Língua galóli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Percentagem da população do Timor-Leste que usa o galóli como língua materna nos sucos do Timor-Leste, segundo o censo 2010

O galóli (também chamado galolen,[1] galole, galolem ou galolin [2]) é uma língua falada no norte do distrito de Manatuto, em Timor-Leste. Com cerca de 50 mil falantes, é uma das línguas nacionais do país mas não goza do estatuto de língua oficial - atribuído somente ao tétum e ao português.

O galóli é de origem austronésica ou malaio-polinésia e apesar de não ser, percentualmente, uma das principais línguas de Timor-Leste, assume alguma importância no país, sobretudo depois de ter sido adotado pela Igreja Católica no distrito de Manatuto e, por isso, fixado em gramáticas e dicionários.

O galóli se apresenta nos seguintes dialetos: manatuto (vila), wetar (iliwaki), lakloo (lacló) e laleia.[2]

Referências

  1. ALBUQUERQUE, Davi Borges.Peculiaridades prosódicas do português falado em Timor Leste. ReVEL, v. 8, nº 15, 2010.
  2. a b Galóli no Ethnologue


Ícone de esboço Este artigo sobre Timor-Leste é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.