Língua chulym

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chulym (Ӧс тили)
Falado em: Rússia
Região: montanhas Altai, Sibéria
Total de falantes: 35-40 [1](2006)
Família: Altaica
 Turcomana
  Siberiana
   Chulym
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: clw

Chulym (em russo: Чулымский язык), também chamada Chulim, Chulym-Turcomano, Küerik, Chulym Tártaro ou Melets Tatar (não confunda-se com a língua tártara) é a língua dos Chulyms.

Nome[editar | editar código-fonte]

A palavra usada pelos Chulyms para se referirem a si próprios e a sua língua é Ös, literalmente ‘próprio’. Também é falada pelos Kacik (Kuarik). O nome se refere a uma tribo extinta.

Classificação[editar | editar código-fonte]

A língua é muito relacionada com as línguas Khakas e Shor. Embora haja linguístas que considerem as três como um único idioma, os falantes do Ös não concordam.

Falantes[editar | editar código-fonte]

Os falantes estão na Sibéria Central, Rússia, ao norte das montanhas Altai, bacia do rio Chulim, afluente do rio Ob.[2] Todos falantes são bilingues em Russo. Ns tempos da União Soviética, os falantes da língua eram desencorajados ou punidos quando crianças se usassem a língua nas escolas, visando desvalorizar essa cultura.[3]

Dialetos[editar | editar código-fonte]

Chulym, mesmo hoje quase extinta, apresenta dialetos que correspondem a localiozações ao longo do rio Chulim: Baixo Chulym (talvez extinta), Médio e Alto.

Extinção[editar | editar código-fonte]

Chulym é uma língua em extinção e deverá ter desaparecido em cerca de ¼ de século. Está listada nessa condiçãi pela UNESCO em seu chamado livro vermelho. Durante a filmagem do documentário norte-americano The Linguists de 2008, os linguístas Gregory Anderson e K. David Harrison entrevistaram 20 pessoas e fizeram várias gravações, estimando de 35 a 40 a quantidade de falantes dentro de uma comunidade de 426 chulyms étnicos.[1] Entre os entrevistados, o mais jovem tinha 54 anos de idade.[4]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. a b Harrison, K. D.; G. D. S. Anderson (2006). Ös tili (Middle and Upper Chulym Dialects): Towards a comprehensive documentation. Turkic Languages. pp. 47–71 
  2. Harrison, K. D.; G. D. S. Anderson (2003). Middle Chulym: Theoretical aspects, recent fieldwork and current state. Turkic Languages. pp. 245–256 
  3. The Linguists (film, 2008)
  4. Honeycutt, Kirk (18 January 2008). «The Linguists». The Hollywood Reporter. Consultado em 22 February 2009  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda) [ligação inativa]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Anderson, Gregory and K. David Harrison (2006) Ös tili (Middle and Upper Chulym Dialects): Towards a comprehensive documentation. Turkic Languages. 10(1) 47-71.

Externas[editar | editar código-fonte]