Língua hauçá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Língua haúça)
Ir para: navegação, pesquisa
Hauçá (هَوُسَ, Hausa, Haussa)
Falado em: Benim Benim
Burkina Faso Burkina Faso
Camarões Camarões
Gana Gana
Níger Níger
Nigéria Nigéria
Sudão Sudão
Togo Togo
Total de falantes: 50 milhões (27 milhões como língua nativa, 19,5 milhões como segunda língua)
Posição: 41
Família: Afro-asiática
 Chádico
  Chádico ocidental
   "A" Chádico Ocidental
    "A.1" Chádico Ocidental
     Hauçá
Códigos de língua
ISO 639-1: ha
ISO 639-2: hau
ISO 639-3: hau

Hauçá[1][2][3] ou haúça[4][5] (em inglês: Hausa) falado pelos hauçás, é uma das principais línguas africanas, e a língua chádica com o maior número de falantes, falada como primeira língua por 27 milhões de pessoas e como segunda língua por mais de 19,5 milhões de pessoas,[6] perfazendo um total de aproximadamente 50 milhões de falantes.[7]

É considerada uma das línguas africanas mais importantes, pela extensão territorial em que é falada e pelos fins sociais a que serve. Nenhuma outra língua da África Central é tão espalhada como o hauçá. Seu território original, ao sudeste do Songai, entre o Níger o país de Bornu, é muito extenso: é a língua comercial da África Central. Embora já tenha sido escrito com o alfabeto árabe, hoje o hauçá é escrito sobretudo no alfabeto latino.[8]

Os falantes nativos de hauçá, os hauçás, concentram-se sobretudo no Níger, no norte da Nigéria e no Chade. Além disso, o hauçá é usado como língua comercial em uma porção muito maior da África ocidental, incluindo ainda países como o BenimGana, Camarões, Togo e Costa do Marfim, e espalhando-se até o centro do continente, por países como o Chade, a República Centro-Africana, o Gabão e o noroeste do Sudão (especialmente entre muçulmanos).

A língua é ensinada em universidades ao redor do mundo. É a língua mais falada na Nigéria.[7] Estima-se haver mais de 25 milhões de não nativos que usam o hauçá em algum nível. A língua substituiu assim outras línguas minoritárias, e continua a ganhar popularidade em diferentes partes da África como resultado do sucesso dos filmes e música hauçás que se espalham pela região. Nas Américas, nos séculos XVIII e XIX houve um número relevante de falantes de hauçá na Bahia, embora esta tenha sido suplantada, como língua franca entre os escravos da região, pelo iorubá (ou nagô).[9]

Referências

  1. Aulete 2017.
  2. Aurélio 1993.
  3. Houaiss 2001.
  4. Infopédia 2017.
  5. Priberam 2017.
  6. «Hausa». Ethnologue 
  7. a b «Hausa language». Encyclopædia Britannica (em inglês) 
  8. «UNESCO - Língua hauçá» (PDF) 
  9. «Brasiliana | Os africanos no Brasil - Página: 213». www.brasiliana.com.br. Consultado em 12 de outubro de 2015 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Aurélio (1993). «Haúça». Dicionário Aurélio. Rio de Janeiro: Nova Fronteira 
  • Houaiss (2001). «Haúça». Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]