao (程一笑).[5] Antes de cofundar o Kwai, Su Hua trabalhou para a Google e para o Baidu como engenheiro de software.[6] A empresa está sediada na capital chinesa, Pequim.[7]

Kwai é uma rede social para compartilhamento de vídeos curtos, onde qualquer um pode gravar e publicar no aplicativo. A média mensal de usuários atingiu 776 milhões no primeiro semestre de 2020. Os usuários ativos gastam, em média, mais de 85 minutos diários dentro do aplicativo.

História[editar | editar código-fonte]

O predecessor de Kwai, "GIF Kuaishou", foi fundado em março de 2011. "GIF Kuaishou" era um aplicativo móvel para criar e compartilhar imagens GIF. Em novembro de 2012, o aplicativo se transformou em uma comunidade de vídeos curtos para que os usuários publicassem vídeos retratando sua vida cotidiana. Em 2013, o aplicativo atingiu 100 milhões de usuários diários.[8] Em 2019, esse número ultrapassou 200 milhões de usuários diários ativos.[9]

Em março de 2017, a empresa chinesa Tencent decidiu investir US$350 milhões de dólares no aplicativo.[9] Em janeiro de 2018, segunda estimativa da Forbes, a empresa valia US$18 bilhões.[7]

Em 2019, a empresa anunciou uma parceria com o jornal oficial do Partido Comunista da China, o Diário do Povo, para ajudá-lo a experimentar o uso de inteligência artificial nas notícias.[10]

Em março de 2020, a Beijing Kuaishou Technology Co., Ltd comprou a plataforma de vídeo online "AcFun".

Em junho de 2020, o governo da Índia baniu o Kwai junto com 58 outros aplicativos, alegando "questões de dados e privacidade".[11] Entretanto, as recentes tensões na fronteira entre a Índia e a China podem ter desempenhado um papel na proibição, afinal, na Índia, cada vez mais, por causa das relações competitivas entre os dois países nos últimos anos, o movimento de Boicote à China, "Boycott Made in China", tem crescido.

Em janeiro de 2021, a empresa anunciou que estava planejando uma oferta pública inicial para levantar aproximadamente US$5 bilhões.[12] As ações da empresa completaram seu primeiro dia de negociação em HK$300 (US$38,70), ultrapassando seu preço de oferta inicial além do dobro do valor e fazendo com que seu valor de mercado disparasse para mais de HK$1 trilhão (US$159 bilhões).[13][14]

Em fevereiro de 2021, as ações da empresa chinesa subiram 194% na inauguração em Hong Kong, região administrativa especial da China[15] e, no mesmo mês, seu valor de mercado da atingiu US$220 bilhões.[16]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Em 2020, o Kwai começou a fazer diversos anúncios para o público, utilizando criadores de conteúdo do aplicativo, crescendo consideravelmente a base de usuários.[17] Um dos criadores de conteúdo fez estava nos anúncios alegou que não havia autorizado o uso de sua imagem.[18]

Referências

  1. «Kuaishou Key Financial Indicators». Statista (em inglês). 4 de maio de 2021. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  2. Synced (12 de agosto de 2019). «Tencent-backed Video App Kuaishou Is Turning Chinese Country Folk Into Hollywood Directors». Synced. Consultado em 2 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2019 
  3. «Tencent-backed Kwai App ranked Most Popular social short video app». Business Insider. Consultado em 3 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2019 
  4. «One of China's hottest video apps is flirting with video gaming». South China Morning Post (em inglês). 19 de dezembro de 2018. Consultado em 2 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2019 
  5. Jing, Meng (20 de junho de 2019). «Is short-video start-up Kuaishou too 'Zen' for China's internet culture? Its founders think so». South China Morning Post. Consultado em 2 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2019 
  6. «Su Hua». Forbes (em inglês). Consultado em 2 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2019 
  7. a b «Bloomberg Company Profile: Beijing Kuaishou Technology Co Ltd». Bloomberg. Consultado em 2 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2019 
  8. «Behind the success of Kuaishou, the biggest social video sharing app in China». Technode. 17 de maio de 2017. Consultado em 2 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2019 
  9. a b «Start Up Chinesa Kwai». South China Morning Post. 20 de junho de 2019. Consultado em 2 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2019 
  10. Li, Jane (20 de setembro de 2019). «China's tech giants are helping the Communist Party's newspaper fine-tune its online voice». Quartz (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de setembro de 2019 
  11. Shrivastava, Rahul (29 de junho de 2020). «Govt bans 59 Chinese apps including TikTok as border tensions simmer in Ladakh». India Today (em inglês). Consultado em 29 de junho de 2020 
  12. Chiu, Joanne (25 de janeiro de 2021). «China's Love of TikTok-Style Apps Powers $5 Billion IPO». Wall Street Journal. Consultado em 27 de janeiro de 2021 
  13. «Kuaishou shares jump 161 per cent in debut as Hong Kong's hottest IPO paves way for offerings from rival video-sharing app owners». South China Morning Post. 5 de fevereiro de 2021 
  14. Chiu, Joanne (5 de fevereiro de 2021). «TikTok Rival's Stock More Than Doubles in Hong Kong Debut». Wall Street Journal. Consultado em 7 de fevereiro de 2021 
  15. https://pandaily.com/kuaishou-shares-jump-194-in-hong-kong-trading-debut/
  16. Zmoginski, Felipe (17 de fevereiro de 2021). «Kwai atinge 220 milhões de dólares e valor de mercado». Uol. Consultado em 30 de março de 2021 
  17. Couto, Marcus (23 de abril de 2021). «Kwai lança campanhas no Brasil». Yahoo! Notícias. Consultado em 1 de novembro de 2021 
  18. «Jovem alega que não autorizou o uso de sua imagem». Tudo Celular. 1 de abril de 2021. Consultado em 1 de novembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]