Léo Áquilla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Léo Áquilla
Leonora Áquilla posa com fãs na feira cultural LGBT de 2009, em São Paulo
Nome completo Leonora Mendes de Lima[1]
Nascimento 6 de setembro de 1970 (50 anos)[2][3]
Teófilo Otoni, MG[3]
Residência São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Cônjuge Chico Campadello (c. 2016)
Alma mater Universidade Anhembi Morumbi[4]
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo[5]
Ocupação
Período de atividade 1996–presente
Filiação PSC (2005-2007)
PR (2007-2009)
PTB (2009-2011)
PV (2011-2013)
PSL (2013-2015)
PODE (2015-2018)
PHS (2018-2019)
PODE (2019-presente)
Carreira musical
Período musical 2015–presente
Gênero(s) Pop
Instrumento(s) Vocal
Gravadora(s)
Religião espírita
Página oficial
leoaquilla.com.br

Leonora Mendes de Lima (Teófilo Otoni, 6 de setembro de 1970), mais conhecida como Léo Áquilla, é uma jornalista, repórter, apresentadora e cantora brasileira filiada ao Podemos (PODE).[3]

Atuando no jornalismo multimídia, já fez trabalhos em rádio (Metropolitana FM), teatro, cinema e televisão (RedeTV! e Record).[2]

Foi ainda candidata a deputada estadual em três eleições (2006, 2010 e 2014), não tendo obtido o número suficiente de votos para ser eleita.[2][6]

Recentemente Léo Áquilla deixou a RedeTV!, para ser assessora parlamentar na Câmara dos Vereadores no gabinete do vereador Thammy Miranda.[7]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em uma família humilde na cidade mineira de Teófilo Otoni, mas a família mudou-se para São Paulo ainda em sua infância, em busca de uma vida melhor.[3]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Teófilo Otoni, terra natal da artista e da família.

Seus pais chamam-se Joel Pedreira de Lima e Maria Helena Mendes de Lima. Léo Áquilla assumiu-se homossexual no final da adolescência, enfrentando muito preconceito, mas ainda não se sentia completamente feliz e não sabia o porquê. Nesta época começou a montar-se como drag queen, para alcançar sua independência financeira e sair de casa. Começou a ganhar dinheiro dançando e cantando em boates paulistanas. Um dia conversou com sua melhor amiga de infância, e revelou a ela que desejava muito ser pai, e após pensar bastante, ela concordou em dar um filho a ele, pois também desejava ser mãe. Em sua única relação com uma mulher, gerou seu filho, a quem registrou como Vitor Áquila Nascimento de Lima, nascido em 1996. No mesmo ano, adotou o bebê recém nascido de sua amiga, que não tinha condições de criá-lo. O menino foi batizado como Wagner Lima Silva.[8]

Ao longo de sua vida passou a se identificar com o gênero feminino de forma mais forte, e começou a utilizar acessórios femininos durante todo o dia e à noite, não só mais em suas performances drags. Aos 28 anos, em 1998, formou-se em jornalismo, e através de sua extensa pesquisa realizada em sua monografia, que discutia sobre a transexualidade nos meios de comunicação, começou a se perceber como uma mulher transexual, e após frequentar sessões de psicoterapia para se conhecer mais e ter certeza sobre sua real identidade, assumiu-se como transexual, mas não quis fazer a cirurgia de redesignação sexual, pois nunca possuiu disforia genital, e aceitava bem seu corpo. Um outro motivo que a impediu de fazer está cirurgia tão invasiva refere-se ao fato de possuir um sopro cardíaco desde a infância, o que tornaria a cirurgia muito arriscada de ser realizada. Nesta época colocou silicone, mas ainda não tinha condições financeiras para iniciar um tratamento hormonal[9], e nem fazer cirurgias plásticas. No mesmo ano entrou na justiça para modificar seu nome, e ter reconhecido seu gênero como feminino. Após um processo de dez anos, obteve vitória em 2008, e, posteriormente, retificou todas as suas documentações e sua certidão de nascimento, tornando-se oficialmente uma mulher trans.[1][8]

Em 2010, realizou uma cirurgia de feminização em que remodelou sua face, transformando suas caraterísticas mais proeminentes, como testa, nariz e queixo, as deixando harmonicamente mais femininas. Além destes procedimentos estéticos, realizou algumas cirurgias plásticas, como rinoplastia, lipoaspiração, ritidectomia e abdominoplastia.[8]

Em 2012, concluiu sua pós graduação em jornalismo político, e admitiu em entrevista ao TV Fama que já havia iniciado sua terapia hormonal, e feito mais de dez sessões de tratamento para sua completa transição de gênero. A última, um transplante capilar, naquele mesmo ano.[8]. Durante o reality show "A Fazenda 5", admitiu que teve uma infância traumática, devido aos maus-tratos que sofria por parte de alguns familiares, e o bullying que sofreu na escola, por ser um menino muito delicado para os padrões machistas da época.[8].

Em 2014, iniciou um namoro com o professor de artes marciais Chico Campadello. No ano seguinte, ficaram noivos, e em 2016 foram morar juntos. Nesse mesmo ano seu noivo ficou em coma por um mês, após complicações em uma cirurgia de lipoaspiração. Após Chico se recuperar, em junho o casal oficializou a união, e a comemorou em uma cerimônia religiosa, em uma igreja inclusiva. Em entrevistas revelou que o casal sofre preconceitos, porque seu marido, que é separado e tem uma filha, se afirma como um homem heterosexual, e não homossexual. Léo sempre o defende, informando que ela é uma mulher, e ele se apaixonou por sua alma, e sua figura feminina. [1][8]

Casamento[editar | editar código-fonte]

Em 8 de junho de 2016 casou-se com o professor de artes marciais Chico Campadello, numa cerimônia avaliada em 700 mil reais, que ganhou como permuta por divulgar o espaço da festa. A comemoração foi realizada em grande estilo, para mais de 500 convidados, sendo o destaque do ano na alta sociedade paulistana, saindo nas revistas nacionais.[10]

Formação acadêmica[editar | editar código-fonte]

Léo possui graduação em Jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi e uma pós-graduação em Jornalismo Político pela PUC-SP[4][5].

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como artista, na TV e no rádio[editar | editar código-fonte]

Como artista, Léo tornou-se inicialmente conhecida por suas performances em boates LGBTs e por suas aparições polêmicas na televisão. Iniciou se apresentando como Robô Léo no programa Mara Maravilha Show, na Rede Record, tendo sido muito ajudada por Mara. Recentemente, retomou sua agenda artística realizando shows em várias cidades do país,[2] ausentando-se assim do programa humorístico Chupim da rádio Metropolitana FM 98,5 paulistana, o qual coapresentava[6]. Já lançou várias músicas, atualmente disponíveis em videoclipes em seu canal no YouTube[11].

Como jornalista[editar | editar código-fonte]

Como jornalista, tem trilhado carreira como repórter de vários programas, dentre os quais Noite Afora apresentado por Monique Evans, e Bom Dia Mulher capitaneado por Olga Bongiovanni (ambos da RedeTV!)[6]. Em 2012 foi repórter no Balanço Geral da Rede Record[12]. Em 2012, fez parte do elenco da quinta edição do reality show A Fazenda, da Rede Record, e conquistou o terceiro lugar da competição, além de um carro zero quilômetro[6][13]. Atualmente, Léo é colunista no quadro ''Roda da Fofoca'' do A Tarde É Sua.

Vida pública[editar | editar código-fonte]

Nas eleições de 2006, concorreu à Assembleia Legislativa pelo PR, mas não conseguiu se eleger. Obteve, contudo, um número expressivo de votos: 21.778[2].

Nas eleições de 2010, obteve 14.382 votos pelo PTB para o mesmo cargo, número que também não lhe possibilitou ingressar na vida pública eletiva[2][14][15].

Nas eleições de 2014, obteve 29.695 votos pelo PSL para a Câmara dos Deputados por São Paulo, porém não conseguiu a entrada na política mais uma vez.

Nas eleições de 2016, disputou a eleição para vereador paulistano pelo PTN e obteve 5.146 votos, novamente não se elegendo[16].

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Programa Função Emissora
1996 Mara Maravilha Show Robô Léo RecordTV
20012004 Noite Afora Coapresentadora e repórter RedeTV![6]
20062009 Bom Dia Mulher Repórter RedeTV![6]
2012 A Fazenda 5 Participante (3.º lugar) RecordTV[6]
2012 Balanço Geral SP Repórter RecordTV[12]
2014 Legendários Sócia e convidada RecordTV
20162017 Bastidores do Carnaval Repórter RedeTV!
2018- 2021 A Tarde É Sua Colunista da "Roda da Fofoca" RedeTV!
Cinema
Ano Filme Personagem Ref
2006 Falsa Loura Antero dos Santos Junior (Tetê) [6]
2016 Contrato Vitalício Travesti
Teatro
Ano Peça Personagem Ref
2008 Moscas Mortas num Copo de Conhaque Fuego Eterno [6]
Rádio
Ano Programa Função Emissora Ref
2009–2011 Chupim Coapresentadora Rádio Metropolitana [6]

Internet[editar | editar código-fonte]

Ano Título Cargo Plataforma
2010-presente Léo Áquilla Apresentadora YouTube

Discografia[editar | editar código-fonte]

  1. Abracadabra
  2. Aqui Pra Você
  3. Belíssima
  4. Camaleoa
  5. Eu Vou Lutar
  6. I Love New York
  7. I'm Luxurious
  8. It's Over, Baby
  9. Miga Sua Loka
  10. Mundo Cor de Rosa
  11. No Passo da Mona
  12. Princesinha da Favela
  13. Se Joga, Pintosa, Põe Rosa
  14. Se toca, Bixona! O Rosa, é Cafona!
  15. Shine Tonight
  16. The Mask[17]
  17. Vaza[18]

Referências

  1. a b c «Leo Aquilla mostra foto de título eleitoral com nome feminino: 'Mulher, aceita'». Extra. 1 de maio de 2018. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  2. a b c d e f Da redação (2012). «Perfil – Léo Áquilla». Caras Online. Consultado em 22 de abril de 2013 
  3. a b c d «Léo Aquila». IG. 2012. Consultado em 22 de abril de 2013 
  4. a b «Entrevista exclusiva com Léo Áquila na Havana dance club!». Cada Minuto. 2011. Consultado em 22 de abril de 2013 
  5. a b «Léo Áquilla». Bol. Consultado em 22 de abril de 2013 
  6. a b c d e f g h i j «Léo Áquilla». Uol. 2012. Consultado em 22 de abril de 2013 
  7. Ribeiro, Elisangela (5 de fevereiro de 2021). «Sonia Abrão se despede de Leo Áquila, que deixou o 'A Tarde é Sua'». AreaVIP.com.br. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  8. a b c d e f Da redação (2 de junho de 2012). «Léo Áquilla já fez dez cirurgias para se "transformar em menina"». Portal Terra.com. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  9. Vito, Paulo (26 de março de 2021). «Léo Áquilla é impedida de entrar na Globo por Fátima: "Ela precisa saber"». TV Foco. Consultado em 14 de abril de 2021 
  10. Portal EGO (9 de junho de 2016). «Léo Áquilla e Chico Campadello têm casamento tradicional em SP». ego.globo.com. Consultado em 12 de junho de 2016 
  11. «Videoclipes - YouTube». YouTube 
  12. a b Fabíola Reipert (10 de setembro de 2012). «Léo Áquilla dá piti ao vivo no programa de Geraldo Luís, na Record». R7.com — Entretenimento. Consultado em 15 de novembro de 2012 
  13. Redação (11 de agosto de 2012). «Léo Áquilla ganha carro e Nicole fica irritada». Universo Online. A Fazenda — R7. Consultado em 16 de novembro de 2012 
  14. Redação (2010). «Candidatos de São Paulo». Universo Online. UOL, Eleições 2010 — Apuração. Consultado em 15 de novembro de 2012 
  15. Redação (13 de junho de 2006). «Em clima de campanha, Léo Áquilla estréia carro na parada gay». Folha Online —- Ilustrada. Consultado em 15 de novembro de 2012 
  16. Redação (3 de outubro de 2016). «Thammy, Dicesar, Pera e Leo Aquilla não se elegem vereadores em SP». G1. Consultado em 13 de outubro de 2016 
  17. «Leo Aquilla». letras.mus.br. Consultado em 28 de setembro de 2020 
  18. Faustino, Emílio (4 de maio de 2017). «Léo Áquila lança clipe "Vaza" com Pepê e Neném e outros famosos». Observatório G. Consultado em 28 de setembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]