Léo Ferré

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Léo Ferré
Nascimento 24 de agosto de 1916
Mônaco
Morte 14 de julho de 1993 (76 anos)
Castellina in Chianti
Cidadania Mônaco, França
Alma mater Institut d'Etudes Politiques de Paris
Ocupação cantor, poeta, autor-compositor, compositor, cantautor, escritor, radialista, maestro, pianista, músico, autor
Movimento estético música clássica
Página oficial
http://www.leo-ferre.com/

Léo Ferré (Mónaco, 24 de Agosto de 1916 - Castellina in Chianti, Itália, 14 de Julho de 1993) foi um poeta, anarquista e músico franco- monegasco. Enquanto músico foi autor, compositor e intérprete de um grande número de canções. Viveu no Mónaco, Paris, departamento de Lot e na Toscana, onde terminou os seus dias.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ferré era filho de Joseph Ferré, dire(c)tor do pessoal do casino de Monte Carlo e de Marie Scotto, costureira de origem italiana. Interessou-se muito cedo pela música. Com apenas sete anos integra o coro da catedral do Mónaco e aí aprende solfejo e harmonia. Descobre a polifonia entrando em conta(c)to com as obras de Palestrina e de Tomás Luis de Victoria. Mais tarde descobre Beethoven, representando um concerto na ópera de Monte Carlo.

Obra[editar | editar código-fonte]

O elevado nível poético das letras das suas numerosas canções costuma reflectir um inconformismo radical de cunho anarquista e a qualidade da música e da interpretação situam-no nos maiores vultos da moderna canção francesa. Autor de duas grandes séries de canções sobre textos de Baudelaire e Louis Aragon, utilizou também poemas de Ronsard, Apollinaire, Arthur Rimbaud entre outros.

Apresentam-se as obras por ano da primeira edição.

  • Poètes, vos papiers. La Table Ronde, 1956
  • La Nuit, feuilleton lyrique. La Table Ronde, 1956
  • Jean-Roger Caussimon, Seghers, 1967.
  • Il est six heures ici et midi à New York. Gufo del Tramonto, 1974
  • Je vous attends. Paul Ide Gallery, Bruxelles, 1981
  • Testament phonographe (Textes de chansons & poèmes), Monaco, La Mémoire et la mer, 1982
  • Œuvres poétiques, ilustradas por Jacques Pecnard. Editions du Grésivaudan, Grenoble, 1988 .
  • Les vieux copains. Lo Païs, Draguignan, 1990.
  • La musique souvent me prend… comme l'amour, Monaco, La Mémoire et la mer, 1999
  • Je parle à n'importe qui, collection "Les Étoiles", Monaco, La Mémoire et la mer, 2000
  • La Méthode, collection "Les Étoiles", Monaco, La Mémoire et la mer, 2000
  • La Mauvaise graine, Le Livre de poche, n° 9626, 2000
  • Les Noces de Londres, collection "Les Étoiles", Monaco, La Mémoire et la mer, 2000
  • Alma Matrix, collection "Les Étoiles", Monaco, La Mémoire et la mer, 2000
  • Marie-Jeanne, collection "Les Étoiles", Monaco, La Mémoire et la mer, 2000
  • Benoît Misère (Roman), Monaco, La Mémoire et la mer, 2001
  • Lettres non postées, collection "Les Étoiles", Monaco, La Mémoire et la mer, 2006

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]