Língua canaânica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Canaânico
Falado em: Leste europeu
Total de falantes: Extinta no final da Idade Média
Família: Indo-europeia
 Balto-eslava
  Eslava
   Eslava ocidental
    Tchecoeslovaca
     Canaânico
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: czk

A língua canaânica (também chamada kanaanica, leshon knaan, judeu-tcheco[1] ou judeu-eslavo) é uma língua eslava ocidental judaica, antes falada nas terras dos eslavos do oeste, principalmente nas terras tchecas, mas também em terras das atuais Polônia, Lusácia e outras áreas sórbias. Veio a se extinguir no final da Idade Média.

Nome[editar | editar código-fonte]

O nome da língua se originou da terra de Canaã, um termo geoetnológico que denominava as populações judias que viviam a leste do rio Elba, em contraste com os asquenazes, judeus que viviam a oeste do mesmo rio, e com os sefarditas, judeus da Península Ibérica.[2] Essas terras são simplesmente conhecidas como Europa eslava ou Eslavônia.[3]

A palavra se originou da antiga palavra hebraica Canaan ( כנען "kəna'an") que era usada pelos judeus da Europa para denominar os povos eslavos, como uma referência punitiva da chamada "Maldição de Canaã" (Gênesis 9,25), dizendo que os “Canaan” deveriam "ser escravos".

História[editar | editar código-fonte]

A língua se extinguiu durante a Idade Média, possivelmente em função da expansão da cultura asquenaze e de sua língua, o iídiche, cuja base era o alemão. A hipótese tem suporte pela grande presença de palavras do iídiche oriundas das línguas eslavas, muitas das quais nem são mais usadas nessas línguas mesmo no tempo da expansão asquenaze. Essas palavras devem ter vindo do canaânico e não do polonês, nem das línguas sorábias ou do tcheco. Outra hipótese, essa do linguista Paul Wexler, diz que o canaânico é o real predecessor do iídiche, que somente mais tarde foi “germanizada”.[4] Em outras palavras, os “Knaanim”, ou seja, os falantes das línguas Judeu-Eslavas, foram causa primeira das mudanças ocorridas com a língua Iídiche.[5] Tais vistas contrastam com as teorias de Max Weinreich que acredita que as palavras originárias de línguas eslavas foram assimiladas somente depois do iídiche estar totalmente formado.[6][7]

Amostra[editar | editar código-fonte]

Um possível exemplo mais antigo de texto canaânico é uma carta do século IX para a comunidade judia da Rutênia.[2] Uma das muito poucas amostras comumuente aceitas de inscrições canaânicas são inscrições em moedas cunhadas por Miecislau I, "o velho" e por Lesco I, "o branco", dois reis poloneses dos séculos XII e XIII. A mais recente evidência de uso da língua, escrita em alfabeto hebraico, data do século XVI.

Brakteat01.jpg Brakteat02.jpg

knaan משקא קרל פלסק
transcrição mškɔ krl plsk
tradução Miecislau III, o velho, Rei a Polônia

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

ותצי נש, כתרי יסו ונבסיח, אתי פסויצני יסת ימן ייח. אתי פרזיד כרלוסתוי ייח. אתי ס־סתן ייח ול יכ ונב, תכ ע נזמ. חלב נש וזדישי דיי נם דנס. א אדפסתי נם נש דלה, יכ ע מע אדפושתים נשם דלזיניכום. א נוודו נס ופכשני, אל וסובדי נס אד זלה. נבתי ייח יסת כדלוסתוי ע מצ ע סלו נויכאמן. [8]

Transliteração

Votče naš, kterj jesv vnebesjeǩ, atja posvjecunj jest jimin jojiǩ. Atja przijde krolevstvoj jojiǩ. Atja se stan jojiǩ vola jak vnebe, tak i nzemi. Ǩleba naseho vzedejšij djaj nom dans. A odpustje nom naše dolih, jak a me odpuvštjome našim dolžnajkvom. A nvevodv nas vpokušenje, al vsvobedje nas od zleho.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. (em inglês) Knaanic. 13 de junho 2006 - Ethnologue: Languages of the World, Edição 15ª SIL International. Online version Arquivado em 6 de fevereiro de 2007, no Wayback Machine..
  2. a b (Polonês) various authors; Szymon Datner (1983). Witold Tyloch, ed. Z dziejów Żydów w Polsce. Warsaw: Interpress. 6 páginas. ISBN 83-223-2095-7 
  3. (em inglês) Max Weinreich; Paul Glasser, Shlomo Noble , Yivo Institute for Jewish Research (corporate). History of the Yiddish Language. 1. New Haven: Yale University Press. 525 páginas. ISBN 0-300-10887-7 
  4. (em inglês) Paul Wexler (2002). Two-tiered relexification in Yiddish: The Jews, Sorbs, Khazars and the Kiev-Polessian dialects. Berlim: Mouton de Gruyter. ISBN 3-11-017258-5 
  5. (em inglês) Mark Louden (2000). «Contact-induced phonological change in Yiddish: Another look at Weinreich's riddles». John Benjamins Publishing Company. Diachronica. 17 (1): 85–110. doi:10.1075/dia.17.1.05lou 
  6. for instance (em inglês) Max Weinreich (1956). «Yiddish, Knaanic, Slavic: The basic relationships». For Roman Jakobson: Essays on the occasion of his sixtieth birthday, 11 October 1956. The Hague: Mouton. pp. 622–632 
  7. History of the Yiddish Language, op.cit., pp. 727
  8. [http://www.language-museum.com/encyclopedia/k/knaanic.php}

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]