Língua atong

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Atong
Falado em: Índia, Bangladesh
Região: Índia, em Meghalaya + áreas adjacentes de Bangladesh
Total de falantes: 10 mil, 4,6 mil na Índia
Família: Sino-tibetana
 Bramaputra
  Bodo–Koch
   Koch
    Atong
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: aot

Atong é uma língua Sino-Tibetana relacionada com as línguas Koch, Rabha, Bodo e Garo.[1] É falado nos distritos de South Garo Hills e West Khasi Hills no estado de Meghalaya no nordeste da Índia, no distrito de Kamrup em Assam e áreas adjacentes em Bangladesh. A ortografia correta "Atong" é baseada na maneira como os próprios oradores pronunciam o nome de sua língua. Não há glotal oclusiva no nome e não é uma língua tonal.

Falantes[editar | editar código-fonte]

Não há estimativa atual do número de falantes disponíveis; de acordo com o Levantamento Linguístico da Índia, foi falado por aproximadamente 15 mil pessoas nos anos 20. Como os Atong se consideram, e são considerados pelos Garos como uma sub-tribo dos Garos; eles não são contados como uma comunidade étnica ou linguística separada pelo governo indiano.

Quase todos os falantes Atong são bilíngües em Garo, em maior ou menor grau. Garo é vista como uma língua de mais prestígio, até porque há uma tradução da Bíblia em Garo, mas não em Atong é a língua usada em todas as igrejas e a maioria dos falantes de Atong são cristãos. O Garo também é a língua da educação nas escolas da área de língua de Atong, embora algumas escolas ofereçam educação em inglês.

Uma gramática de referência da língua foi publicada por Seino van Breugel.[2] Um dicionário Atong–Inglês[3] e um livro de histórias em Atong[4] são publicados e estão disponíveis no Tura Book Room.

Na Índia, Atong é considerado um dialeto de Garo. A palavra "dialeto" tem que ser entendida em um sentido político aqui, como uma forma de discurso sem status oficial. As pessoas Atong são membros as Tribos Agendadas Garo. A 'linguagem' daquela tribo agendada é o Garo. A palavra "linguagem" aqui também é politicamente definida como "variedade de discurso oficial". A 'linguagem' da Tribo Agendada Garo é uma forma padronizada de discurso usado na educação, administração, imprensa e literatura. No entanto, dentro da disciplina acadêmica de Linguística, Atong e o Garo padrão são línguas diferentes, porque eles têm diferentes fonologias vocabulário e gramática ]. Na Linguística, um dos outros critérios usados para determinar que duas variedades de fala são línguas diferentes ou de uma mesma língua é "inteligibilidade mútua". Para simplificar, quando duas pessoas não conseguem entender a forma de falar uma da outra, elas são líniguas diferentes. No entanto, devido ao fato de que um grande número de Atongs é bilíngüe no Garo (pelo menos no nível de percepção e em vários níveis no nível de produção), a inteligibilidade mútua é uma via de mão única: falantes do Atong entendem o Garo padrão mas falantes de Garo padrão não entendem Atong. Em suma, os Atongs pertencem à tribo Garo, mas falam de forma diferente.

Escrita[editar | editar código-fonte]

A língua Atong pode ser escrita como alfabeto bengali (Abugida) ou com o alfabeto latino, no caso sem as letras F, Q, V, X, Z.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Os fonemas do Atong são apresentados em IPA (Alfabeto Fonético Internacional) na Tabela 1. Essa tabela também apresenta como os fonemas são escritos no alfabeto Atong usado para a escrita diária por pessoas que não são linguistas. Como podemos, a glotal oclusiva pode ser escrita com um ponto no alto relevo ou um apóstrofo. O ponto alto ⟨ •⟩ foi usado pelos missionários para escrever a oclusiva glotal da língua Garo quando o sistema de escrita para aquela língua foi criado em 1800 . O apóstrofo é uma maneira mais fácil de escrever a oclusiva glotal, porque está disponível em todos os teclados de computador. O fonema vocálico / ə / é escrito ⟨ y⟩ na ortografia, como em Khasi eem galês . Foram os presbiterianos galeses que desenvolveram o sistema de escrita Khasi e usaram a letra ⟨ y⟩ para escrever o fonema / ə / . dp Khasi.

Relação entre os fonemas de Atong e o modo como são escritos na ortografia latina e na bengali
Fonema Letra Bengali Fonema Letra Bengali Fonema Letra Bengali
ph m m i i ই ি
th n n e e এ ে
kh ŋ ng ঙ ং a a আ া
p p r r o o ও ো
t t l l u u উ ু
k k sʰ ~ s s ə y এঃ েঃ
b b ch ii ঈ ী
d d j ee এঽ েঽ
ɡ g h h oo ওঽ োঽ
w w j i য় aa আঽ াঽ
ʔ • or ' '

Como podemos ver na tabela acima, os fonemas consoantes / sʰ ~ s / têm pronúncias aspiradas e não-aspiradas. O alofone aspirado [sʰ], ocorre no início de uma sílaba, enquanto o [s] não-aspirado ocorre no final de uma sílaba. Ambos os fonemas são escritos com a letra ⟨ s⟩. O / s / aspirado não é incomum nos idiomas asiáticos;as línguas birmanesa e coreana são exemplos daquelas que a utilizam.

Glotalização[editar | editar código-fonte]

Glotalização, ou prosódia glotal, em Atong é uma característica que opera no nível da sílaba, e que se manifesta como uma glotal oclusiva no final da sílaba. A glotalização afeta apenas as sílabas abertas e as sílabas que terminam em um continuum ou vogal. Nos exemplos a seguir, as sílabas são indicadas por um marcador. Onde o símbolo ⟨ ʔ⟩ representa a glotal oclusiva e o ponto final representa o limite da sílaba.

Vogais[editar | editar código-fonte]

Atong tem seis vogais que valem para as palavras nativas e também para as emprestadas de outras línguas. Essas são são / i, e, a, o, u, ə /. Além disso, existem quatro vogais que são encontradas apenas em palavras emprestadas das línguas inglesa e de línguas da Índia. Essas são as chamadas "vogais de empréstimo", que são geralmente, mas nem sempre, estendidas às vogais nativas. As vogais de empréstimo, caracterizadas por um macron, são / ī / [iː ~ i], / ē / [eː ~ e], [aː ~ a] e ō [oː ~ o]. Na ortografia, eles são simplesmente escritaos em dobro. Observe que / ū / e / ə̄ / não são atestadas.

As vogais de empréstimo são geralmente, mas nem sempre, pronunciadas longas, e quando não são assim pronunciadas longas, a diferença entre as de empréstimo e as palavras indígenas é uma questão de qualidade vocálica. Em sílabas fechadas (vogal no fim), onde as vogais de Atong são mais baixas e mais retraídas, as de empréstimo têm a mesma qualidade das vogais Atong em sílabas abertas. Nem todas as palavras emprestadas que têm vogais longas no idioma de origem têm vogais longas em Atong, e nem todos os empréstimos que podem ser pronunciados com uma vogal longa em Atong têm uma vogal longa no idioma de origem.

Exemplos de pares mínimos e pares quase mínimos são dados na tabela abaixo.

Pares de palavras minimais e quase minimalistas com e sem vogais longas
Vogal curta Português Vogal longa Português
tin 'ferro corrugado tiin baji 'três horas (horário)'
pel- 'copular' peel dong•ok 'falhado'
mat 'animal selvageml' aat baji 'oito horas (horário)'
ret 'jogo de crianças’ reel 'trilhos, trem'
ba•- 'nascer, parir' baaa 'mugido'

Embora as vogais longas sejam encontradas apenas em palavras de empréstimo. A palavra tin , 'ferro corrugado' é um empréstimo inglês sem vogal longa, que contrasta fonologicamente com a palavra de empréstimo indicativa tīn , 'três', que contém uma vogal longa.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Atong (alfabeto latino)[3] English[5]
Nang• jama / chola bykphyl. sua camisa está pra dentro. Na•a angna tangka hyn•chawama? você poderia me dar algum dinheiro?
Ningba ytykyi takwa ga•nima? seria bom se fizéssemos assim?

Atong tem muitos empréstimos das línguas [língua assameasa|Assamesa]], Bengali, [Hindi]] e Inglês. Esses empréstimos podem ser facilmente lidos na ortografia Atong usando o alfabeto latino . , Exemplos de empréstimos do inglês são: redio (da palavra inglesa 'radio'), rens (da palavra inglesa 'wrench'), skul (da palavra inglesa 'school' ), miting (da palavra inglesa 'meeting'). Outros exemplos de empréstimos são chola (de Assamese: চােলা /sʊla/ ‘jaqueta, úûnica, casaco’) e jama (from Assamese জামা /jāmā/ ‘casaco, camisa, jaquetinha’).

Ditongos[editar | editar código-fonte]

Se um ditongo é definido como "duas vogais que podem ocorrer no núcleo de uma sílaba", então Atong não possui ditongos. Existem palavras que são escritas com dois grafemas ou vogais adjacentes, Ex.:. mai 'arroz', askui 'estrela' e chokhoi 'cesta de pesca'. No entanto, a letra u nessas palavras representa um fonema consonante, como a semivogal / j / (ver Tabela 1). O sistema de escrita usa a letra "i" desta forma porque as letras "j" e "y" são usadas para representar outros fonemas.

A estrutura de sílaba canônica de Atong é (C) V (C), onde C significa qualquer consoante e V para qualquer vogal. Esta estrutura pode ser obtida se palavras como mai 'arroz', askui 'estrela' e chokhoi 'cesta de pesca' são analisadas como tendo uma vogal e uma semivogal . Na escrita fonética, as palavras ficariam assim: / maj /, / askuj /, cokhoj /.

Existem duas semivogais na língua: /w/ e /j/. O /w/ ocorre nas posições inicial ou final da síla, Ex.: wak 'porco' e saw 'podre, fermentado' respectivamente. O /j/ ocorre apenas no fim da silaba. Ex.:e. tyi / tj / 'água'. As palavras com a estrutura CVVC não existem, Ex.: * gaut ou * main (onde o asterisco [*] indica a inexistência dessas palavras).

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Thik thak kawoknotyi ue sa•gyraie. Kawbutungchi thik tokkyrengaw man•okno. Ytykyimuna tokkyrengaw man•aimungna ha•china wuuuuuuuk dym! takram•phinoknotyi phylgym gal•waan.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Jacquesson, François. 2006. La réconstruction du passé: le cas des langues boro-garo. Bulletin de la Société Linguistique de Paris 101(1), 273-303
  2. van Breugel, Seino. 2014. A grammar of Atong. Leiden, Boston: Brill. [1]
  3. a b van Breugel, Seino. 2009b. Atong–English dictionary. Tura: Tura Book Room.
  4. van Breugel, Seino. 2009c. Atong morot balgaba golpho. Tura: Tura Book Room.
  5. «Transliteration Tool». Ashtanga Yoga. AYI. Consultado em 2 de outubro de 2016 

Ligaçoes externas[editar | editar código-fonte]