Lília Momplé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lília Momplé
Nome completo Lília Maria Clara Carrière Momplé
Data de nascimento 19 de março de 1935 (80 anos)
Local de nascimento Ilha de Moçambique,  Moçambique
Género(s) Romance, conto
Movimento Pós-modernismo
Magnum opus Ninguém Matou Suhura
Prémios Prémio José Craveirinha de Literatura (2011)

Lília Maria Clara Carrière Momplé (Ilha de Moçambique, Nampula, 19 de Março de 1935) é uma escritora moçambicana.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Lília Maria Clara Carrièrre Momplé nasceu em Nampula, Moçambique. A sua descendência familiar é uma mistura de vários elementos étnicos, incluindo macua, francês, indiano, chinês e mauriciano. Frequentou o Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa e terminou com uma licenciatura em Serviço Social. Em 1995, tornou-se secretária-geral da Associação Moçambicana de Autores, cargo que desempenhou até 2001. Representou também Moçambique em várias reuniões internacionais.

Carreira Literária[editar | editar código-fonte]

Uma grande parte da futura influência literária de Lília Momplé veio da sua avó, que, embora não soubesse ler nem escrever, sempre lhe contava histórias. As histórias da avó inspiraram a jovem Lília, porque os seus heróis eram muitas vezes criaturas frágeis, em vez dos típicos poderosos. Escritores portugueses, como Eça de Queirós e Fernando Pessoa, também influenciaram o caminho da carreira literária da Lília Momplé. No entanto, foi só com a leitura dos versos do poeta moçambicano José Craveirinha que ela tomou a decisão de se tornar escritora. Craveirinha foi o primeiro escritor moçambicano a retratar personagens africanas como protagonistas na sua poesia. Como Lília Momplé foi professora durante muitos anos, muitos dos temas das suas narrativas focam o tema da educação. Nas suas obras, ela também explora os papéis tradicionais das mulheres e as expectativas que as acompanham na sociedade, juntamente com as dificuldades que elas enfrentam. Ela tende a enfatizar questões relacionadas com a raça, classe, género, e diferenças de cor e origem étnica.

Prémios[editar | editar código-fonte]

Obras[editar | editar código-fonte]

Cinco contos baseados em factos verídicos da época colonial[1]
  • Neighbours. Maputo, Associação dos Escritores Moçambicanos, 1995. 2.ª ed., 1999. Colecção Karingana, n.º 16 [1]
Ilustração da capa: óleo de Catarina Temporário
  • Os olhos da cobra verde. Maputo, Associação dos Escritores Moçambicanos, 1997. Colecção Karingana, n.º 18

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Biografia, em Ninguém matou Suhura e em Neighbours (cf. supra).

Notas

  1. Ler um extracto aqui.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]