Língua kusunda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kusunda
Falado em: Nepal
Região: Gandaki
Total de falantes: 1 (2012[1] )
Família: Tibeto birmanesa (?)
 Língua isolada
  Kusunda
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: kgg

Kusunda é uma língua isolada que é hoje falada fluentemente somente por uma pessoa, Gyani Maiya Sen, residente no Nepal ocidental. Essa língua foi descrita em detalhes somente recentemente.

Durante muitas décadas, a língua Kusunda foi considerada como diante de iminente extinção,havendo pouca esperança de que se viesse a conhecê-la bem. O pouquíssimo material que se conseguiu a patrir das memórias de seus antigos falantes levou à conclusão de que se tratava de uma língua isolada, mas a falta de evidências definitivas fez com que fosse provisoriamente classificada como uma das línguas tibeto-birmanesas.

Porém, em 2004, pessoas do povo Kusunda, Gyani Maya Sen, Prem Bahadur Shahi e Singh,[2] foram chamados a Kathmandu para ajudar na análise de documentos de seus conterrâneos. Aí, membros da Universidade Tribhuvan perceberam que havia dentre eles falantes fluentes do Kusunda, bem como outros parentes também o eram. Eram então 7 ou 8 falantes fluentes, sendo que o mais jovem estava com idade na faixa dos 30 anos. Agora, a língua está moribunda, não há crianças que a aprendam e todos falantes de Kusunda casaram for a de sua comunidade.

David E. Watters (2005) publicou uma gramática de tamanho mediano com uma descrição da linguagem e do seu vocabulário, mostrando que o Kusunda é realmente uma linguagem isolada, não só por fatores genealógicos, mas também por seu léxico, sua gramática e sua fonologia, todas bem distintas daquelas das línguas próximas na região. Parece que Kusundaseria uma língua remanescente de línguas faladas no norte da Índia antes do influxo de povos falantes de idiomas Tibeto-Birmaneses e [[línguas indo-iranianas|Indo-Iranianos.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Vogais[editar | editar código-fonte]

Kusunda apresenta seis sons vogaiss em dois grupos de harmonia vocálica; uma palavra normalmente terá vogais do tipo “superior” (cor rosa) ou “inferior” (cor verde), mas não ambas simultaneamente. Há muito poucas palavra que apresetam ambos tipos de vogais; a maioria das palavras pode ser pronunciada de uma forma ou da outra, embora aquelas com consoante uvular exijam o tipo “inferior” (como ocorre em outras línguas). Há poucas palavras com consoante não uvular que também permitem essa pronúncia dual, embora essas geralmente apresentem tal distinção em enunciados mais cuidadosos.[3]

Vogais Kusunda
Vogais Frontal Central Posterior
Fechada i u
Semifechada e ə o
Aberta a

Consoantes[editar | editar código-fonte]

As consoantes do Kusunda parecem contrastar apenas com o artuculador ativo, não onde o articulador faz contato na boca. Por exemplo, consoantes apicais podem ser dentais, alveolares, retroflexa ou palatal: /t/ é [t̪] antes de /i/, [t] antes de /e, ə, u/, [ʈ] antes de /o, a/, e [c] quando segue uma uvular, como em [coq] ~ [tok] ('nós').[3]

Além disso, muitas consoantes variam entre oclusiva e fricativa; Exemplos: /p/ parece ser superficial a [b] entre vogais, enquanto /b/ o faz com [β] numa mesma condição. Aspiração se percebe mais recentemente na língua. Kusunda também não apresenta fonemas retroflexos comuns nessa área geográfica e é a única aí a apresentar consoante uvular.[3]

Consoantes
Labial Coronal Palatal Velar Uvular Glotal
Nasal Oclusiva m n ŋ ɴʕ
Plosiva p~b
b~β

(pʰ bʱ)
t~d
d

(tʰ dʱ)
k~ɡ
ɡ~ɣ

(kʰ~x ɡʱ)
q~ɢ
(qʰ)
ʔ
 
Africada ts
dz

(tsʰ dzʱ)
Fricativa s ʁ~ʕ h
Aproximante w l j
Flap ɾ

[ʕ] nunca ocorre no início de sílaba, nem [ŋ]ocorre no final, de forma diversas das línguas da região,. [ɴʕ] somente ocorre entre vogais e pode ser como |ŋ+ʕ|.[3]

Pronomes[editar | editar código-fonte]

Kusunda apresenta doversos casos gramaticais. Aqui se apresentam três: nominativo (Kusunda, de forma diversa das linhas vizinhas, não é língua ergativa-absolutiva), genitivo, and acusativo.[3]

Nominativo Singular Plural
1ª pessoa tsi tok
2ª pessoa nu nok
3ª pessoa gina
Genitivo Singular Plural
1ª pessoa tsi, tsi-yi tig-i
2ª pessoa nu, ni-yi ? nig-i
3ª pessoa (gina-yi)
Acusativo Singular Plural
1ª pessoa tən-da (toʔ-da)
2ª pessoa nən-da (noʔ-da)
3ª pessoa gin-da

Other case suffixes include -ma "together with", -lage "for", -əna "from", -ga, -gə "at, in".

Há também os pronomes demonstrativos na and ta., embora seja difícil se perceber a diferença entre eles, a qual parece se relacionar a animacidade.

Sujeitos podem ser marcado no verbo, mas quando o são, podem ser tanto como sufixos ou prefixos. Aqui um exemplo com o verbo am ("comer"), um verbo muito regular, no presente (-ən):,

am "comer" Singular Plural
1ª pessoa t-əm-ən t-əm-da-n
2ª pessoa n-əm-ən n-əm-da-n
3ª pessoa g-əm-ən g-əm-da-n

Outros verbos podem ter o prefixo ts- na 1ª pessoa ou não ter na 3ª.

Notas e referências

  1. "Nepal's mystery language on the verge of extinction", Bimal Gautum, BBC, 12 May 2012
  2. Rana, B.K. (2004-10-12). Kusunda language does not fall in any family: Study email with pasted news article Himalayan News Service, Lalitpur, 2004-10-10. Visitado em 2007-09-12.
  3. a b c d e Watters (2005)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Em ingles

  • Reinhard, Johan and Sueyoshi Toba. (1970): A preliminary linguistic analysis and vocabulary of the Kusunda language. Summer Institute of Linguistics and Tribhuvan University, Kathmandu.[1]
  • Toba, Sueyoshi. 2000. Kusunda wordlists viewed diachronically. Journal of Nationalities of Nepal 3(5): 87-91.[2]
  • Toba, Sueyoshi. 2000. The Kusunda language revisited after 30 years. Journal of Nationalities of Nepal 3(5): 92-94.[3]
  • Watters, David E. 2005. Kusunda: a typological isolate in South Asia. In Yogendra Yadava, Govinda Bhattarai, Ram Raj Lohani, Balaram Prasain and Krishna Parajuli (eds.), Contemporary issues in Nepalese linguistics p. 375-396. Kathmandu: Linguistic Society of Nepal.
  • Rana, B.K. Significance of Kusundas and their language in the Trans-Hilayan Region. Mother Tongue. Journal of the Association for the Study of Language in Prehistory (Boston) IX, 2006, 212-218

Ligações externas[editar | editar código-fonte]