Língua macua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Macua
Outros nomes:Emakhuwa, Makhuwa, Makua
Falado em: Moçambique e Tanzânia
Região: Norte de Moçambique e Sul da Tanzânia
Total de falantes: 4 milhões
Família: Nigero-congolesa
 Atlântico-congolesa
  Volta-congolesa
   Benue congolesa
    Bantoide
     Bantu
      Macua
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: vmw

A língua macua,[1][2][3] macuá[4] ou emacua[5] (makua ou emakhuwa) é a principal língua nativa de Moçambique,[6] sendo falada por cerca de 4 milhões[7] de pessoas do grupo étnico macua, membro do conjunto de povos bantos. O idioma pertence à família linguística Níger-Congo[8] e possui diversas variações e dialetos.

Seus falantes se encontram majoritariamente ao norte do Rio Zambeze, nas províncias moçambicanas Nampula, Cabo-Delgado, Niassa, Zambézia e Sofala[9] e no sul da Tanzânia.[10]

Dialetos[editar | editar código-fonte]

Ficheiro:Mapamoçambique.png
Províncias de Moçambique[11]

Durante os I e II Seminários sobre a Padronização da Ortografia de Línguas Moçambicanas,[12] ocorridos em 1988 e 1999, foram estabelecidos os dialetos mais significativos da língua macua, listados a seguir. Devido à grande quantidade de dialetos e de termos para os identificar, o nome macua foi designado para a língua como um todo e o dialeto emacua foi considerado como a variante central e de referência para os demais.

Quadros Comparativos[editar | editar código-fonte]

Mãe e filha na província de Nampula, Moçambique[13]

A seguir constam quadros comparativos entre a variante central emacua e os dialetos emacua-imeeto[14] e emacua-enahara,[15] bem como uma comparação entre o macua e o suaíli.[16]

Comparação entre dialetos do macua
Emacua Emacua-imeeto Emacua-enahara Português
nsuwa ncuwa nzuwa sol
mulopwana nlopwana nlopwana homem
nsana ncana nzana ontem
olelo ilelo elelo hoje
melo melo melo amanhã
ekhaani mwankani yaankhaani pequeno
yuulupale muulupale yuulupale grande

O quadro acima compara respectivamente dois substantivos, três advérbios e dois adjetivos. As variantes são bastante semelhantes entre si, havendo, porém, diferença(s) no início das palavras; por exemplo, nas palavras para "sol" e "ontem", ocorre apenas uma alternância no segundo grafema, sendo usado s em emacua, c em emacua-imeeto e z em emacua-enahara. Além disso, a maioria dos falantes de emacua-enahara afirmam compreender bem o emacua, bem como as duas variantes apresentam poucas diferenças lexicais.[10]

Comparação entre emacua e suaíli
Emacua Suaíli Português
marupo matumbo estômago
kalawa galawa canoa
makura mafuta óleo
ikuo nguo tecido
mrima mtima coração
makano magano acordo
ikoma ngoma tambor
itepo tembo elefante
mashindano masindano concurso

Apesar da proximidade locativa, há poucas palavras semelhantes em macua e suaíli.[16] No entanto, os vocábulos apresentados na tabela auxiliam no entendimento de algumas tendências fonológicas da língua macua refletidas na escrita, como o desvozeamento das consoantes oclusivas:

matumbo x marupo

magano x makano

Fonética e Fonologia[editar | editar código-fonte]

Consoantes[editar | editar código-fonte]

A língua apresenta 26 consoantes, como mostrado na tabela abaixo. É importante ressaltar que o sistema fonológico do macua contém apenas oclusivas desvozeadas - assim, os grafemas b, d e g só ocorrem em empréstimos e são, na maioria das vezes, pronunciados através dos fones desvozeados [p], [t] e [k], respectivamente. O grafema b na palavra “Moçambique”, por exemplo, é majoritariamente pronunciado pelos falantes de macua através do fone [p].[12][16]

Consoantes do macua conforme o AFI
Modo/Lugar Bilabial Labio-Detal Dental Alveolar Retroflexa Palatal Lábio-Velar Velar Glotal
Oclusiva Não Aspirada p ʈ c k
Aspirada t̪ʰ ʈʰ
Fricativa f v ð s z ç h
Nasal m n ɲ ŋ
Aproximante Lateral l ʎ
Africada d͡ʒ
Vibrante r
Aproximante j w
  • A aspiração das oclusivas é um aspecto contrastivo do macua.[17] Assim, há palavras que se diferenciam apenas pela aspiração de uma consoante oclusiva, como mostrado nos vocábulos a seguir:

-tek- 'construir' x -thek- 'descascar'

-lap- 'rezar' x laph 'xingamento'

  • Em determinados contextos, os fones [ð], [z], [ç] e [c] representados, respectivamente, pelos grafemas dh, z, x e c, constituem variações regionais (alofones) em relação ao fone [s], representado pelo grafema s na variante de referência. A seguir constam exemplos em 4 dialetos para a palavra ‘agradável’.

osiva Emacua (variante de referência)

ociva Esaaka

oziva Enahara

odhiva Esankaci

  • Em lomué, os fonemas ʈ] e ʈʰ] da variante de referência são realizados foneticamente como [tʃ] e [tʃʰ], sendo representados, respectivamente, pelos grafemas c e ch nesta variante:
Significado Escrita em emacua Fone em emacua Escrita em lomué Fone em lomué
remédio mirette [ʈ] mirece [tʃ]
cadáver murutthu [ʈʰ] miruchu [tʃʰ]
júbilo otthapa [ʈʰ] ochapa [tʃʰ]
  • As semivogais w e y comportam-se na estrutura da sílaba como consoantes.
  • Há forte presença da nasalização na língua. Aponta-se que esse fato tem origens no uso do botoque (disco labial) pelas mulheres macuas.[16]

Modificação de consoantes[editar | editar código-fonte]

A língua macua detém certas transformações fonéticas, dentre elas:

athwaala 'esta gente'

epyo 'semente'

Vogais[editar | editar código-fonte]

Pode-se dizer que o macua possui dez vogais, sendo cinco vogais breves e cinco longas, de modo que a duração vocálica é contrastiva - ou seja, há palavras que diferem apenas pela presença de vogal longa ou breve em determinada posição. Quando a vogal é alongada, sua duração é marcada ortograficamente pela duplicação do caractere em questão, como mostrado a seguir:

omala ‘acabar’ x omaala ‘calar-se’

omela ‘germinar’ x omeela ‘repartir’

orula ‘despir' x oruula ‘fazer emergir’

Vogais do macua conforme o AFI
Anterior Central Posterior
Breve Longa Breve Longa Breve Longa
Fechada i i: u u:
Semifechada e e: o o:
Aberta a a:

Tons[editar | editar código-fonte]

A maioria dos dialetos do macua são tonais, apresentando dois tons: alto e baixo. No entanto, esses tons são majoritariamente atrelados a regras, como mostrado em alguns exemplos mais abaixo, referentes ao dialeto Esaaka.[17]

Esse assunto ainda está em debate entre os linguistas, mas se pode dizer que a distinção lexical oriunda da diferença tonal no macua se limita a poucos dados. Ou seja, são raros os casos em que dois vocábulos têm significados diferentes apenas pela diferença tonal, pois a demarcação dos tons é geralmente fixa nas palavras.

  • Regra da atribuição de tom alto:

Em verbos no infinitivo, a primeira e terceira sílabas do radical verbal possuem um tom alto subjacente, sendo o tom alto atribuído à terceira sílaba quando o radical possui quatro sílabas ou mais:

oha ‘cultivar’

  • Regra da duplicação do tom alto:

Um tom alto subjacente é duplicado em uma sílaba anteriormente neutra que o sucede caso ainda restem outras duas sílabas na palavra:

ohísíkiluma ‘não me morder um pouco’ - sem a regra da duplicação, o tom da sílaba ‘si’ seria neutro.

Escrita[editar | editar código-fonte]

A língua macua utiliza o sistema de escrita alfabético e o alfabeto latino, servindo-se dos seguintes caracteres:[12]

a, d, e, f, h, i, j, k, l, m, n, o, p, r, s, t, u, v, w, y

Correlação entre fones e grafemas nas consoantes
Fones p t̪ʰ ʈ ʈʰ c k f v ð s z ç h m n ɲ ŋ l ʎ d͡ʒ r j w
Grafemas p ph t th tt tth c k kh f v dh s z x h m n ny ng l ly j r y w
Correlação entre fones e grafemas nas vogais
Fones a a: e e: i i: o o: u u:
Grafemas a aa e ee i ii o oo u uu

Há também o uso de outros caracteres em determinadas situações, como abordado na seção de fonética e fonologia: z, c e x podem ocorrer como variações regionais de s, bem como b, g e d podem aparecer em topônimos e antropônimos.

Além disso, muitas vezes o fone [f] pode ser representado tanto pelo grafema f quanto pelo grafema ph, como no exemplo a seguir:

ofola ~ ophola ‘formar fila’

Quanto à similaridade de pronúncia com o português brasileiro, ocorrem apenas poucas diferenças nos seguintes caracteres:

Caractere Pronúncia em emacua Pronúncia em português
c [c] [k] ou [s]
h [h] não corresponde a um fone
j [d͡ʒ] ʒ
w [w] [u] ou [v]

Nome[editar | editar código-fonte]

Classes Nominais[editar | editar código-fonte]

Uma grande particularidade das línguas Bantu é a grande variedade de classes nominais, definidas por caracterizarem o nome de modo semelhante aos gêneros feminino e masculino no português, por exemplo. Além disso, o chamado sistema de concordância Bantu delimita que os verbos, adjetivos, pronomes e numerais relacionados aos substantivos também sofram modificações de acordo com a classe nominal em questão.[18]

A fim de indicar a classe nominal de um substantivo, é inserido em seu radical um prefixo específico. Diferentemente de línguas como o português e o espanhol, em que há uma distinção de gênero que se restringe a poucas categorias, a língua macua apresenta uma grande quantidade de classes nominais, cujas fronteiras entre si são mais tênues. Ademais, a flexão de número dos substantivos (formação do plural) também é delimitada por essas classes.

A seguir estão listadas e exemplificadas as principais classes nominais e suas flexões. As marcas entre aspas, como "homem", são usualmente utilizadas para facilitar a compreensão.

  • Mu- "homem" e A- "homens"

Estas classes geralmente se referem a seres humanos ou profissões. O prefixo mu- torna-se mw- antes de vogais, enquanto o prefixo a- não se altera.

Mulopwana ‘o homem’ Alopwana ‘os homens’

Mwixuttihi ‘o mestre’ Awixuttihi ‘os mestres’

  • Mu- "coqueiro" e Mi- "coqueiros"

Nessas classes encontram-se muitos nomes de árvores. Novamente, o prefixo mu- torna-se mw- antes de vogais, enquanto o prefixo mi- não se altera.

Mukole ‘o coqueiro’ Mikole ‘os coqueiros’

Mwako ‘o monte’ Miako ‘os montes’

Seguidos por radicais vocálicos, ni- torna-se ne- e ma- torna-se me-.

Nivaka ‘a zagaia’ Mavaka ‘as zagaias’

Neeku ‘a nuvem’ Meeku ‘as nuvens’

  • E- "cabrito" e I- "cabritos"

Estas classes geralmente denotam frutas, animais, coisas úteis ou palavras emprestadas do português.

Epuri ‘o cabrito’ Ipuri ‘os cabritos’

Elívuru ‘o livro’ Ilívuru ‘os livros’

  • Va- “perto”

Essa classe locativa remonta à ideia de proximidade locativa ou temporal. O prefixo va- é adicionado ao prefixo do substantivo adicional, bem como é acrescentado o sufixo -ni.

Vamashini ‘na água’ Vanlukuni ‘em cima da rocha'

  • O- “para”

Essa classe locativa exprime a ideia de direção ou origem da ação descrita no verbo. O prefixo o- substitui o prefixo original do substantivo.

Omatta ‘à horta’

  • Mo- “dentro”

Essa classe locativa é utilizada quando um evento acontece dentro de algum lugar. O prefixo mo- é acrescentado ao prefixo original ou lhe substitui e geralmente o sufixo -ni é adicionado.

Mpaani ‘na/dentro da casa’

  • O- em verbos nominalizados

Verbos no infinitivo (também iniciados por o-) podem ser usados como substantivos.

Ohawa 'o sofrer = sofrimento'

  • O- em substantivos abstratos

Orilu 'infelicidade'

Observação: Os verbos nominalizados e substantivos abstratos iniciados em O- distinguem-se através da concordância dos termos que os seguem. A concordância dos verbos nominalizados é o- ou w- (antes de vogal), já a concordância dos substantivos abstratos é a-.

Orilu aka 'a minha infelicidade'

Ohawa waka 'o meu sofrimento'

Pronomes Pessoais[editar | editar código-fonte]

Os pronomes pessoais podem ser utilizados de modo separado, constituindo morfemas livres, ou atrelados ao verbo, constituindo morfemas presos.[18] Os exemplos dos pronomes isolados dados a seguir foram retirados de uma lista de vocabulário.[19]

Quando representam o sujeito de uma ação, os pronomes pessoais são demarcados por prefixos na raiz verbal. Os pronomes pessoais que denotam o objeto são exprimidos através de interfixos.

Pronomes Pessoais com função de sujeito
Pessoas Morfemas Livres Morfemas Presos
Singular Plural Singular Exemplo Plural Exemplo
miyo hiyo ki- (k-) kinnithikila ‘eu corto’ ni- (n-) ninnithikila ‘nós cortamos’
nyuwo nyuwosa o-* (w-) onnithikila ‘tu cortas’ mu- (mw-) munnithikila ‘vós cortais’
owo awo o-* / a- (w-) onnithikila ‘ele corta’ a- (y-) annithikila ‘eles cortam’

Aponta-se que a distinção entre formas idênticas, como os prefixos o- das 2ª e 3ª pessoas do singular, pode ser tonal.

Os termos entre parênteses representam os morfemas quando precedidos por vogais.

Pronomes Pessoais com função de objeto
Pessoas Singular Exemplo Plural Exemplo
-ki- onnikikuxa ‘ele me leva’ -ni- onninikuxa ‘ele nos leva’
-o- onnokuxa ‘ele te leva’ -o- + -ni onnokuxani ‘ele vos leva’
-mu- onnimukuxa ‘ele o leva’ -a- onnakuxa ‘ele os leva’

O afixo do objeto faz referência apenas a pessoas, assim todas as formas vêm das classes Mu- ou A- “homem(s)”. Além disso, é adicionado o sufixo -ni no verbo quando utilizada a 2ª pessoa do plural, diferenciando-a da 2ª pessoa do singular.

Relações de posse[editar | editar código-fonte]

O conceito de posse é expresso através de vocábulos inseridos após o termo possuído, com pequenas variações de acordo com a classe nominal do termo em questão. A tabela a seguir lista os pronomes possessivos das classes que remontam a seres vivos ou objetos, capazes portanto de assumir o papel de objeto possuído em uma sentença.[18]

Pronomes possessivos
Classes A Mi- "coqueiros" e I- "cabritos" Ni- "zagaia"
meu/minha aka saka naka
teu/tua awo sawo nawo
dele/dela awe sawe nawe
nosso/nossa ahu sahu nahu
vosso/vossa anyu sanyu nanyu
deles/delas aya saya naya

Para facilitar a visualização da tabela, foram agrupadas na primeira coluna (Classes A) as seguintes classes: Mu- "homem", A- "homens", Mu- "coqueiro", Ma- "zagaias" e E- "cabrito".

A seguir é dado um exemplo para classe nominal Mu- “homem”, de modo que a estrutura das relações de posse (possuidor após termo possuído) é a mesma para as demais classes:

mulamu aka 'meu cunhado'.

Adjetivos[editar | editar código-fonte]

O idioma possui poucos adjetivos, sendo a caracterização de determinado substantivo muitas vezes feita através de orações que denotam a posse de certa característica. De acordo com o sistema de concordância, o adjetivo segue a concordância determinada pelo nome - muitas vezes isso implica o mesmo prefixo do substantivo, havendo exceções.[18]

A seguir são exemplificadas as concordâncias de acordo com a classe nominal, usando como exemplo o adjetivo khaani ‘pequeno’.

Concordância dos adjetivos
Classe Prefixo Exemplo
Mu- "homem" mu- mulopwana mukhaani ‘homem pequeno’
A- "homens" a- alopwana akhaani ‘homens pequenos’
Mu- "coqueiro" mu- mukole mukhaani ‘coqueiro pequeno’
Mi- "coqueiros" i- ou si- mikole ikhaani ‘coqueiros pequenos’
Ni- "zagaia" ni- nivaka nikhaani ‘zagaia pequena’
Ma- "zagaias" ma- mavaka makhaani ‘zagaias pequenas’
E- "cabrito" e- epuri ekhaani ‘cabrito pequeno’
I- "cabritos" i- ou si- ipuri ikhaani ‘cabritos pequenos’

Verbo[editar | editar código-fonte]

Ficheiro:Extensões Emakhuwa.png
Estrutura dos verbos em macua[18]

Os verbos em macua são majoritariamente formados por até seis partes:[18]

  1. prefixo do sujeito
  2. marcação de tempo (também pode ser expresso através de outros afixos)
  3. prefixo do objeto
  4. raiz do verbo
  5. extensões verbais
  6. vogal final

O exemplo a seguir ilustra essa divisão:

koomutumihera 'vendi a ele'

ko o mu tum ih er a
1 2 3 4 5 5 6

O conjunto da raiz verbal e extensões verbais constituem a base verbal. A conjugação por pessoa, número e classe nominal é feita através dos prefixos que demarcam o sujeito, bem como os objetos são demarcados através de afixos, como mostrado na seção de nomes e nos exemplos abaixo:

kinnithikila ‘eu corto’

onninikuxa ‘ele nos leva’

Os verbos em macua expressam tempo, aspecto e modo (noções frequentemente denotadas pela siga TAM). As conjugações apresentadas pertencem à variante emacua-enahara[20] e podem ser divididas em básicas (caracterizadas pela alternância entre formas verbais conjuntivas e disjuntivas, explicadas a seguir), não-básicas e complexas (formadas por locuções verbais). Além disso, as formas negativas são demarcadas por afixos superpostos à forma alternativa da conjugação em questão.

  • Formas verbais conjuntivas (CJ): necessitam de um complemento (objetos, advérbios, frase preposicional). Exemplo: ninthipa nlitti 'nós cavamos um buraco'
  • Formas verbais disjuntivas (DJ): não necessitam de complementos. Exemplo: ninaathipa 'nós estamos cavando'

Conjugações básicas afirmativas[editar | editar código-fonte]

Presente[editar | editar código-fonte]

Expressa eventos que estão acontecendo ou acontecerão em um futuro próximo.

CJ - nasal homorgânica como prefixo: etsiitsi envava ntsulu 'a coruja está voando lá em cima'

DJ - afixo -naa- antes da base verbal: kinaavenula 'eu vou abrir em um momento'

Presente Perfectivo[editar | editar código-fonte]

Descreve uma ação pontual completa em um passado recente.

CJ - sufixo perfectivo -ale: ophwanyale enuwi 'ele encontrou abelhas'

DJ - afixo -(h)o- e sufixo simples -a: amutsi ahoowa 'sua família veio'

Observação: o -h- é utilizado quando a base verbal é iniciada por uma vogal

Passado Imperfectivo[editar | editar código-fonte]

Descreve eventos de duração mais longa (em contraste a ações pontuais) no passado.

CJ - afixo -aa- antes da base verbal: enuw’ iile yaavira wanthalini vaavale 'a abelha passou bem perto da árvore'

DJ - afixo -anaa- antes da base verbal: waanaakhuruwa 'estava descendo'

Passado Perfectivo[editar | editar código-fonte]

Descreve eventos completos no passado, geralmente sucessivos.

CJ - prefixo a- e sufixo -ale: aavarale ni menno 'ele o tinha pego com seus dentes'

DJ - prefixo aahi e sufixo neutro -a: mwalapwa oninthola naphulu maana aahimweha 'o cachorro procura o sapo porque ele tinha o visto'

Conjugações básicas negativas[editar | editar código-fonte]

A negação nas conjugações não básicas é expressa através do afixo -hi- antes da base verbal nas formas CJ e através do prefixo kha- nas formas DJ. A seguir são dados exemplos para as formas verbais negativas do presente perfectivo.

CJ - ohithumale esheeni? 'o que você não comprou?'

DJ - khamphwanyale 'ele não o encontrou'

Conjugações não-básicas afirmativas[editar | editar código-fonte]

Infinitivo[editar | editar código-fonte]

Demarcado pelo prefixo o-, podendo conter um marcador de objeto. Exemplos:

otthuka 'fechar' ontthuka 'amarrá-lo(a)'

Imperativo[editar | editar código-fonte]

Denotando comandos e ordens, se dá pelo uso da forma simples do verbo, sem modificações. Em diversos contextos, é considerado desrespeitoso. Exemplo:

Lavula! 'Fale!'

Optativo[editar | editar código-fonte]

Também chamado de subjuntivo, denota vontades e comandos e é frequentemente precedido por uma forma verbal que denota preferência ou obrigação. É marcado pela vogal final -e. Exemplo:

kimpheela mwanamwane arape 'eu quero que a criança tome banho'

Optativo Subsecutivo[editar | editar código-fonte]

Expressa desejos de eventos afastados do local da conversa, sendo frequentemente precedido por outra forma optativa. Também pode demarcar comandos. É marcado pelo afixo -a- antes da base verbal e sufixo final -e. Exemplos:

nirowe namumuleke wakisirwa vale 'vamos ir e descansar na ilha'

mwarape! 'tome banho!'

Narrativo[editar | editar código-fonte]

Geralmente usado em histórias, relata uma sequência de eventos, sendo marcado pelo prefixo khu-. Exemplo:

koothum’ epilyeeti ya ntteeke khurow’ omalawi 'eu comprei um ticket e fui para Malawi'

Situativo[editar | editar código-fonte]

Expressa uma pré-condição lógica ou temporal, sendo caracterizado pelo afixo -a- combinado ao prefixo do sujeito da ação. Exemplo:

kalipeleliya vale ninaaraatsa 'se me esperarem, vamos juntos'

Situativo Durativo[editar | editar código-fonte]

Descreve um evento que ocorre simultaneamente a outro. Funciona como um gerúndio e é marcado pelo afixo pré-final -ak-. Exemplo:

ohiipurula apheelak ocawa 'ele rastejou, querendo fugir'

Situativo Perfectivo[editar | editar código-fonte]

Descreve um evento que ocorreu antes da ação expressa pelo verbo anterior e é caracterizado pelo sufixo final -ale. Exemplo:

orupale acaale 'ele foi dormir depois de ter comido'

Presente ou Passado Habitual[editar | editar código-fonte]

Expressa eventos habituais, sendo marcado pelo afixo -nni- antes da base verbal no presente, e pelo afixo -ani- antes da base verbal no passado. Exemplos:

opatsari tsinnitumihiy’ ehopa 'no mercado, o peixe é usualmente vendido'

ekhalai enama tsaanilavuua 'antigamente os animais costumavam falar'

Presente ou Passado Perfectivo Persistente[editar | editar código-fonte]

Tanto no presente perfectivo quanto no passado perfectivo, há uma forma extra que exprime as consequências de uma ação no passado. É marcado pelo prefixo extra nuu-. Exemplos:

Passado Perfectivo: woolima? 'você trabalhou na terra?'

Passado Perfectivo Persistente: onuulima? 'você esteve trabalhando na terra?' - existência de um fator indicativo (p. ex. a pessoa está suada)

Conjugações não-básicas negativas[editar | editar código-fonte]

Nas formas não-básicas infinitivo, imperativo, optativo, narrativo, situativo durativo e situativo perfectivo, a negação é expressa pelo afixo -hi- antes da base verbal, como mostrado nos exemplos a seguir.

uuhirampelela 'não nadar' (infinitivo negativo)

ohinthele nthiyana owootha 'não se case com uma mulher mentirosa' (optativo negativo)

Conjugações complexas[editar | editar código-fonte]

Dentre as conjugações complexas (combinação de duas formas verbais), há uma que expressa a noção de um futuro não-imediato. É formado pelo verbo -rowa 'ir' na forma do presente CJ adicionado ao verbo em questão no infinitivo. Exemplo:

kinrowa okattha ekuwo 'eu vou lavar roupas'

Extensões verbais[editar | editar código-fonte]

Posteriormente ao radical do verbo, podem ser inseridas uma ou mais extensões verbais, caracterizadas por modificarem o significado básico do verbo ao qual estão atreladas.[18]

Extensões verbais
Nome da extensão Sufixo Verbo original Verbo expandido
passiva -iw ovara ‘agarrar’ ovariwa ‘ser agarrado’
causativa -ih oxuttha ‘aprender’ oxutthiha ‘ensinar’
recíproca -na ovara ‘agarrar’ ovarana ‘agarrar um ao outro’
reversiva -ul otthuka ‘fechar’ otthukula ‘abrir’
aplicativa -el orowa ‘ir’ orowela ‘buscar’
intensiva -sa othikila ‘cortar’ othikilasa ‘cortar em pedaços’
estativa -ey wona ‘ver’ woneya ‘ser visível’

É comum que formas verbais sejam constituídas por uma combinação de várias extensões, como demonstrado a seguir:

othuma ‘comprar’

otumihiwa ‘ser vendido’ -ih (causativa) + -iw (passiva)

Vocabulário[editar | editar código-fonte]

A seguir consta uma paráfrase de “O sol e o vento norte”, um conto tradicional dos macuas, em sua versão original em emacua e tradução para o português.[18] Abaixo das sentenças em emacua foram adicionadas as respectivas categorias gramaticais, utilizando as seguintes abreviaturas:

adj - adjetivo adv - advérbio cj - conjunção

dem - demonstrativo n - nome num - numeral

par - partícula de relação poss- possessivo v - verbo

1) Um dia, o sol e o vento norte encontraram-se. 2) Os dois começaram a discutir entre si quem era o mais forte. 3) Logo veio um homem embrulhado num manto. 4) Os dois concordaram que seria o mais forte quem conseguisse tirar o casaco daquele homem. 5) Primeiro veio o vento norte e soprou com toda força. 6) Mas quanto mais soprou, tanto mais o homem se embrulhou no seu manto. 7) A seguir veio o sol, e começou a brilhar com muita força. 8) Depois de pouco tempo, o homem abriu o manto. 9) Passado mais algum tempo, tirou o manto. 10) Assim, o vento norte teve que admitir que o sol fosse mais forte do que ele.

1) Nihiku nimosa, msuwa ni epheyo yahikumanela.
N num N co N V
2) Oowanli epajerya ovanyihana, ti ani arina ikuvu sinjene.
pro V V V inter V N adj
3) Nanaroru ahiphiya mulopwana mmosa aikhunenle ni ekasako.
adv V N num V cj N
4) Oowanli yahiiwanana wi yole iya awerye orula ekasako ya mulopwana ole, ti akhale a ikuvu.
pro V cj dem dem V V N pa N dem V V pa N
5) Vopajerya yarne epheyo ni ikuvu saya sothene
V V N co N pos adj
6) Masi, yajwaka sisale, mulopwana aamutepa wikhumeela ni ekasako awe.
co V adv N V V co N pos
7) Voorajelana, nsuwa nipajerya waarya ni ikuvu sinjene.
V N V N co N adj
8) Ovinre okathi vakhani, mulopwana akithukula ekasako.
V N adv N V N
9) Ovinre okathi mukinatho, aarula ekasako.
V N adj V N
10) Siso, epheyo yahikupali wi nsuwa ti nolipa ovikana eyo.
cj V V cj N V V V dem

Referências