Língua quipechaca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Quipechaca (Qypçaq)
Falado em: Cazaquistão
Total de falantes: extinta
Família: Turcomana
 Quipchaca
  Quipchaca–Cumana
   Quipechaca
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

A língua quipechaca (também grafada kipchak ou qypchaq) é uma língua turcomana extinta, membro e ancestral das línguas quipechacas, pelo que seus descendentes incluem o tártaro da Crimeia, o caraíta, o krimchaque, o carachaio-bálcaro, o cumique, o nogai, o cazaque, o caralpaque, o tártaro da Sibéria e o basquir.[1] A língua quipchaca era a língua franca dos territórios sob o domínio do canato da Horda Dourada, ao lado do mongol.[2]

Os atuais cazaques são remanescentes de tribos quipchacas orientais que viviam no norte do Cazaquistão no século X e migraram mais tarde para a Europa. Assim, seu idioma se originou de uma forma mais isolada da língua. Os Búlgaros do Volga ou tártaros do Volga, tártaros do Astracã, bálcaros, basquires e mongóis da aristocracia e que falavam a língua protobúlgara adotaram a língua quipchaca na época do canato da Horda Dourada.[carece de fontes?]

Referências

  1. Baskakov, N. A. (1952). «К вопросу о классификации тюркских языко». Отделение литературы и языка. 9 (2). Moscou: Известия Академии наук СССР. pp. 121–134 
  2. Kołodziejczyk, Dariusz (2011). The Crimean Khanate and Poland-Lithuania: International Diplomacy on the European Periphery (15th-18th Century). A Study of Peace Treaties Followed by Annotated Documents. Leiden: BRILL. p. 4. ISBN 978-90-04-19190-7 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]