Língua atorai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Atorai

Atorada

Falado em: Brasil e Guiana
Total de falantes:
Família: Arawak
 Central
  Pidiana
   Atorai
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: aox

A língua atorai ou atorada é uma língua da família linguística arawak falada no Brasil e na Guiana.[1] É uma variedade da língua wapixana conforme Ramirez (2020).[2]

Vocabulário[editar | editar código-fonte]

Vocabulário da língua atoraí (Carvalho 1948):[3][4]

Português Atoraí
homem iuanae
mulher runacare, rinacare
moça macabare
água une, oune
pedra quibae
fogo tiquiarre
rio riucerr
mandioca canarre
folha rianaba
cabelo ruai
rede uecha, uigia
olho uauene
nariz urrebe
boca udaco
dente uedaco
língua uninon
queixo uertae
braço uanubai
mão uquae
dedo quercive
unha ubarre
coxa uocouba
perna tabae
uquede
pescoço uquanae
orelha urtaine
abdômen outouba
remo poura
cabaça uero
macaxeira iupae
mandioca uainy
milho marreque
tabaco tiuma
pimenta rie
cajazeira roupo
anta coudoue
arroz auatê
eu náo
tu peu
ele curicau
nós baecupapo
branco bourau
preto poureu
amarelo uirrau
verde curiu
casa cabane
parede cabaquidibiarre
porta tauerae
cobertura da casa chibiéinhame
piso raare
cumeeira baerruae
esteio tiacurae
panela rumae
colher tipouna
banco tabae
cuia oubona
corda inuí
caniço uertabae
anzol cubaue
linha de pescar uerra muren
flecha baery
arco praury
corda do arco rinuy
ponta da flecha baery udaco
emplumação da flecha naaquete binae
faca mary
flauta de taboca uqueuede
moquém ouripêrre
pena quitibae
periquito tirrique
veado aroue
cutia tiucoure
paca urana
porco queixada bitia
porco caititu baquira
cão rine
jabuti choupa
morcego tamareua
cobra courrarra
jacaré atoure
sapo quibiaro
macaco (genérico) puate
macaco-preto roume
macaco sagüi uitaro
rato bacare
nambu amurou
jacamim namati
mutum pauixi
urubu uato
galinha carrare
pato bai
papagaio uaro
arara azul carraro
arara vermelha dada
peixe (genérico) cupaeche
pescada uacoubaia
jeju carassai
escama cupae-rimade
espinha richirre
mosca tarabarro
pium marire
formiga mateuba
borboleta tametamé
mosquito meutio
algodão quinharige
fio de algodão quinhare
grão de milho marrequeudaco
banana tiare
tapioca aebiae
melancia patelha
cará rerre
batata-doce carrê
feijão camaiche
pena de periquito tirrique quitibe
leite materno ricanare irine
fogão ixique
branco (raça) apidiane boudau
preto (raça) apidiane meicurú
estrangeiro caraive
igarapé onarrarruau
amar quibia
acabar maiqueta
abraçar uiubaque
amarrar cuy
assar tiucae
beber udaedae
beijar biibi
banhar quaua
caçar tianrinhan
caminhar tainhape
comer urrabá
cozinhar uaraquin
cavar quitiarapa
costurar cuanhuapo
dar uartáa
dançar umarabata marabate
desenhar tanará
dormir ourraue
edificar (fazer as casas da maloca) tomaurapa
falar uaritairrou
fumar tiumatein
fugir uacarrae
gritar uimurrapo
mamar bibii
mentir mariihapo
morrer camae
nadar inhauta
passear uamuruan
pescar uacubaeapa
puxar uarratei
remar uapourate
urinar uatatquine

Numerais[editar | editar código-fonte]

Os numerais:

Português Atoraí Comentário
um baerapá
dois baeretei
três quiarape
quatro badaiqué
cinco bucaepape
seis baerapá bacaenite (bacaenite)
sete baeretei bacaenite
oito quiarape bacaenite
nove badaiqué bacaenite
dez baucuacae (= o total dos dedos das mãos)
onze baerapá-baucuacae
doze baeretei-baucuacae
treze quiarape-baucuacae
quatorze badaiqué-baucuacae
quinze bararapa (= total dos dedos das duas mãos mais os dedos de um pé)
dezesseis baerapá-bararapa
vinte baerapá-apidiana (um + o indivíduo, quer dizer: uma pessoa ou todos os dedos de uma pessoa)

Referências

  1. Meira, Sérgio. 2019. A Study of the Genetic Relation between Mawayana and Wapishana (Arawakan Family). Revista Brasileira de Línguas Indígenas (RBLI), vol. 2, no. 1 (Jan.-Jun. 2019), pp. 70-104.
  2. Ramirez, Henri (2020). Enciclopédia das línguas Arawak: acrescida de seis novas línguas e dois bancos de dados. 3 1 ed. Curitiba: Editora CRV. 290 páginas. ISBN 978-65-251-0234-4. doi:10.24824/978652510234.4 
  3. CARVALHO, Braulino de. Os índios da região dos formadores do rio Branco. Geografia e História - Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão, São Luís, 1948, ano II, n. 1, p. 61-7.
  4. Vocabulário da língua atoraí. Site Línguas Indígenas Brasileiras, de Renato Nicolai.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Vocabulário atoraí - CARVALHO, Braulino de. Os índios da região dos formadores do rio Branco. Geografia e História - Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão, São Luís, 1948, ano II, n. 1, p. 61-7.
Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.