Língua húngara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Húngaro (Magyar)
Falado em: Hungria, Romênia, Eslováquia, Áustria, Israel, Eslovênia, Ucrânia, Sérvia, Kosovo
Região: Europa oriental
Total de falantes: 14,5 milhões
Posição: 52
Família: Urálica
 Úgrica
  Húngaro
Estatuto oficial
Língua oficial de: Hungria, União Europeia
Regulado por: Instituto de Pesquisa de Lingüística da Academia Húngara de Ciências
Códigos de língua
ISO 639-1: hu
ISO 639-2: hun
ISO 639-3: hun

A língua húngara ou magiar é um idioma pertencente ao grupo fino-úgrico[1] da família das línguas urálicas, sendo de todas a mais amplamente falada, superando 14 milhões de falantes.

É também a mais falada das línguas não indo-europeias na Europa. O húngaro é a língua oficial da Hungria, uma das 24 línguas oficiais da União Europeia, e é falado também por comunidade de etnia magiar em sete países vizinhos, especialmente na Romênia, Eslováquia e Sérvia.

História[editar | editar código-fonte]

De seu lugar original nos Montes Urais, onde suas línguas irmãs vivem (khanti, mansi), as tribos magiares deslocaram-se para o oeste no século IX. Sob a liderança de Árpád, o deslocamento foi completado em 896.

Os textos mais antigos em húngaro procedem do final do século XII (Halotti Beszéd - "Oração fúnebre"), onde aparece o nome magyar pela primeira vez para designar os falantes da língua, da mesma forma que o mesmo termo já aparece em fontes muçulmanas e bizantinas como designação tribal nos séculos IX e X. No século XIII há uma quantidade considerável de registros escritos, procedendo dessa época o texto Ómagyar Mária Siralom "Lamento de Maria".

O século XV viu um brilhante renascimento durante o reinado de Matias I Corvino. Após o desastre nacional da batalha de Mohács, onde os húngaros foram derrotados pelos turcos, seguiu-se uma longa e lenta recuperação até o século XIX, quando o movimento revolucionário produziu dois grandes poetas: Petöfi Sándor e Arany János.

Os primeiros livros impressos em húngaro foram editados na Cracóvia (livros escolares de János Sylvester em latim e húngaro, de 1527, e as Cartas de Pál Zenth por Benedek Komjáti, de 1533) e em Viena (Fábulas de Esopo e o Novo Testamento, de 1536, ambos por Gábor Pesti). O primeiro livro em húngaro impresso na Hungria foi a tradução que János Sylvester fez do Novo Testamento que foi publicado em Sárvár em 1541.

Os períodos da história desta língua são os seguintes:

  • Proto-húngaro: período urálico até 1000 a.C.
  • Húngaro arcaico: de 1000 a.C. até 896 d.C.
  • Húngaro antigo: de 896 até o século XVI
  • Húngaro médio: do século XVI até o final do século XVIII
  • Húngaro moderno: dos finais do século XVIII até a atualidade

Dialetos[editar | editar código-fonte]

Os principais dialetos húngaros incluem:

  • Grupo Ocidental: a oeste do Danúbio.
  • Grupo Setentrional: onde se encontram os dialetos palóc, estendendo-se da linha Nyitra-Szolnok-Kassa até o norte.
  • Grupo Meridional: que engloba os dialetos em uso ao sul e a leste do Danúbio, a região de Szeged e a Grande Planície Húngara.
  • Grupo Oriental: que engloba os dialetos a leste da linha Tisza-Kőrös, os arredores do curso do rio Kőrös e os assentamentos ocidentais e norte-ocidentais da Romênia.
  • Grupo Norte-Oriental: próximo à fronteira com a Ucrânia.

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Atualmente, o húngaro é a língua oficial da República da Hungria, com aproximadamente 10,5 milhões de falantes (98% da população). Há mais de 3 milhões de pessoas que falam húngaro nas regiões vizinhas à Hungria: 15.000 em Burgenland, Áustria, 765.000 na Eslováquia, 10.000 em Muravidék, Eslovênia, 40.000 em Vajdaság, Sérvia, 2.000.000 em Erdély (Transilvânia), Romênia e 200.000 em Kárpátalja, Ucrânia. Há cerca de 1 milhão na Europa ocidental, Estados Unidos, Canadá e Brasil.

Gramática[editar | editar código-fonte]

Como todas as línguas de seu grupo, o húngaro é uma língua aglutinante. Uma palavra típica consiste em uma raiz na qual pode-se adicionar um ou mais prefixos ou sufixos. Muitos deles obedecem a lei de harmonia das vogais: uma raiz que contenha uma vogal posterior (como á) exigirá sufixos que possuam vogais posteriores; por exemplo, a raiz hát (detrás) forma as palavras hátunk (nossas costas) e háton (sobre costas). Igualmente uma raiz que contenha uma vogal anterior exigirá sufixos que possuam vogais anteriores: a raiz kép (imagem) forma as palavras képünk (nossa imagem) e képen (sobre imagem).

O alfabeto húngaro possui os dígrafos: sz /s/, cs /tch/, zs /j/, ty /t/, gy /d/ e ny /nh/ (aproximações fonéticas para o português).

O húngaro não possui gênero gramatical. A declinação conta com um sistema de vinte e dois casos, várias formas de conjugação verbal em função tanto do sujeito quanto do objeto, e flexão verbal quanto ao aspecto da ação, por meio de prefixos.

Sistema de escrita[editar | editar código-fonte]

Atualmente usa-se o alfabeto romano com sinais diacríticos, exceto as letras q, w, x e y. Até o início da Idade Média se utilizou um alfabeto denominado Runa Húngara[2] .

O escritor húngaro Radványi Balázs inventou três escritas alternativas e simplificadas para o Húngaro, todas, porém, de pouco uso prático: Harta, Tengwar e “Nuvens e Chuva” Felhő és Eső)[3] [4] [5]

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Hungarian vowel chart.svg

O alfabeto húngaro contemporâneo é constituído por quatorze vogais e vinte e sete consoantes, sendo eles:

A, Á, B, C, Cs, D, Dz, Dzs, E, É, F, G, Gy, H, I, Í, J, K, L, Ly, M, N, Ny, O, Ó, Ö, Ő, P, Q, R, S, Sz, T, Ty, U, Ú, Ü, Ű, V, W, X, Y, Z, Zs.

O X (ksz) é usado em matemática, e o Y, para marcar certas consoantes. Às vezes o Y aparece também no final de sobrenomes, como forma arcaica, equivalendo a i.

Pronúncia[editar | editar código-fonte]

Vogais[editar | editar código-fonte]

  • A - Som de ó curto. Exemplo: Ópera.
  • Á - Som de a em português, longo.
  • E - Som de é em português, breve.
  • É - Som de ê em português, longo.
  • I - Como em português, breve.
  • Í - Como em português, longo.
  • O - Como na palavra bom, breve.
  • Ó - Como "o", porém longo.
  • Ö - Som intermediário entre o e e, breve. Como no francês Richelieu, ou no alemão schön.
  • Ő - Idem ao ö, porém mais alongado.
  • U - Como em português, breve.
  • Ú - Como em português, longo.
  • Ü - Som intermediário entre u e i, breve. Como no francês menu, ou no alemão für.
  • Ű - Idem ao ü, porém mais alongado.

Consoantes[editar | editar código-fonte]

  • C - Como Ts (tsar) ou Tz (Quartzo).
  • Cs - Como Tch (tchau).
  • Dzs - Como o dj
  • G - Como gato em português, em qualquer posição da palavra (inclusive antes de e e i). Por exemplo, um húngaro leria a palavra (inexistente) gelo como "guelo".
  • Gy - Som inexistente em português.
  • H - como rr.
  • J - Como I ou Y antes de vogal (a letra I em húngaro é sempre vogal, jamais consoante).
  • Ly - aproximadamente como lh em português, na palavra lhe. É algo mais assimilado, puxando mais para i ou y, como na palavra em inglês you.
  • M e N - Como madeira ou nada em português. Em qualquer posição (início, meio ou fim da palavra).
  • Ny - Como Nh em português. Exemplo: aranha.
  • S - Como Ch ou X em português.
  • Sz - Como S em português.
  • Ty - Som inexistente em português. Algo parecido com um T amolecido, quando falando-se depressa se diz te-amei em duas sílabas.
  • Zs- Como J em português.

Algumas frases e palavras em húngaro[editar | editar código-fonte]

Exemplos de algumas frases em língua húngara:

  • Olá: Szervusz (lê-se sérvus)
  • Olá (informal): Szia (lê-se sia)
  • Bom dia: Jó napot (lê-se: iô napôt)
  • Como vai você: Hogy vagy
  • Obrigado: Köszönöm szépen (lê-se: quê-cênem sêpén)
  • De nada: Szívesen (literalmente, "cordialmente")
  • Danúbio: Duna
  • Estação de trem: Pályaudvar ou pu (abreviatura)
  • Praça: Tér ou Tere
  • Rua: Utca
  • Estrada Út
  • Ponte: Híd
  • Avenida: Körút
  • Restaurante: Étterem
  • Mercado: Piac
  • Farmácia: Gyógyszertár
  • Café: Kávé
  • Termas: Fürdő
  • Preto: Fekete
  • Branco: Fehér
  • Vermelho: Piros
  • Azul: Kék
  • Amarelo: Sárga
  • Verde: Zöld
  • Grande: Nagy
  • Futebol: Labdarúgás

Exemplos de numerais[editar | editar código-fonte]

  • 1 egy
  • 2 kettő
  • 3 három
  • 4 négy
  • 5 öt
  • 6 hat
  • 7 hét
  • 8 nyolc
  • 9 kilenc
  • 10 tíz
  • 11 tizenegy
  • 12 tizenkettő
  • 13 tizenhárom
  • 14 tizennégy
  • 15 tizenöt
  • 16 tizenhat
  • 17 tizenhét
  • 18 tizennyolc
  • 19 tizenkilenc
  • 20 húsz
  • 30 harminc
  • 40 negyven
  • 50 ötven
  • 60 hatvan
  • 70 hetven
  • 80 nyolcvan
  • 90 kilencven
  • 100 száz

Notas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]